Archive for dezembro, 2015

RECESSO

Ficaremos fora do ar por uns dias.

CELEBRAÇÃO DE NATAL DA FAMÍLIA BIONDI EM JEQUIÉ

Balneário Fazenda Provisão

Balneário Fazenda Provisão

Neste 25 de dezembro, Dona Lourdes Biondi e seu filho primogênito Allan Biondi, resolveram reunir toda a família no espaço de eventos da fazenda Provisão, para celebrar a vida!

familia biondi1n

Com buffet de Mércia, cerveja Original e Whiskies honestos (Cutty Sark e Grant´s) o papo rolou desde o final da manhã até ao pôr do sol.

encontro familia Biondi

Fernando, Geanne, filha e genro, Daniel e Nanda Carter, além do neto americano, Gabriel, vieram de Dallas, nos Estados Unidos, onde moram. Marta e Nenga chegaram de Salvador, trazendo filhos e netos. O médico Bruno, filho do saudoso dr. Gilberto e Marta trouxe mulher e filho lá de Rio Branco, no Acre. Já os de Nenga, só não veio Maurício, Chef de Cozinha, que está embarcado em navio de bandeira alemã. De Minas, veio de Governador Valadares o primo Zequinha e Silvana doutoranda na UFMG, que chegou de Belo Horizonte. Homenageada pelos seus filhos Alice/Vitor, Gabriel e Guilherme, que se dividia com a mãe e se divertiam com a alegria contagiante de seu pai, Jorginho Sampaio, que atendeu ao convite de D. Lourdes. Tinho e Daniela receberam os filhos dele, Giuliano, Breno e Camilo Peixinho Biondi, que justificaram a ausência de Alethea, em viagem. Adriana e Allan, Luis Felipe Pezzi e Allana, atentos aos sogros de Lucas/Patrícia, o casal Azevedo, elas não deixaram de, como sempre, iluminar com as suas beleza e simpatia na recepção de alguns dos amigos da família, convidados pelo casal, entre eles, Onilta e Omar Salomão.

Gustavo, único solteiro do clan de Humberto e D.Lourdes, já insere sua bonita noiva, Aninha Landim, nos grandes eventos da família.

Allana e Adriana Biondi

Allana e Adriana Biondi

Muitos netos e netas, além de primos, também estiveram presentes, mas, o ponto alto do emocionante encontro foi mesmo a presença dos dois mais novos membros, Rafa e Gabriel, e dos ex-genros de Humberto e Lourdes Biondi, Jorge Sampaio e Carlos Schneider, que se programaram com antecedência para celebrar e recordar com a família Biondi, os momentos de emoção vivenciados no passado, com a presença do patriarca.

Netos Biondi

As ausências registradas e justificadas são os netos Mauricio, Lana, Juninho, Isis , Thea, Angie.

LEWANDOWSKI, O MILITANTE ANTI-IMPEACHMENT, CONFESSA QUE SUPREMO “BOLIVARIANOU” MESMO!

Reinaldo AzevedoPor Reinaldo Azevedo*

Ricardo Lewandowski, presidente do Supremo, resolveu se comportar como presidente do PT e teve, nesta quarta, uma atitude claramente hostil com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que havia lhe pedido uma audiência. Ele concedeu. Mas abriu as portas para a imprensa, num gesto escancaradamente demagógico. Jornalistas lembraram um precedente de Itamar Franco quando presidente. Falso. Digo mais adiante por quê.

Nota logo à partida: Lewandowski pode pensar sobre o deputado o que quiser. Eu, por exemplo, acho que Cunha tem de ser cassado. Mas o presidente do Supremo tem deveres decorosos com o homem que preside uma das Casas do Poder Legislativo. Enquanto Cunha não for cassado, tem de ser respeitado pelo comandante da corte suprema do país em razão de seu papel  institucional.

Não foi o que se viu. Quem abriu as portas do tribunal não foi o magistrado que preza a transparência, mas o militante anti-impeachment, papel que não lhe cabe. Ora, o doutor fala com advogados de criminosos presos, a portas fechadas — ou não fala? Por que não pode fazê-lo com o presidente de uma das Casas do Legislativo?

A propósito: Lewandowski já pediu audiência ao comando do Congresso para tratar do aumento do Judiciário e outros benefícios. Já imaginaram se as portas se abrem, e flagramos lá o herói anti-Cunha a cuidar do pão deles de cada dia? A demagogia é um dos últimos estágios da vigarice intelectual.

De toda sorte, o comportamento beligerante foi útil para que saibamos o que está em jogo. Mais: LEWANDOWSKI FEZ TAMBÉM UMA CONFISSÃO SOBRE O VOTO DE ROBERTO BARROSO, SEU AMIGO DE SIMPATIAS PARTIDÁRIAS. A imprensa deixa passar porque está de tal sorte cegada pelo “anticunhismo” que não consegue enxergar um estupro institucional. Vamos lá.

A audiência

Cunha foi ao Supremo pedir celeridade na divulgação do acórdão da votação que estabeleceu, atropelando a Constituição e as leis, o rito do impeachment. Cunha lembrou que o fato de a maioria dos ministros ter vetado o voto secreto e a comissão avulsa deixava dúvidas sobre a eleição e funcionamento de outras comissões na Câmara.

Eis, então, e, neste sentido, foi bom a audiência ter sido aberta, que Lewandowski diz uma coisa sensacional. Defendendo o voto absurdo de Barroso, o presidente do Supremo disse não haver dúvida nenhuma — é mesmo? — sobre o que foi votado: segundo ele, a proibição de comissão avulsa, a indicação dos membros por vontade dos líderes e o voto obrigatoriamente aberto valem apenas para a comissão do… impeachment!!!

Entendi! Isso quer dizer que o senhor Barroso, de forma clara e deliberada, com a concordância da maioria, resolveu ser mesmo um legislador “ad hoc”. Vale dizer: o Supremo não tomou uma decisão em tese, pautada por princípios e fundamentos. A corte resolveu mesmo criar uma legislação para o caso específico — e, por óbvio, então, da forma como se fez, para beneficiar Dilma. Lewandowski foi literal: “O voto do ministro Barroso deixa bem claro que a decisão se refere à comissão do impeachment, não se refere a outras comissões”.

Vergonha!

Quanto à celeridade, o presidente do Supremo resolveu falar dos prazos regimentais. Os ministros têm até 19 de fevereiro para liberar seus votos, e o tribunal, até 60 dias para divulgar o acórdão, sem contar o período do recesso.

Ok. Estou entre aqueles que acham que a demora conta contra Dilma Rousseff — aliás, ela também. Até porque, como na Ilíada, nuvens negras se formam no horizonte, e há uma grande possibilidade de que seus raios caiam sobre o cocuruto presidencial.

O caso Itamar

Quando Itamar Franco era presidente, o então senador Antônio Carlos Magalhães (DEM-BA), que estava na oposição, anunciou ter um calhamaço de denúncias contra o governo. Disse que o entregaria ao chefe do Executivo. Itamar recebeu o senador, mas abriu as portas para a imprensa.

O paralelo com o que fez Lewandowski é descabido. Cunha não foi ao ministro para entregar supostas denúncias, numa linha de confronto. Apenas cumpriu um ritual que, de resto, a elegância até pede. Mas o presidente do Supremo, hoje um dos esbirros do governo Dilma, resolveu surfar na impopularidade de Cunha. Ao fazê-lo, não desprestigiou um deputado enrolado, mas afrontou o Poder Legislativo, pondo-se, como de hábito, de joelhos diante do governo petista.

Ah, não tenho como esquecer os apelos emocionados que Lewandowski fazia em benefício dos réus do mensalão, lembrando, a todo instante, a condição humana dos condenados. Como se nota, nem sempre ele tem aquele coração de manteiga.

Encerro

Achei excelente o conjunto da obra. Lewandowski deixou claro que o juiz isento desapareceu para dar lugar ao militante de uma causa. E confessou que o julgamento no STF foi mesmo uma, digamos, bolivarianada. Ministros decidiram apoiar uma regra inventada para servir a um único propósito: tentar manter Dilma no poder, contra o que dispõe a Lei 1.079.

A isso se resume o gesto heroico de Lewadowski.

*Reinaldo Azevedo é jornalista e colunista da revista Veja – http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo   

CELEBRAÇÃO DE NATAL – Noite Feliz

MILLÔR FERNANDES DEFINE CHICO BUARQUE NUMA FRASE:

“Eu desconfio de todo idealista que lucra com seu ideal”  – Millôr Fernandes*

*Millôr Fernandes foi um desenhista, humorista, dramaturgo, escritor, poeta, tradutor e jornalista brasileiro, nascido no Rio de Janeiro em 16 de agosto de 1923 e falecido no Rio de Janeiro em 27 de março de 2012.

Dizemos nós:

CHICO

Perdoe se minha admiração não é irrestrita. Você apoia quem rouba, quem roubou e quem tem roubado, não tem discussão. De Paris, você não se importa em ver a Pátria Mãe, tão distraída, ser subtraída em tenebrosas transações. Afasta de ti esse cálice, Chico!

O que será que lhe dá pra defender quem não tem decência, nem nunca terá, quem não tem vergonha, nem nunca terá, quem não tem limite?

Cantei cada uma de suas canções como se fosse a última!

Olhos nos olhos, dói ver o que você faz ao defender quem corrompe, engana e mente demais.

Não é por estar na sua presença, mas você vai mal. Vai mal demais. Eu te vejo sumir por aí, arruinando sua biografia, que se arrasta no chão, cúmplice de malandro com aparato de malandro oficial, malandro investigado na Polícia Federal.

É, Chico, você tá diferente, já não te conheço mais.

Quem te viu, quem te vê!

Trocando em miúdos, pode guardar as sobras de tudo que não conseguirem roubar.
Apesar de você e do PT, amanhã há de ser outro dia.

CELEBRAÇÃO DE NATAL – MILTON NASCIMENTO – nada será como antes

COM VAIAS, ALBA APROVA PEC DOS SERVIDORES NA ANTEVÉSPERA DO NATAL

alba2

A Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) aprovou, nesta quarta-feira (23), em segundo turno, a PEC dos Servidores, que muda as vantagens do funcionalismo público. A proposta do Executivo baiano foi aprovada por 39 votos a favor e 16 contra.

A estratégia montada pelo presidente da Alba, deputado estadual Marcelo Nilo (sem partido), surtiu efeito. A sessão marcada na antevéspera enfraqueceu os servidores que estiveram presentes nas galerias e chegaram a gritar e fazer “apitaço”, mas não conseguiram barrar a aprovação da proposta do Executivo.

Durante a sessão, deputados oposicionistas criticaram o projeto, que nomearam de “pacote de maldades” do governador Rui Costa (PT). “Nós da oposição iremos descansar com a cabeça tranquila, porque votamos contra. Os servidores não vão descansar tranquilos, porque tiveram os direitos subtraídos, infelizmente. Mas observem em quem vão votar nas próximas eleições”, disse o deputado Adolfo Viana (PSDB).

Aderbal Caldas – PP

Adolfo Menezes – PSD

Alan Castro – PTN

Alex da Piatã – PMDB

Alex Lima – PTN

Ângela Sousa – PSD

Ângelo Coronel – PSD

Antônio Henrique Júnior – PP

Bira Corôa – PT

Bobô – PC do B

Carlos Ubaldino – PSD

Eduardo Sales – PP

Euclides Fernandes – PDT

Fabíola Mansur – PSB

Fabrício Falcão – PC do B

Fátima Nunes – PT

Gika Lopes- PT

Ivana Bastos – PSD

Joseildo Ramos – PT

Jurandy Oliveira – PRP

Luiz Augusto – PP

Luiza Maia – PT

Manassés – PSB

Marcelino Galo – PT

Maria Del Carmen – PT

Marquinho Viana – PV

Nelson Leal – PSL

Neusa Cadore – PT

Pastor Sargento Isidório – PSC

Paulo Câmera – PDT

Paulo Rangel – PT

Reinaldo Braga – PR

Robério Oliveira – PSD

Roberto Carlos – PDT

Rogério Andrade – PSD

Rosemberg Pinto – PT

Zé Neto – PT

Zé Raimundo – PT

Zó – PC do B

BAHIA TEM 26 FACULDADES ENTRE AS PIORES DO PAÍS NA AVALIAÇÃO DO MEC

O aumento no número de opções de instituições de ensino superior nem sempre significa ensino com qualidade. Prova disso é que na mais recente avaliação do Ministério da Educação (MEC), 324 instituições foram consideradas insatisfatórias, sendo 319 faculdades, uma universidade, um instituto federal e três centros universitários. Na Bahia, 26 faculdades foram “enquadradas” pelo MEC na condição de insatisfatórias.

Para ser “reprovada”, uma instituição precisa ficar abaixo da faixa 3 do IGC (Índice Geral de Cursos) que vai de 1 a 5 e é o indicador oficial de qualidade do ensino superior no país.

Calculado anualmente, IGC é feito com base na média ponderada dos Conceitos Preliminares de Curso (que levam em conta o rendimento dos alunos no ENADE, infraestrutura e qualidade do corpo docente) e dos conceitos de mestrado e doutorado, ancorados na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoa de Nível Superior (Capes).

O índice considera o CPC dos cursos avaliados no ano do cálculo e nos dois anos anteriores. Por isso a divulgação refere-se aos três anos suficientes para que todas as áreas sejam avaliadas.

Notas 1 e 2 são insuficientes e o mau desempenho acarreta em punições por parte do MEC. Uma das medidas possíveis, por exemplo, é a proibição de novos vestibulares até que a instituições aponte soluções para melhora do desempenho. Neste último ciclo de avaliação, 24 instituições tiveram a nota máxima de 5.

A UNITINS, no Tocantins, é a única universidade da lista que também traz o Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Acre, duas instituições públicas de ensino.

Faculdades na Bahia

  • ESCOLA DE ENGENHARIA DE AGRIMENSURA (Salvador);
  • FACULDADE DO DESCOBRIMENTO (Santa Cruz Cabrália);
  • FACULDADE SÃO TOMAZ DE AQUINO (Salvador);
  • FACULDADE REGIONAL DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE CANDEIAS (Candeias);
  • FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS (Itamaraju);
  • FACULDADE SANTO AGOSTINHO (Ipiaú);
  • FACULDADE DE CIÊNCIAS EDUCACIONAIS DE CAPIM GROSSO (Capim Grosso);
  • FACULDADE APOIO (Lauro de Freitas);
  • FACULDADES INTEGRADAS DO EXTREMO SUL DA BAHIA (Eunápolis);
  • FACULDADE PRESBITERIANA AUGUSTO GALVÃO (Campo Formoso);
  • FACULDADE MONTENEGRO (Ibicaraí);
  • FACULDADE HÉLIO ROCHA (Salvador);
  • FACULDADE DO SUL DA BAHIA (Teixeira de Freitas);
  • FACULDADE JOÃO CALVINO (Barreiras);
  • FACULDADE JUVÊNCIO TERRA (Vit. da Conquista);
  • FACULDADE VASCO DA GAMA (Salvador);
  • FACULDADE SÃO CAMILO (Salvador);
  • FACULDADE ANÍSIO TEIXEIRA DE FEIRA DE SANTANA (Feira  de Santana);
  • FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS (Salvador);
  • INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR UNYAHNA DE SALVADOR (Salvador);
  • FACULDADE REGIONAL DA BAHIA (Feira de Santana);
  • FACULDADE DO SERTÃO BAIANO (Monte Santo);
  • FACULDADE DE CIÊNCIAS GERENCIAIS DA BAHIA (Salvador);
  • FACULDADE SANTO ANTONIO (Alagoinhas);
  • FACULDADE CASTRO ALVES (Salvador);
  • FACULDADE EVANGÉLICA DE SALVADOR (Salvador).

          Fonte: ibahia.com

CELEBRAÇÃO DE NATAL – Canções de Natal – Eu pensei que todo mundo fosse filho de papai Noel (Anoiteceu)

O POVO PRECISA DE “ÁGUA JÁ”

marinhoPor Mario Alves Filho*

 

 

A crise de falta de “água já” bateu nas portas do povo de Jequié. A Embasa está pedindo para que economizemos “água já”. O cidadão pobre pede um copo “d’agua já”, porque não quer morrer de sede. Até a turma da “birita”, quando chega sexta-feira diz: Vou comer “água já”. A mãe geralmente manda a filha fazer o café e determina: Bote a “água já” no fogo. Se a criança está brincando com água, a mãe ou o pai repreende dizendo: Seu moleque; pare de brincar com a “água já”.

Na última eleição para prefeito e vereadores, surge um candidato a vereador muito “inteligente” e registra o seu nome para submeter ao crivo do eleitorado como sendo Neto da “Água Já” e entrou na luta visitando os bairros e dizendo que o seu apelido “Água Já” surgiu porque a água é vida e que todos precisavam da água, especialmente os mais pobres e que ele sempre dava água a quem tinha sede. Afirmava aos eleitores que não tinham condição de pagar as suas contas de água que, se eleito, ia elaborar um projeto de lei para isentar o povo pobre do pagamento de “água já”. O povo acreditou e votou no cara.

Na verdade o vereador era e é comerciante de água, e o nome fantasia da sua empresa é exatamente “Água Já”. Deu, portanto, um a zero no povo.

O dito vereador há menos uma semana atrás garantiu (as gravações existem) que a prefeita de Jequié precisava ser cassada, pois ele jamais tinha visto tantos desmandos, tantas falcatruas e tanta irresponsabilidade em uma administração municipal.

A prefeita Tânia abraça seu ex-crítico, vereador Neto da Água Já.

A prefeita Tânia abraça seu ex-crítico, vereador Neto da Água Já.

Durante a sua curtíssima trajetória eleitoral (já que afirma não ser mais candidato a nada), os políticos de todas as facções perceberam que ele não era uma pessoa merecedora da confiança de ninguém. Nem da oposição, nem da situação e nem da ala chamada “independente”.

O deputado federal envolvido na operação Lava Jato e que de fato comanda a Prefeitura de Jequié, conhecido pela alcunha de “Esperto Brito”, precisando dar um reforço nos votos contrários à cassação de sua ex esposa, “conquistou” o vereador da “água já” que lhe prometeu votar do jeito que ele (deputado) quisesse. Como o apelido “Esperto Brito” não surgiu do nada, o deputado, sabendo que a suplente do vereador “água já” merecia confiança e ele não, determinou que se afastasse do cargo e que receberia em troca um cargo de primeiro escalão. Resultado que o vereador da “água já” foi nomeado para o cargo de secretário de cultura do nosso município, e já está tecendo elogios a todos que fazem parte das falcatruas e dos desmandos que ele dizia existirem. Uma vergonha.

Um amigo acaba de me telefonar dizendo que o vereador afirmou que fez a permuta por conta da crise da “água, já” existente. O amigo me disse, também, que fatalmente o nome “Neto da Água Já” passará a ser “Neto da Grana Já” e assim ele deixará o seu nome registrado na história de Jequié, todo sujo de lama (ou de grana) não sabemos bem!

Um feliz natal para todos os amigos e que Deus ilumine a consciência do nosso povo em 2016.

Jequié, 22 de dezembro de 2015

*Mario Alves Filho é advogado, músico, poeta, escritor e ex-vereador de Jequié.

 

Veja o vídeo