Archive for Janeiro, 2014

FIEB DEFENDE CORREÇÃO DE DISTORÇÕES NO IPTU

José Mascarenhas - presidente da FIEB Foto: Max Haack

José Mascarenhas – presidente da FIEB Foto: Max Haack

A Federação das Indústrias do Estado da Bahia – FIEB é, por princípio, totalmente contra qualquer aumento de impostos, mas se isso é necessário, a elevação deve respeitar o limite da razoabilidade, para permitir que pessoas e empresas de adaptem aos novos valores. Com essas palavras, o presidente da entidade, José Mascarenhas, esclarece a posição da Federação das Indústrias no debate sobre o aumento do IPTU em Salvador. Lembrando que a FIEB é uma entidade apartidária, como deve ser e se manter qualquer representação empresarial, ele observa que a questão do IPTU não deveria ser politizada, mas conduzida pela via da negociação. Recorda que todas as entidades que compõem o Fórum Empresarial mantiveram várias rodadas de negociações com o prefeito ACM Neto e seus assessores e, em princípio, foi alcançado um acordo com perdas e ganhos para as partes. Porém, agora, com os carnês do IPTU emitidos, é que a sociedade tem o real conhecimento das mudanças de padrão do imposto e que os excessos observados podem e devem ser corrigidos por meio de novas negociações entre empresários e a Prefeitura de Salvador. José Mascarenhas reconhece que o IPTU cobrado em Salvador estava defasado e que esta necessita de urgentes investimentos para melhorar a qualidade de vida da população, mas defende que o reajuste praticado tem de ser equilibrado, o que requer negociação, pois significa mudança no padrão de custo de empresas e famílias.

DECISÃO DA ESCOLHA DO CANDIDATO QUE REPRESENTARÁ AS OPOSIÇÕES É ADIADA

acm neto, geddel e paulo soutoA cautela que vem sendo observada na decisão para a escolha do nome que representará as oposições no pleito para o governo da Bahia, reflete o cuidado com que ACM Neto, elevado à condição de líder das oposições na Bahia, conduz o processo. Esses cuidados levam à conclusão de que tanto Paulo Souto (DEM) quanto Geddel Vieira Lima (PMDB) continuam como postulantes da representação oposicionista nas próximas eleições ao governo do estado.

Como a decisão foi adiada, ACM Neto prosseguirá nas intermediações da avaliação para a escolha do candidato mais competitivo, ficando também incumbido de anunciar, no mais tardar na próxima segunda feira, qual será o nomes escolhidos para governador e senador, já que só interessa a decisão se não houver rupturas ou constrangimentos. O objetivo é manter o grupo unido e disposto ao embate contra a máquina petista.

PODER DAS REDES SOCIAIS DEIXA LULA AMENDRONTADO

O vídeo vem a público dois dias depois de o PT anunciar que vai se articular com os movimentos sociais para… pautar a Internet e, como eles dizem, enfrentar os conservadores. Notem: a concepção é autoritária desde a origem, desde o princípio. Os movimentos sociais, por definição, não deveriam ter partido, certo? O que une aquelas pessoas, até onde se sabe, não é um partido, mas uma reivindicação.

Vejamos o que diz o jornalista Reinaldo Azevedo em seu blog http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/
Lula, o maior ator do Brasil, prega a paz na Internet enquanto a sua turma prepara a guerra.
Luiz Inácio Lula da Silva é o maior ator do Brasil, e não é de hoje que lhe reconheço essa qualidade, entre outras. E, destaco, ele vai melhorando com o tempo, conferindo sempre mais verossimilhança à sua fala. Por mais avesso que a gente seja ao PT e à sua pregação, há a tentação de considerar que Lula está sendo sincero.
O chefão do PT gravou um vídeo que foi postado em sua página no Facebook e está no YouTube. Lula fala sobre o papel da Internet na educação política. Quase não há reparos a fazer a seu texto, exceção feita à parte final, quando comenta o papel da imprensa. Ele e o PT ainda não entenderam qual é a função do jornalismo. Mas não chega a ser, nesse caso, um pecado mortal. Péssimas são as tentativas dos petistas de censurar a imprensa, mas isso não está caracterizado nesse vídeo. Vejam.
Destaco trechos de sua fala. Volto em seguida:
“Eu sou favorável a responsabilizar as pessoas que usam a Internet porque eu tenho liberdade de pegar uma estrada e fazer uma viagem com minha família, mas se eu for irresponsável, eu posso matar alguém ou posso morrer”.
“Quanto mais a gente trabalhar no sentido de falar coisas positivas, mesmo quando você critica, criticar com fundamento, e não ficar fazendo o jogo rasteiro da calúnia ou do baixo nível… Quando você calunia, você não politiza, você não ensina, você não produz um fruto”
“Eu acho que a internet é uma arvore que pode produzir frutos novos todo santo dia se a gente tiver, ao sentar na frente de um computador, interesse de que alguém aprenda algo mais nesse país ou nesse mundo”.
“Eu, sempre que puder utilizar a Internet para passar uma mensagem que seja uma coisa positiva, uma coisa verdadeira, eu utilizarei. Jamais usarei a Internet para fazer uma calúnia contra quem quer que seja”.
Retomo
O vídeo vem a público dois dias depois de o PT anunciar que vai se articular com os movimentos sociais para… pautar a Internet e, como eles dizem, enfrentar os conservadores. Notem: a concepção é autoritária desde a origem, desde o princípio. Os movimentos sociais, por definição, não deveriam ter partido, certo? O que une aquelas pessoas, até onde se sabe, não é um partido, mas uma reivindicação.
Há mais: os petistas já criaram um grupo chamado “MAV” — Mobilização de Ambientes Virtuais. Como já afirmei aqui, trata-se de uma espécie de polícia política da Internet. Essa gente fica monitorando as redes sociais para “combater” seus adversários. Também invade as páginas pessoais de algumas pessoas conhecidas para patrulhar a sua opinião, desqualificá-las no caso de alguma discordância, intimidá-las. Sei do que falo porque a área de comentários deste blog enfrenta essa forma de assédio.
Ainda não é a pior parte. Todo mundo sabe que, por meio de publicidade da administração direta e de estatais, os petistas mantêm uma rede de blogs — que acabou ficando conhecida como “blogs sujos” — que têm como tarefa principal atacar figuras da oposição e a imprensa independente, além, claro!, de defender o governo.
E onde ficam esses limites de que fala Lula? Ora… Trata-se de um espetáculo grotesco de baixarias, vigarices, mentiras. Não faz tempo, um dos blogs da turma associou a imagem do ministro Joaquim Barbosa à de um macaco. Lula, pessoalmente, tentou jogar no colo da oposição a cocaína apreendida no helicóptero de um deputado e de um senador. Imediatamente a rede suja passou a replicar a baixaria, embora a Polícia Federal tivesse descartado o envolvimento dos próprios políticos com a droga. Isso tudo está documentado.
Quando, no entanto, a gente vê e ouve Lula no vídeo, é grande a tentação de considerá-lo uma espécie de líder moral, a dizer coisas sensatas. A campanha vêm aí. E teremos, mais uma vez, a chance de ver do que são capazes.
Fonte: Veja.com

RECOLHIMENTO DO FGTS DE DOMÉSTICOS FICA MAIS FÁCIL E PODE SER FEITO PELA INTERNET

download (3)A Caixa Econômica Federal disponibilizou, para os empregadores domésticos, um novo serviço eletrônico de geração da Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia Tempo de Serviço (FGTS), o GRF Web Doméstico. A ferramenta vai facilitar os procedimentos para recolhimento do Fundo a trabalhadores domésticos que, agora, pode ser feito pela internet.

No preenchimento da guia, o empregador informa o Cadastro Específico do INSS (CEI) e os dados cadastrais dos trabalhadores. O documento já sai com código de barras, pronto para recolhimento em qualquer canal disponível pela rede bancária. O acesso ao novo serviço pode ser realizado pela página do eSocial. Basta selecionar a opção Guia FGTS, disponível no lado esquerda da página.

O gerente nacional de FGTS da Caixa, Henrique José Santana, destaca que essa é mais uma opção para o empregador que optar por recolher o FGTS dos trabalhadores domésticos, por meio de um acesso livre e gratuito, disponível na internet. “A ferramenta foi elaborada atendendo sugestões recebidas dos usuários. Ela tem um preenchimento simplificado e intuitivo, de modo a obter facilmente a emissão de guia de recolhimento do FGTS”, explica Santana.

O novo portal calcula o valor do depósito, inclusive para recolhimento em atraso, e gera a guia do FGTS com código de barras. Outra facilidade do novo serviço é que, após o primeiro recolhimento, as informações serão armazenadas no sistema, o que possibilitará a geração das próximas guias mensais com a simples inclusão da inscrição CEI do empregador doméstico e a validação dos dados demonstrados pelo aplicativo.

Atualmente, mais de 170 mil empregados domésticos recebem depósitos mensais em suas contas do FGTS, por liberalidade dos seus empregadores. No ano de 2013, foram registrados aproximadamente R$ 145 milhões em recolhimentos do FGTS a trabalhadores domésticos. “A expectativa da Caixa é que, com essas novas facilidades, esse número possa aumentar gradativamente”, comenta Santana.

Para orientar os empregadores domésticos, quanto à melhor navegação e preenchimento dos dados do novo serviço, a Caixa elaborou e disponibilizou uma cartilha eletrônica na página da Caixa na internet, opção Downloads (FGTS – Empregador Doméstico). Nessa cartilha (tutorial), foram inseridas, inclusive, informações de como o empregador doméstico pode obter uma inscrição CEI.

A Emenda Constitucional nº 72/2013, que amplia os direitos dos trabalhadores domésticos, dentre eles a obrigatoriedade de recolhimento do FGTS, encontra-se em fase de apreciação pelo Congresso Nacional. Até a regulamentação dessa Emenda, o recolhimento do FGTS, pelo empregador doméstico, continua facultativo.

ACM NETO SE REÚNE HOJE COM PAULO SOUTO E GEDDEL PARA DEFINIR CANDIDATO DAS OPOSIÇÕES

Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ Bahia Notícias

Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ Bahia Notícias

O ex-governador Paulo Souto (DEM) e o ex-ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima (PMDB) terão reuniões individuais, nesta sexta-feira (31), com o prefeito de Salvador ACM Neto, em local e horário a serem definidos, com o objetivo de bater o martelo sobre quem será o candidato das oposições nas eleições estaduais deste ano. Enquanto o presidente peemedebista na Bahia não esconde de ninguém o desejo de disputar novamente o Palácio de Ondina, após a derrota no último pleito, o ex-chefe do Executivo baiano por duas vezes – de 1995 a 1999 e de 2003 a 2007 –, embora tenha perdido as duas últimas campanhas (2006 e 2010) para o governador Jaques Wagner, é o atual líder das pesquisas e tem sido conclamado por correligionários e familiares a aceitar o desafio.

Na segunda feira (27), a candidatura de Paulo Souto chegou a ser descartada em virtude de não ter concordado com as “condições” colocadas por Neto. Nesta quarta (29), no entanto, depois de receber em seu gabinete lideranças do partido, o ex-governador teria se “reanimado” com a ideia de entrar mais uma vez na briga. O desafio de Neto, agora, é tentar conquistar o consenso, já que quem for escolhido gostaria de ter o outro como aspirante ao Senado. Ambos não querem se expor e falar com a imprensa no estágio crucial das conversas, para evitar que uma palavra mal colocada gere constrangimento e signifique eliminação sumária.

A expectativa dos dois pré-candidatos é a escolha do próprio nome, entretanto, conforme combinado, o prefeito de Salvador, ACM Neto deverá conduzir a decisão, baseada e análises, pesquisas e capacidade de aglutinação política dos dois pleiteantes no momento. A decisão deverá ser acatada pela outra parte.

Em tempo: Segundo apontam as pesquisas do Vox Populi, ACM Neto é o prefeito mais bem avaliado do Brasil com 51% de aprovação.

DE OLHO NA CAMPANHA, DILMA FAZ MUDANÇAS NA SECOM DEIXANDO SATISFEITOS SETORES DO PT

HELENA CHAGASA ministra da Secretaria de Comunicação Social, Helena Chagas, deixará o posto na reforma em curso na Esplanada dos Ministérios. Segundo fontes do Planalto, ela deve ser substituída pelo porta-voz Thomas Traumann. O Palácio do Planalto ainda não divulgou uma nota oficial sobre o assunto. Nos bastidores, a informação é que além dos ataques constantes de setores do PT pela falta de influência na liberação de verbas de propaganda do governo federal, a presidente Dilma Rousseff teria se irritado com o episódio envolvendo a parada técnica da comitiva presidencial em Portugal. A revelação sobre a “escapada secreta” da presidente na capital portuguesa foi revelada pelo jornal O Estado de S.Paulo e criou um mal-estar para a ministra. Após o episódio, Helena fez um comentário na terça-feira, 28, em seu perfil no Twitter. “Impressionante a capacidade e o oportunismo de alguns para inventar histórias. Não me atingem. Estou que nem São Sebastião: o que é mais uma flechada?”, reagiu. Helena Chagas trabalha com a presidente desde a campanha presidencial de 2010. Ela já foi ligada ao ex-ministro da pasta Franklin Martins e sofre bombardeios constantes de petistas insatisfeitos com sua atuação à frente da comunicação do Planalto. Também é comum atritos entra a ministra e o porta-voz da presidência, uma vez que não há um limite claro entre as funções na divulgação de informações do Palácio do Planalto. A mudança permitirá que a Secom adote um tom mais agressivo, como querem os petistas, em um ano eleitoral, no enfrentamento às notícias negativas envolvendo o governo. A substituição de Helena por Thomas Traumann deverá ser anunciada nesta sexta, 31. Mas Thomas tomará posse no cargo junto com os demais ministros, na próxima segunda-feira, dia 3, às 11 horas, no Palácio do Planalto, em solenidade comandada pela presidente Dilma.

Com a saída de Helena, ganha força o núcleo de coordenação de comunicação composto pelo marqueteiro João Santana e pelo jornalista Franklin Martins, que ocupava a pasta na gestão Lula. Fonte: Estadão

A FOTOGRAFIA DE EVANDRO TEIXEIRA POSSIBILITA REVER O RIO DE JANEIRO DA BOSSA NOVA E DA DITADURA

Montagem de três das mais famosas fotos retratando a ditadura no Brasil

Montagem de três das mais famosas fotos retratando a ditadura no Brasil

Evandro Teixeira nasceu na cidade baiana de Santa Inês (ou em Irajuba, segundo outras versões), em 1935, iniciando sua carreira jornalística em 1955 no Jornal de Rio Novo em Ipiaú. Em 1958 transferiu-se para o Diário de Notícias, em Salvador, integrante da rede dos Diários Associados. Depois, levado pelo próprio Assis Chateaubriand, vai para o Diário da Noite, também do grupo, na cidade do Rio de Janeiro, onde se radicou e mora até hoje.

Em Ipiaú Waldemar Navarro Lefundes, dono do Jornal de Rio Novo jamais imaginaria que o seu fotográfo Evandro Teixeira seria um dos melhores repórteres fotográficos do mundo. A folha de São Paulo publicou reportagem hoje enaltecendo a mostra de fotografias de Evandro, no Centro Cultural da Justiça Federal. O mote da exposição de fotos é o 50º aniversário do golpe militar, mas, para o fotógrafo, os anos 1960 foram bem mais do que isso.

Nos 47 anos em que trabalhou no “Jornal do Brasil”, Teixeira retratou generais, cobriu protestos, viu censores picotarem reportagens consideradas ofensivas à ditadura diante de jornalistas. Mas também registrou a rebeldia de Leila Diniz, a revolução dos costumes nos biquínis das moças de Ipanema e viu surgir a bossa nova. “O Rio era a capital cultural do país. Ficávamos no Antonio’s Bar, até seis da manhã, eu, Tom [Jobim] e Vinícius [de Moraes], jogando conversa fora, só sentados, na porta”, relembra Teixeira.

Do convívio com a intelectualidade da época, com escritores como Antonio Callado e Otto Lara Resende, uma amizade se sobressaiu: Carlos Drummond de Andrade. Ele e o escritor mineiro costumavam trocar bilhetes na redação, alguns deles jamais publicados. Em março, uma biografia de Teixeira, escrita por Silvana Costa Moreira e Marcos Eduardo Neves, chegará às livrarias, trazendo algumas dessas mensagens.

O fato é que, com a intimidade, Teixeira criou coragem e pediu que Drummond escrevesse um texto de apresentação para um livro que lançaria. Na hora, o escritor não disse nem sim nem não. Mas, para surpresa do fotógrafo, atendeu o pedido. “Olha, vê se você gosta”, perguntou Drummond, acenando com o papel. Teixeira recebia ali o poema “Diante das Fotos de Evandro Teixeira”, que mais tarde o escritor incluiria em um de seus livros.

“Das luas de rua no Rio em 1968, que nos resta mais positivo, mais queimante do que as fotos acusadoras, tão vivas hoje como então, a lembrar como a exorcizar?”, diz o texto, exposto em uma das paredes da mostra no Rio.

A exposição tem 17 imagens icônicas da década de 1960, grande parte delas registros instantâneos do embate entre o Exército e manifestantes, como na Passeata dos Cem Mil, de 1968.

Uma fotografia impressionante é a de um estudante em fuga que, acossado por militares durante protesto na Cinelândia, também em 1968, caiu sobre o meio-fio. “Foi um berro triste. Quando me viram fotografando, [os militares] partiram para cima de mim. Mas como eu corria muito, não me pegaram.”

A mostra tem também fotos insólitas e bem-humoradas. Um exemplo é o flagrante ousado de dentro do carro da rainha Elizabeth 2ª em visita a São Paulo. “Na saída de um museu, ela entrou no carro. Fotografei sem olhar. Dei sorte, saiu certo”, afirma.

Fonte: jornalista José Américo Castro (Facebook) e jornal Folha de São Paulo

COMENDA PARA WALTER PINHEIRO HOMENAGEIA JORNALISTAS BAIANOS

Jornalista Walter Pinheiro presidente da Associação Bahiana de Imprensa-ABI

Jornalista Walter Pinheiro presidente da Associação Bahiana de Imprensa-ABI

Está em tramitação na Assembléia Legislativa Projeto de Resolução de autoria do deputado Euclides Fernandes,(PDT), concedendo a Comenda Dois de Julho ao presidente da Associação Baiana de Imprensa – ABI, Jornalista Walter Pinheiro, em reconhecimento ao seu trabalho em várias instituições de beneficência buscando oferecer melhores condições de vida aos menos favorecidos. Com a expectativa de que esse projeto seja aprovado até o final de março e possa ser entregue em solenidade a ser realizada no dia 7 de abril, o deputado Euclides Fernandes pretende, simbolicamente, homenagear todos os jornalistas baianos, visto que naquele dia se comemora o Dia do Jornalista.

Extraído do blog de Wilson Novaes Júnior (www.jequiereporter.com.br)

ELEIÇÕES NA FIEB: POR 23 VOTOS A 17 CHAPA DE OPOSIÇÃO VENCE PLEITO

Carlos Gilberto Farias é o presidente eleito da FIEB

Carlos Gilberto Farias é o presidente eleito da FIEB

Depois de acirrada campanha buscando o apoio dos presidentes dos sindicatos que integram a Federação das Industrias do Estado da Bahia, as eleições para presidência do órgão foi encerrada agora há pouco com o resultado de 23 votos a 17, favorável á chapa de oposição encabeçada por Carlos Gilberto Cavalcanti Farias, sócio da Agrovale.

Com um orçamento anual de quase R$ 700 milhões e centros de formação, qualificação e desenvolvimento de tecnologia, a FIEB tem o papel de dar suporte à expansão e desenvolvimento da atividade industrial no estado.

O resultado foi considerado uma reviravolta na tendência do voto dos sindicatos, sendo atribuído, por alguns observadores, como fato de relevante influência no score final a participação do secretário James Correia, da Industria e Comércio, que, abertamente contrário à reeleição da atual administração, atuou junto aos líderes pedindo voto para a chapa de oposição. Correia nega peremptoriamente a participação de Wagner no processo.  Na avaliação de empresários que acompanharam o pleito, o governo, através do secretário Correia, adotou uma postura equivocada ao considerar que optando pela chapa de oposição estaria pontuando como mais uma conquista a ser contabilizada por Jaques Wagner.

Já na eleição para a presidência do Centro das Indústrias do Estado da Bahia, José de Freitas Mascarenhas, atual presidente da Federação das Indústrias da Bahia (FIEB) e candidato à reeleição venceu o opositor por 94 votos a 30  para os próximos quatro anos (2014 – 2018) .

”MUSICAL GONZAGÃO – A LENDA” ENTRA EM CARTAZ NO TEATRO JORGE AMADO

Espetáculo está em cartaz há mais de um ano.

Espetáculo está em cartaz há mais de um ano.

Depois do enorme sucesso de público e crítica no Rio de Janeiro, São Paulo e Nordeste – com apresentação especial em Exu, cidade natal do Reio do baião –, o musical “Gonzagão – A Lenda”, de João Falcão desembarca em Salvador para 3 apresentações no Teatro Jorge Amado.

Considerado um dos melhores musicais brasileiros, eleito pela Folha de SP e pelo Estado de SP um dos cinco melhores do ano, o espetáculo está em cartaz há mais de um ano e foi vencedor dos prêmios: Prêmio Shell de Teatro 2012 de Melhor Música; do 7º Prêmio APTR de Melhor Produção; Prêmio Qualidade de Melhor Espetáculo; e do Prêmio FITA 2013 nas categorias Melhor Espetáculo (Júri Popular), Melhor Direção e Melhor Figurino.

Nessa montagem, João Falcão apresenta dois novos talentos ao público: Marcelo Mimoso, que narra boa parte da história de Gonzaga no palco e canta a maioria das músicas, nunca tinha assistido a uma peça antes. Filho de sanfoneiro, Marcelo é taxista e também cantor de forró. Foi descoberto pelo diretor João Falcão numa noite em que se apresentava em um bar da Lapa.

O único papel feminino do elenco é de Larissa Luz, o primeiro de sua carreira já que ela não era atriz, mas sim cantora. Descoberta por João, assim como Marcelo Mimoso, Larissa era cantora do famoso grupo baiano AraKetu e esta foi sua estreia no teatro. “Vi Larissa cantando num vídeo de internet que um amigo me mostrou”, conta o diretor que confessa gostar de experimentar pessoas em outras áreas de atuação. “Reconheci ali um talento assim que vi as imagens”. Ainda na agenda de 2014, a montagem terá a honra de abrir o “Festival Ibero-Americano de Teatro de Bogotá”, o maior da América Latina.

O espetáculo

“… O resultado é um espetáculo que a cada episódio da vida, seja ele fato ou ficção, evoca a música que se segue, em um conjunto alegre, que faz o público sentir a força da obra desse compositor/canto/sanfoneiro… ? Gonzagão – A Lenda? é uma agradável e merecida homenagem e evocação de uma figura marcante, cujo sucesso marcou época. As melodias e ritmos do “rei do Baião? que a compõem mostram bem o quão variadas são as formas da imensa riqueza da música popular brasileira.” (Barbara Heliodora – O Globo)

“…Comovente e ao mesmo tempo divertido, o musical “Gonzagão – A Lenda? é um dos mais acertados tributos prestados ao cantor, compositor e sanfoneiro. No maior trunfo do espetáculo, dirigido pelo também pernambucano João Falcão, pequenas subversões evitam o caminho fácil da biografia linear… Com carisma contagiante e boa performance vocal, apresentam mais de 40 canções, escoltados por quatro afiados instrumentistas… ” (*** Rafael Teixeira – Veja Rio)

Oito atores e uma atriz se revezam no palco em uma viagem musical pela trajetória do Rei do Baião. Como em qualquer história de homem que vira mito, a vida de Luiz Gonzaga tem passagens em que as versões de seus biógrafos não convergem, em que realidade e fantasia se confundem, e o autor e diretor João Falcão se sentiu livre para tratar mais do mito do que do homem.

“É a história de Luiz Gonzaga, mas não é Wikipédia”, diz Falcão, que evitou qualquer didatismo na construção do texto, embora tenha lido vários livros sobre um dos artistas mais importantes da música brasileira, morto em 2 de agosto de 1989, cujo centenário de nascimento foi comemorado em dezembro de 2012.

A opção por uma abordagem teatral, não enciclopédica, fica explícita logo no início da peça, quando uma trupe se apresenta para contar a “lenda do Rei Luiz”. Os atores desta trupe anunciam que encenarão uma história iniciada “no sertão do Araripe lá pelos idos do século XX”.

As referências são maciçamente nordestinas, sobretudo pernambucanas. Luiz Gonzaga nasceu no município de Exu, de onde saiu aos 17 anos para ganhar o mundo. João Falcão também é de Pernambuco, da cidade de São Lourenço da Mata. “A festa mais importante da minha casa era a de São João, e São João era Luiz Gonzaga.”

Ele era patrimônio do povo, mais do que qualquer outro artista. “Poucas músicas que estou usando no espetáculo descobri agora. A maioria eu sabia de cor, já sabia tocar”, conta ele, que também é compositor.

Na história do rei do baião, João Falcão se permitiu rebatizar duas mulheres importantes da vida do músico, Nazarena (o primeiro grande amor) e Odaléa (a mãe de Gonzaguinha) como Rosinha e Morena, respectivamente, nomes que aparecem em músicas do compositor.

E ainda se permitiu criar um encontro que nunca aconteceu: Luiz Gonzaga e Lampião, dois mitos nordestinos. Também há espaço para se falar da originalidade de Gonzaga, um artista que, a partir dos ensinamentos de seu pai, Januário, criou em sua sanfona um gênero, o baião, e o transformou em sucesso e patrimônio nacionais.

Dentre as cerca de 40 canções que estão no espetáculo há sucessos como “Cintura fina”, “O xote das meninas”, “Qui nem jiló”, “Baião”, “Pau-de-arara” e sua mais célebre criação, “Asa branca”. De acordo com a linha não dogmática de todo o espetáculo, o grupo não ficou preso à estrutura básica do forró, que é sanfona-triângulo-zabumba.

No conjunto dos quatro instrumentistas virtuoses que atuam no palco, há, além do sanfoneiro (Rafael Meninão) e do percussionista (Rick De La Torre), um violoncelista (Daniel Silva) e um rabequeiro e violeiro (Beto Lemos). Os arranjos de todas as músicas foram elaborados pelos quatro músicos, que por conta da longa temporada estão em grande sintonia e presenteiam a plateia com improvisos em todas as apresentações, um privilégio para o espectador e uma renovação diária para a montagem.

Beto Lemos rouba a cena em “Assum Preto”, em um solo de rabeca que já foi aplaudido durante cinco minutos em cena aberta.

Fonte: Tribuna