Archive for outubro, 2013

EM NOITE DE FESTA, A OBRA DE FERNANDO PESSOA É CELEBRADA NO LANÇAMENTO DO LIVRO DE ZILDA FREITAS

Momentos da festa de lançamento do livro de Zilda Freitas. Em destaque, parte da plateia, o encontro com, o prof. Reinaldo Pinheiro e durante os disputados autógrafos da autora.

Momentos da festa de lançamento do livro de Zilda Freitas. Em destaque, parte da plateia, o encontro com, o prof. Reinaldo Pinheiro e durante os disputados autógrafos da autora.

Alunos, colegas e amigos de todos os segmentos compareceram à Biblioteca Central Nilton Pinto de Araújo na noite desta quarta feira (29)  para a festa do lançamento do livro da professora doutora Zilda de Oliveira Freitas, “Mito e identidade nacional na poética de Fernando Pessoa”. A obra, editada pela Ponto da Cultura, é um estudo crítico e antologia poética sobre a produção literária do poeta português Fernando Pessoa e o resultado da longa caminhada e estudos aprofundados da autora através do acervo pessoano, constituído por milhares de textos insertos em livros, artigos, ensaios e dossiês, levando a carismática e eclética professora a propor a reflexão  sobre as reminiscências do mito em sua poética.

O evento, organizado pela Sagarana Produções, proporcionou momentos de intensa emoção com a homenagem de alguns dos seus alunos e professores convidados, também músicos, que abriram a sessão literária com chorinhos de Toquinho e o fino da MPB, preparando os convidados para a audiência da leitura de alguns dos mais expressivos textos de Fernando Pessoa. Como culminância uma inteligente e didática explanação de Zilda Freitas sobre a decisão de investigar a mitologia na formação do povo português e na obra de Fernando Pessoa.

Os convidados foram levados a perceber a intensidade da dedicação da autora, em constantes viagens pela África e Europa, sua vinculação com a Universidade Aberta de Portugal, na busca das origens dos conceitos míticos da nação portuguesa, inclusive o próprio nome da sua capital. Uma noite memorável. Um brinde à cultura.

“BULLYING” – QUE BICHO É ESSE?

Carlos ÉdenCarlos Eden Meira*

 

 

 

 

Magricela, dentuço, “zarôi”, “branquelo”, ou “quato-ôi” (quatro olhos). Estas eram consideradas minhas características físicas, nos tempos de escola. Um garoto de sete ou oito anos de idade com estes “atributos” numa escola pública, tinha que ser o alvo principal de todas as gozações da molecada. Numa sala de aula com mais ou menos uns cinqüenta alunos, aonde meninos e meninas de idades diversas, em alguns casos chegando a uma considerável diferença na faixa etária, compartilhavam o mesmo espaço diariamente. Era uma época em que pouco se sabia a respeito desse negócio de “trauma psicológico”. Em casa, qualquer tentativa de se queixar desses abusos era considerada “desculpa para não ir para a escola”.

 Na sala de aula, quem tentasse se queixar para a professora, era ameaçado pelos grandalhões com a famosa frase: “te pego na saída”. O jeito era aguentar dentro do possível, procurar se enturmar com os colegas mais ou menos da mesma idade, e tentar ganhar de alguma maneira, um mínimo de respeito dos garotos maiores. Entrar na porrada com algum colega, mesmo sem um motivo justificável, era imprescindível para conquistar algum respeito. Levei muitos cascudos e petelecos de grandalhões de todas as classes sociais, que ali estudavam. Um deles me nomeou seu “limpador particular de borrachas”, pois, limpava sempre suas borrachas sujas de grafite em meu cabelo. Já naquela época, eu gostava de desenhar. Foi o que me valeu, pois, quando a turma descobriu que eu desenhava personagens de quadrinhos (super-heróis ou cowboys), passei a ser um pouquinho menos atormentado. Desenhei muita coisa para os colegas.

Alguns mereciam outros, não. Entretanto, aquela foi a maneira que eu encontrei de me preservar um pouco, daquilo que hoje chamam de “bullying”. As garotas, algumas delas sempre gentis e educadas comigo, e que me pediam para desenhar seus mapas nos trabalhos de geografia, eu atendia sem pestanejar. No entanto, as “piriguetes” daquele tempo, as gostosonas da sala que me esnobavam, mudavam seu comportamento tornando-se falsamente meigas e carinhosas, na hora de me pedir desenhos. Eu, mesmo chateado, acabava atendendo. O quadrinista norte-americano, Robert Crumb, autor do personagem “Mr. Natural” sofreu coisas do “bullying” iguais ou piores do que as minhas, conforme ele descreve em suas HQs. Mas, no final dos anos sessenta, ficou famoso ao ser descoberto pelo pessoal da contracultura e acabou desenhando a capa do disco “Cheap Thrills” da Janis Joplin. Até hoje, ele não entende muito bem o que foi que aconteceu. Há quem diga que o “bullying” ironicamente, também pode funcionar como motivação para despertar suas revoltas em forma de arte, e serve às vezes, como uma maneira de adaptação ou mesmo de sucesso, no meio em que se vive. Depende aí do talento, capacidade de luta e reação da “vítima”. No meu caso, o “bullying” funcionou dentro dos seus padrões traumatizantes. Tornei-me inseguro, tímido, ansioso,  introspectivo, e como se vê, ainda tenho queixas  fazer.

*Carlos Eden Meira é jornalista e cartunista

DISCURSO DE UNIÃO ENCOBRE VERDADEIRA GUERRA DE BASTIDORES ENTRE OPOSICIONISTAS PELA INDICAÇÃO DO CANDIDATO A GOVERNADOR

Se marchar unida oposição ao PT tem chance de ganhar as eleições para o governo da Bahia

Se marchar unida oposição ao PT tem chance de ganhar as eleições para o governo 

Vereador Claudio Tinoco

Vereador Claudio Tinoco

Apesar do discurso afinado em defesa da “união das oposições” no pleito de 2014, lideranças e representantes dos partidos de oposição ao governo Wagner, vêm demonstrando que a aliança pode dar trabalho para ser efetivamente firmada. Em ações tensas e declaradas em favor das lideranças dos respectivos partidos, o vereador Cláudio Tinoco (DEM) e os deputados estaduais Leur Lomanto Júnior (PMDB) e Augusto Castro (PSDB), defendem o protagonismo de suas respectivas forças políticas no comando do projeto sucessório.

Na última quinta-feira (24), Claudio Tinoco declarou que o ex-governador Paulo Souto era o candidato mais

Dep. Leur Lomanto Jr.

Dep. Leur Lomanto Jr.

“provável” do grupo. No dia seguinte, por meio de nota, Leur Lomanto Jr. classificou Geddel Vieira Lima, presidente estadual do PMDB, como o candidato “natural” das oposições e mencionou a “vontade” e “disposição” do ex-ministro. “São fatores primordiais. Para ser candidato, primeiro é preciso querer ser”, disse o peemedebista ao Bahia Notícias. Ao contrário de Geddel, Souto tem desconversado sempre que é questionado sobre a sucessão de Wagner e não manifestou desejo de disputar as eleições do próximo ano. “Respeitando os demais candidatos dos partidos oposicionistas, acho que não tem porque Geddel não ser
candidato. O momento é dele”, opinou o correligionário. Leur Jr. defendeu ainda que, independentemente do escolhido, a decisão ocorra ainda este ano, ou seja dentro de no máximo 60 dias.

Dep. Augusto Castro

Dep. Augusto Castro

Já o tucano deputado estadual Augusto Castro não perdeu a oportunidade e tentou levantar a bola do seu colega de PSDB João Gualberto, ex-prefeito de Mata de São João. “É um nome que unifica o PSDB. Tem viajado por toda a Bahia e representa o novo nesse segmento da oposição”, disse Castro. Considerado “retardatário” na disputa, Gualberto teve destacadas por Castro sua experiência na área empresarial e na gestão pública. “Mata de São João é um município pequeno, mas ele conseguiu bons índices em todos os setores”, avaliou. Sobre a definição do candidato, o tucano previu que o processo deverá ocorrer de forma mais clara entre fevereiro e março. Também postula a condição de candidato o secretário municipal de Urbanismo e Transporte, José Carlos Aleluia (DEM).

A expectativa entre os membros dos partidos oposicionistas é que a batalha “intestina” que se trava buscando cada um a cabeça de chapa para o seu partido não provoque um racha e desintegre a sonhada união. Vale lembrar que nas eleições de 2012, não houve consenso e a união só aconteceu no segundo turno quando o PMDB resolveu apoiar ACM Neto, que acabou vitorioso nas eleições municipais daquele ano. Com informações do site BN

JEQUIÉ: ZILDA FREITAS LANÇA LIVRO SOBRE A POÉTICA DE FERNANDO PESSOA

Zilda Freitas e capa do livroSerá nesta quarta (30), às 19h30 na Biblioteca Central Newton Pinto de Araujo, em Jequié, o lançamento do livro “Mito e Identidade Nacional da Poética de Fernando Pessoa”, da professora Doutora da UESB Campus de Jequié, Zilda de Oliveira Freitas. A professora pesquisadora, que é integrante da União Baiana de Escritores e membro da Academia de Letras de Jequié, discorre sobre a obra do poeta português e sobre seu significado para a literatura universal.

Zilda Freitas é angolana de nascimento, criada na região das montanhas do Rio de Janeiro, na pequena Natividade. Possui Graduação em Letras pela Universidade Federal de Juiz de Fora, Especialização em Docência do Ensino Superior pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Mestrado em Letras pela Universidade Federal Fluminense, MBA em Gestão de Pessoas pela ESAB, Doutorado em Educação pela UNITEC. Atualmente cursa o Doutoramento em Estudos Literários pela Universidade Aberta de Portugal. É poeta, musicista, exímia violonista, tradutora, ensaísta e autora de 20 livros sobre crítica literária, além de ter publicado antologias poéticas, prefácios e artigos em revistas acadêmicas. É professora da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia e ocupa a cadeira 28, na Academia de Letras de Jequié.

Observadora e leitora compulsiva, adotou a frase escrita num mosteiro budista “Só fale se puder melhorar o silêncio”.

Referência entre a intelectualidade jequieense, vive contribuindo para que se possa calar a irrelevância e escutar o silêncio com prazer.

Vale a pena conferir: amanhã, a partir das 19:30h na Bibllioteca Central, à Av. Rio Branco, centro, Jequié, num evento organizado pela Sagarana Produções.

CAVALEIRO DE JEQUIÉ VENCE EQUIPROVAS DA EXPOIPIAÚ

Vinicius Nogueira, montado na égua Belinha, faz pose de campeão

Vinicius Nogueira, montado na égua Belinha, faz pose de campeão

As equiprovas foram uma das grandes atrações da XXVª Exposição Agropecuária que terminou na noite de ontem, domingo (27), com uma avaliação positiva por parte dos seus organizadores. Narrada pelo locutor Junior Mascote a competição reuniu cavaleiros de diversos municípios da Bahia e teve como grande campeão o atleta Vinicius Nogueira, de Jequié, que montado na égua “Belinha”, venceu as provas dos cinco tambores (a mais veloz do torneio) e dos três tambores. Na prova das seis balizas o vencedor foi Adriano, de Barra do Rocha que montou o cavalo “Sem Parêia”. Por ter sido o vencedor do maior numero de provas Vinicius foi considerado o grande campeão e faturou um premio no valor de R$1.000,00 (mil reais). Na corrida de cavalos, páreo dos 300 metros, realizada em pista ao lado do Parque José Thiara, o cavalo Dokinha, montado pelo jóquei  Coelho, venceu, com pequena diferença, o concorrente de Itagibá. (Giro/José Américo Castro).

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE O QUADRO SUCESSÓRIO BAIANO NO TERRITÓRIO DO PT

Preocupados com a concorrência com secretários, deputados petistas pensam em estratégia para 2014

Apesar do espaçoso tempo até as convenções partidárias e da indefinição sobre as candidaturas na majoritária, deputados federais do PT baiano refletem sobre a alta concorrência, embutida no fato de que alguns pré-candidatos estão em pleno exercício em cargos de comando no alto escalão do governo estadual.

Tal realidade leva esses parlamentares a fazer contas sobre o cenário mais favorável para 2014. Mas, não é só no PT. Já há indícios de que deputados da base aliada projetam uma ampla coligação de partidos para um chapão descolados dos petistas por temerem a disputa.

Atualmente o partido do governador Jaques Wagner tem dez deputados federais. Cinco secretários da gestão petista pretendem entrar na briga por um lugar em Brasília, o que pode acirrar a busca por espaços. Estaria sendo questionada a facilidade que estão em cargos executivos nessa concorrência, já que têm o poder da caneta até dezembro. Dezembro é o prazo estabelecido pelo governador para desincompatibilização com o objetivo de equilibrar as forças.

Diante desse quadro, partidos como PP, PRB, PR, PDT, PSD, PTB e Solidariedade podem se unir, deixando o PT para fazer coligação com o PCdoB. (Fonte: Lilian Machado-Tribuna)

Nos bastidores do governo já se tem idéia do pensamento de Wagner: Rui Costa será o escolhido

Embora não admitam oficialmente, todos os pretendentes à candidatura ao governo pelo PT desconfiam de que Rui Costa já foi ungido como nome da legenda à sucessão de Jaques Wagner. Segundo o site Política Livre, “o clima nos QGs de José Sérgio Gabrielli, Walter Pinheiro e Luiz Caetano, se é que chegaram a ser algum dia montados, é de desmobilização total e recolhimento de armas”.

Nos meios políticos, mesmo os governistas, a certeza é de que o atual chefe da Casa Civil de Wagner vai ser anunciado em seguida à posse de Everaldo Anunciação na presidência estadual do PT logo após o PED (Processo de Eleição Direta) de 10 de novembro.

Para o editor do site, Raul Monteiro, fatos ocorridos em sequência, evidenciam o processo que culminará com o anúncio do nome de Rui Costa como candidato a governador do PT. O cancelamento das tradicionais prévias para escolher o candidato, visando a evitar tirar Rui Costa do páreo já que patina em baixos pontos percentuais na preferência dos eleitores, é uma clara evidência das intenções de Wagner.

Outro fato relevante é o empenho do Chefe da Casa Civil em aclamar Everaldo Anunciação como candidato dele à presidência do estadual do partido. E, finalmente, o mais importante deles, a sinalização dada pelo próprio governador, no início do mês, ao convocar uma conversa franca com as principais lideranças petistas sobre a sucessão.

Segundo fontes confiáveis, Wagner evitou fazer imposições, mas, afirmam, ele elevou o tom além do habitual, esclarecendo de uma vez por todas  que a sua opção para 2014 em relação à sucessão é o nome de Rui Costa e pronto.

Conforme foi noticiado na imprensa, Wagner determinou o dia 15 de novembro para anunciar o que já foi decidido na reunião com os líderes do PT e depois com os partidos aliados.

Segundo abalizada opinião, Wagner teria o plano B

Entretanto, alguns especialistas com bastante experiência em analisar o quadro sucessório na Bahia, avaliam que apesar da insistência do governador Jaques Wagner, Rui Costa não conseguirá consolidar o necessário arco de alianças, dentro e fora do PT, aumentando a possibilidade de derrota para uma oposição unida em torno de um só nome, conforme anunciam. Neste cenário, continua o analista, o plano B de Wagner seria a candidatura de Otto Alencar ao governo da Bahia, como ele próprio para o Senado e, quem sabe, Marcelo Nilo ou Mario Negromonte na vice. Mas, afirmo: são apenas especulações.

Fontes: Tribuna, Política Livre, assessorias políticas

LEUR LOMANTO JR. DEFENDE QUE ESCOLHA DE NOME DA OPOSIÇÃO ACONTEÇA ESTE ANO

Leur Lomanto Júnior e Geddel Vieira Lima

Leur Lomanto Júnior e Geddel Vieira Lima

Embora saiba que existem outros postulantes, Leur Jr. trabalha a indicação do peemedebista Geddel por considerá-lo candidato natural do grupo.

Em meio à articulação para um projeto de fortalecimento do grupo de oposição na Bahia, o deputado estadual Leur Lomanto Jr. (PMDB) defende que a escolha do nome para concorrer ao governo deve ser feita ainda este ano. Em entrevista a uma rádio local, o deputado disse que o ex-ministro Geddel Vieira Lima, líder do PMDB baiano deve ser o candidato natural das oposições nas eleições estaduais de 2014. Segundo ele, Geddel tem todas as atribuições para comandar a chapa na disputa ao Palácio de Ondina no próximo ano. “Geddel tem demonstrado disposição, vontade, determinação e profundo conhecimento dos problemas do Estado”, defendeu o deputado ao destacar também que o líder político pôde comprovar sua capacidade administrativa, executando grandes obras importantes no Estado, no período em que exerceu o cargo de ministro da Integração Nacional, no governo federal.

Segundo o parlamentar, Geddel está disposto a marchar junto com os demais partidos que compõem a oposição baiana e com a candidatura a presidente da República que for apoiada por essas mesmas siglas, divergindo inclusive do seu partido nacionalmente.

“Embora tenha muito apreço e respeito pelos demais pré-candidatos oposicionistas, acredito que Geddel deve comandar esse processo de um novo projeto de desenvolvimento para o nosso Estado sob a liderança do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM)”, enfatizou. O deputado lembra ainda a posição favorável do ex-ministro nas recentes avaliações, realizadas pelos institutos de pesquisa. Informações: jornalista Lílian Machado .

ESTOQUE PRECÁRIO E MAL ATENDIMENTO AINDA É A TÔNICA NO HIPER G.BARBOSA DE JEQUIÉ

Hiper G Barbosa jequie

Cada vez mais os clientes do Hipermercado G.Barbosa de Jequié, em especial as donas de casa da região, sentem a diferença na operação de quando o Supermercado Cardoso explorava o segmento.

Os produtos de qualidade, uma das filosofias de ação do Cardoso, sumiram das prateleiras, substituídos, em sua maioria por produtos de marca desconhecida ou com a marca do Supermercado. O estoque, cada vez mais precário revela  faltas constantes na reposição dos produtos de consumo habitual da clientela, além dos preços equivalentes aos das grandes capitais.

Os serviços em sua maioria foram suprimidos. O cliente que utiliza o Hipermercado G.Barbosa na Av.César Borges não conta mais com atendentes para orientação, aqueles que em Salvador utilizam patins; eliminou o serviço de alto-falantes para atender possíveis demandas de utilidade pública, o número de caixas foi reduzido a cerca de 30% do que existia na época do Cardoso; o sistema de ar condicionado foi minimizado, modificando o ambiente aprazível em local de calor infernal. Embora a frequência tenha caído significativamente, uma vez que a maioria das pessoas migrou para o Supermercado Jambo – com atendimento de excelência – ainda assim as filas aumentaram pela falta de funcionários, o caixa preferencial não funciona, transformando a ida ao supermercado, que no passado era um prazer num verdadeiro desconforto.

Mas, o suplício não termina aí. Ao chegar ao caixa, o cliente é informado de que não tem quem faça o empacotamento da mercadoria. Se quiser concluir as compras, a senhora, ou o senhor cliente terão que, eles próprios, embalar os itens adquiridos a preços inacreditáveis, num saquinho plástico cuja abertura é uma verdadeira maratona. De vez em quando a funcionária, de muito mau humor, resolve ajudar a embalar e ainda ensina um gesto para facilitar a abertura dos tais saquinhos: “molha o dedo polegar e o indicador na língua que facilita… Só vai assim, pois a orde da gerência é pra gente ajudar se puder”. Será que estamos num estado democrático de direito? A imposição das regras de funcionamento pode até melhorar os lucros, mas, penaliza o consumidor. Revoltante.

Foi justamente isso que achou um grupo de clientes na manhã desse sábado (26): revoltante. E alguns acabaram se revoltando com o tratamento e mandou chamar o gerente, que se identificou como Sr. Manoel. Pois bem. O Senhor Manoel, gerente do Hipermercado G.Barbosa afirmou que a empresa está analisando a possibilidade de contratar mais pessoas para o serviço, enquanto, ele próprio começava a ajudar o empacotamento em um dos caixas. Quando alguém questionou o comportamento do G.Barbosa em relação a Jequié, comparando-o ao Supermercado Jambo e similares em outros bairros, o Sr, Manoel, como se tivesse ensaiado, falou: “O Jambo é um supermercado local. O G.Barbosa é multinacional, por isso os senhores devem esperar a decisão de colocar ou não mais pessoas para trabalhar”. Nem julgo o comportamento e o despreparo do gerente. O que causa indignação é o conformismo do jequieense, que ainda assim, frequenta um estabelecimento que desrespeita diuturnamente a clientela. Um dos presentes informou que só vai ao G.Barbosa por causa do acesso fácil e estacionamento amplo.

São reflexos dos tempos modernos. Nem numa cidade do interior, de vida pacata, amena e de reconhecida qualidade, escapamos da sanha das multinacionais ávidas por lucro, que não se dão nem ao trabalho de camuflar a usura em suas práticas comerciais. Precisamos nos indignar, denunciar ao Ministério Público, convocar Rotary, Lions, Maçonaria e demais entidades representativas da nossa sociedade para chamar a direção dessa casa comercial que não dispensa o tratamento adequado à população da nossa cidade e das cidades da região que aqui acorrem buscando abastecimento.

25 DE OUTUBRO: ANIVERSÁRIO DO POETA E DATA MAGNA DE JEQUIÉ

Ao registrar em Jequié o dia do aniversário de sua emancipação política, este site estende as homenagens ao poeta Wilson Novais, falecido em 1996, símbolo maior das letras, do jornalismo e da poesia em nossa região e também aniversariante de hoje.

novais-jequie

Quando em 1917 Jequié fazia 20 anos de emancipada, nascia no alto do Maringá, nesta cidade, Wilson de Oliveira Novais. Ainda criança era afeito a leituras de todos os gêneros e de todas as fontes. Adulto observador, sensível, de integridade moral sólida, tornou-se funcionário público federal, poeta, escritor, jornalista, cultor da beleza do Rio de Contas e das montanhas que circundam a sua cidade, passando a ser referência na imprensa combativa e independente, cujos conhecimentos tive o privilégio de desfrutar. Em 1945 fundou, em parceria com seu cunhado e amigo Eunisio Bonfim, o Jornal de Jequié que ainda hoje circula entre nós.

Hoje Jequié completa 116 anos de idade e, o velho poeta, se conosco, neste plano, ainda estivesse, faria hoje 96 anos. Daí os nossos cumprimentos a ambos. A Jequié pela perseverança do seu povo que teima em permanecer na luta em busca do progresso e melhor qualidade de vida, apesar de tudo. Ao poeta Wilson Novais, por ter-nos legado uma bonita historia de talento e empenho diários, de responsabilidade constante e boêmia sazonal, de coragem e equilíbrio permanente na prática do jornalismo independente e combativo. Finalmente pelos versos ainda hoje lembrados pelos admiradores do lençol de prata representado pelo seu Rio caudaloso e perpetuados pela trajetória, também através das letras, dos seus filhos jornalistas Wilson Novaes Jr e Norma Novaes.

Além da poesia composta por seu filho e musicada por Del Feliz, publicada lá em cima, concluo com o poema abaixo da lavra do poeta Wilson Novais em homenagem a Jequié, justamente em um dos aniversários da sua cidade.

Cidade Sol

De morros circundadas. Um sol ardente
Rio de Contas um lençol de prata,
Cantando endechas pelo sol poente
E as noites de luar em serenata.
Datas idas, um moço inconfidente
Fincou na terra brava, em plena mata,
Um marco que redoira o teu presente
Sob um facho de luz que se desata.
A heráldica do teu fidalgo porte
Força em teu povo a sagração viril
Que empolga as caminhadas do teu norte.
Que o teu futuro envolva em glórias mil
Para que envejando a tua sorte
Me abisme nas grandezas do Brasil

25 outubro

JEQUIÉ: PREFEITURA REATIVA FONTE LUMINOSA DA PRAÇA RUI BARBOSA

Fonte Luminosa em recuperação

Fonte Luminosa em recuperação

 

Fonte Luminosa original construída no governo de Reinaldo Pinheiro

Fonte Luminosa original construída no governo de Reinaldo Pinheiro

Depois de dez meses da administração a prefeita Tania Britto finalmente vê concluídas as obras de manutenção da fonte luminosa da Praça Rui Barbosa, criando expectativas sobre a recuperação total daquele equipamento construído pelo então prefeito Reinaldo Pinheiro e que modificou os hábitos da juventude, dos casais de namorados, dos idosos, principalmente nas encaloradas noites jequieenses.

Pode parecer um ato simples, mas a retomada dos trabalhos na área, as ações sobre a praça, relegada ao abandono na administração de Luiz Amaral, se reveste de um simbolismo importante para a população, felizmente agora percebido pela equipe da Dra. Tânia Britto.

Embora ainda não esteja em funcionamento pleno, com todas as luzes e cores originais, a equipe da empresa jequieense Azul Piscina, tendo a frente José Alberto Almeida, vem trabalhando intensamente com acompanhamento permanente do diretor de Serviços Públicos, Renê Andrade, para o restabelecimento da fonte, motivo de alegria e importante atrativo para os frequentadores da praça. Parabéns.