Archive for junho, 2013

APROVAÇÃO À GESTÃO DILMA TEM MAIOR QUEDA E VAI A 30%, APONTA DATAFOLHA

Há três semanas, antes do começo dos protestos, aprovação era de 57%. Pesquisa divulgada pelo jornal ‘Folha de S.Paulo’ ouviu 4.717 pessoas.

dilmaemqueda

 

A aprovação do governo da presidente Dilma Rousseff caiu para 30%, segundo pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (29) pelo jornal “Folha de S.Paulo”. O número de eleitores que consideram o governo bom ou ótimo caiu 27 pontos percentuais desde o início dos protestos no país. Há três semanas, a aprovação era de 57%. De acordo com o instituto, é a maior queda de popularidade registrada desde o início da gestão Dilma.

A pesquisa foi realizada na quinta (27) e sexta (28) com 4.717 pessoas, em 196 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. É a segunda vez desde que a presidente assumiu o cargo, em 2011, que sua avaliação cai acima da margem de erro da pesquisa. Em março, o índice de aprovação do governo atingiu 65%.

O percentual de pessoas que consideram a gestão Dilma ruim ou péssima saltou de 9% para 25%, segundo a pesquisa. A nota média da presidente, numa escala de 0 a 10, caiu de 7,1 para 5,8.

Os entrevistados pelo Instituto Datafolha também avaliaram o desempenho da presidente em relação aos protestos. O levantamento apontou que, para 32%, a postura de Dilma foi ótima ou boa. Outros 38% julgaram como regular e 26% avaliaram como ruim ou péssima.

Diante das manifestações em centenas de cidades brasileiras, a presidente Dilma Rousseff fez um pronunciamento na TV no dia 21 de junho e propôs aos 27 governadores e aos 26 prefeitos de capitais convidados por ela para reunião no Palácio do Planalto, no dia 24, a adoção de cinco pactos nacionais: por responsabilidade fiscal, reforma política, saúde, transporte, e educação.

Plebiscito

A pesquisa Datafolha mostra ainda que 68% dos entrevistados apoiam a ideia de um plebiscito para consultar a população sobre questões ligadas à reforma política. Outros 19% disseram que Dilma agiu mal ao propor a ideia, e 14% não souberam responder.

O instituto diz ainda que 73% dos pesquisados são favoráveis à criação de uma constituinte para elaborar uma reforma política. Sobre esse tema, 15% mostraram-se contrários à proposta.

Economia

O Datafolha também avaliou a expectativa dos entrevistados em relação à inflação: 54% acham que o índice vá aumentar. No último levantamento, 51% afirmaram acreditar no aumento. Para 44% o desemprego vai crescer, enquanto na pesquisa anterior o índice era de 36%. Segundo o instituto, 38% acreditam que o poder de compra do salário vai cair, aumento de 11 pontos percentuais em relação ao último levantamento.

Fonte: O Globo

MORRE EM SALVADOR O PRODUTOR CULTURAL E FUNDADOR DA CASA VIA MAGIA, RUY CEZAR

Ruy era bastante vinculado à nossa região através da sua irmã, a fisioterapeuta Dida Pestana, radicada em Ipiaú e esposa do urologista Valney Pestana.

Fundador da Casa Via Magia, Cezar foi responsável pela realização do Mercado Cultural e Fórum Cultural Mundial

Fundador da Casa Via Magia, Cezar foi responsável pela realização do Mercado Cultural e Fórum Cultural Mundial

Morreu às 5:30 da manhã desta sexta-feira, 28, aos 57 anos, o produtor cultural Ruy Cezar, fundador da Casa Via Magia. Ele estava internado no Hospital Aliança há 10 dias para tratamento de um câncer, que enfrentava há cerca de dois anos.

De acordo com a coordenadora de projetos da Via Magia, Daiane Fontes, o velório acontece durante todo o dia nesta sexta. O artista será cremado neste sábado, 29, às 10h, no cemitério Jardim da Saudade.

Além de produtor, Ruy Cezar era dramaturgo e ator de teatro, e desenvolvia projetos comunitários no bairro do Engenho Velho da Federação.  A Casa Via Magia foi criada por ele para promover a cooperação cultural e o desenvolvimento comunitário, através do estímulo à educação, cultura e da pesquisa pedagógica.

O artista nasceu na Bahia em 1956. Estudou Comunicação na Universidade Federal da Bahia e, em 1979, liderou o processo de reconstrução da União Nacional dos Estudantes (UNE), do qual foi o primeiro presidente do novo momento da organização.

Foi preso, torturado e, aos 22 anos, já havia se tornado uma liderança política de esquerda. Durante 10 anos, desenvolveu projetos em parceria com a Fundação Rockefeller, dos Estados Unidos, criando a Rede Latinoamericana de Produtores Culturais e montando escritórios em todos os países da América Latina e Caribe.

Em 1982, Ruy fundou a Casa Via Magia, em Salvador, que hoje apoia trabalhos de pesquisa da Escola e do Centro de Desenvolvimento de Capacidades, além de promover eventos como o Mercado Cultural e o Fórum Cultural Mundial, que recebeu um público de mais de 100 mil pessoas em São Paulo (2004) e no Rio de Janeiro (2006).

MANIFESTANTES VOLTAM ÀS RUAS NESTA QUINTA

AcordaJequie1Acordajequie3a

                                                                                                          Fotos e efeitos: Lula Martins

Jequié e diversas cidades do país devem voltar às ruas para continuação dos protestos nessa quinta-feira (27). Informações da imprensa dão conta de que pelo menos 12 capitais já confirmaram, através das redes sociais, manifestações pacíficas. Ontem, quarta feira (26), cerca de 80 mil pessoas foram para as ruas em São Paulo, e outras tantas no Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Vitória, Porto Velho, Teresina, Recife, Belém, Porto Alegre, Manaus, Maceió, Rio Branco, Cuiabá, Fortaleza, João Pessoa, São Luís e Palmas. Os atos foram, em maioria, pacíficos. Houve, porém, registro de violência ou confusão em Belo Horizonte, Brasília, Vitória, Porto Velho e Teresina. A manifestação programada em São Paulo para quinta-feira reivindicará mudanças no transporte, saúde e moradia. Os manifestantes devem se reunir no metrô Capão Redondo, a partir das 19 horas. Os demais protestos ocorrerão em João Pessoa, Aracaju, Salvador, Fortaleza, Vitória, Florianópolis, Porto Alegre, Teresina, Belém, Rio de Janeiro, Maceió, Petrolina (PE), Rio das Ostras (RJ), Vila Velha (ES) e Teresópolis (RJ).

Justamente por falta de uma organização formal, como nos episódios anteriores, não existe divulgação sistemática da realização dos eventos nas cidades do interior da Bahia. Aliás, esse fenômeno só valoriza o movimento uma vez que espontaneamente a população acorre aos locais de concentração, compondo um cenário de patriotismo e cidadania nunca vistos no país.

SINJORBA E ARFOC-BA RECEBERÃO DENÚNCIAS DE AGRESSÕES A PROFISSIONAIS NAS MANIFESTAÇÕES

sindicato dos jornalistas

 

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (Sinjorba) e a Associação dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos (Arfoc-Bahia) vão acompanhar nesta quinta-feira, dia 27/06 e no domingo, dia 30/06, as manifestações da população baiana exigindo mudanças politicas e de administração pública, para avaliar a postura da Polícia Militar diante do trabalho dos profissionais de imprensa na cobertura em todo o estado.

O Sinjorba participou juntamente com OAB-Bahia e Associação Baiana de Imprensa de reunião realizada na última terça-feira, dia 25/06, com o governador Jaques Wagner quando a representação sindical expôs os constantes conflitos ocorridos nos últimos anos entre jornalistas e policiais, que resultaram em práticas de abuso de autoridade, prisões, intimidações e ameaças de agressão física.

Ao longo dos anos, a direção do Sinjorba encaminhou documentos com denúncias sobre estes fatos ao comando da PM e à Secretaria de Segurança Pública, mas se ocorreu algum tipo de apuração, não houve resposta ao Sindicato, aos jornalistas e à sociedade. Diante dos fatos expostos, o governador Jaques Wagner, que determinou investigação dos fatos ocorridos contra jornalistas na manifestação do dia 22/06, solicitou que, caso ocorram novos incidentes, a comunicação encaminhada para as representações policiais sejam encaminhadas com cópia para a governadoria.

As entidades pedem aos jornalistas que estarão realizando cobertura das manifestações que mantenham identificações visíveis como roupas personalizadas da imprensa e crachás.

 

STF DETERMINA PRISÃO IMEDIATA DO DEPUTADO NATAN DONADON

Deputado do PMDB de Rondônia foi condenado em 2010 a 13 anos. Plenário rejeitou recurso; ele será 1º deputado em exercício a ser preso.

 

 O deputado Natan Donadon (PMDB-RO), condenado a 13 anos de prisão por desvios (Foto: Leonardo Prado/Agência Câmara)


O deputado Natan Donadon (PMDB-RO), condenado a 13 anos de prisão por desvios (Foto: Leonardo Prado/Agência Câmara)

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decretou nesta quarta-feira (26), por oito votos a um, a prisão imediata do deputado federal Natan Donadon (PMDB-RO). Os ministros decidiram que o processo transitou em julgado, ou seja, terminou e não cabe mais nenhum recurso.

 

Donadon foi condenado em 2010 a 13 anos, 4 meses e 10 dias de prisão em regime fechado pelos crimes de peculato (crime praticado por funcionário público contra a administração) e formação de quadrilha, mas aguardava o julgamento dos recursos em liberdade.

 

Natan Donadon será o primeiro deputado em exercício a ser preso por determinação do Supremo desde a Constituição de 1988. Ainda não há informações sobre o momento exato em que a prisão será cumprida.

Na noite de terça (25), o irmão de Donadon, o deputado estadual de Rondônia Marcos Antônio Donadon (PMDB), foi preso. O mandado de prisão foi cumprido pela Polícia Civil e corresponde à sentença condenatória transitada em julgado envolvendo o deputado no crime de peculato e supressão de documento público.

Donadon já teve o primeiro recurso negado em dezembro do ano passado. Ao julgar um segundo recurso do deputado nesta quarta, o Supremo entendeu que os embargos de declaração (tipo de recurso contra condenações) eram meramente protelatório  e decidiu que ele deveria ser preso.

“Estou votando no sentido de não conhecer os embargos e, por considerá-los protelatórios, pelo reconhecimento do trânsito em julgado (fim do processo), determinando o lançamento do nome do réu no rol dos culpados, expedição do mandado de prisão e comunicação ao juiz da Vara de Execução Penal da área de Brasília”. Disse a ministra Cármen Lúcia, relatora. Read the rest of this entry »

DEPUTADOS DERRUBAM PEC 37 POR 430 VOTOS CONTRA NOVE

pec37-620x465O Projeto de Emenda Constitucional nº 37, que impedia promotores e procuradores de abrir investigações criminais por conta própria, foi rejeitado nesta terça feira (25). A votação na Câmara dos deputados acabou com o score de 430 votos contra nove e duas abstenções, devendo a proposta ser arquivada.

Pela proposta de alteração na carta constitucional, promotores e procuradores não poderiam mais executar diligências e investigações próprias – apenas solicitar ações no curso do inquérito policial e supervisionar a atuação da polícia. A rejeição da proposta era uma das reivindicações dos protestos de rua que se espalharam em todo o país.

Antes de iniciar a votação nominal, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), fez um apelo para que a proposta que limita o Ministério Público, fosse derrotada por unanimidade.

“Tenho o dever e a sensibilidade de dizer a esta casa que todo o Brasil está acompanhando a votação desta matéria, nesta noite, no plenário. E por isso tenho o dever e a sensibilidade de declarar, me perdoe a ousadia, que seria um gesto importante, por unanimidade, derrotar essa PEC”, disse.

Henrique Alves disse ainda “ter certeza” de que os parlamentares voltariam a proposta pensando no que seria melhor para o país.“ Tenho certeza de que cada parlamentar estará votando de acordo com a sua consciência, para o combate à corrupção, o combate à impunidade”, afirmou.

Em discurso no plenário, o líder do PSOL na Câmara, Ivan Valente (RJ), destacou o papel das manifestações populares na derrubada da PEC 37. “Lá na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara a maioria dos deputados era a favor da PEC 37. A maioria desse plenário era a favor da PEC 37. […] Essa PEC vai ser derrubada pelo povo nas ruas”, afirmou.

Todos os partidos orientaram as bancadas para rejeitar a proposta. Ao defender a rejeição da PEC 37, o líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ), afirmou que o partido quer dar uma reposta às manifestações. “Queremos dar uma resposta à sociedade, uma resposta às ruas”, declarou.

Fonte: G1

MOVIMENTO COMEÇA A RENDER FRUTOS: 5 PACTOS E PLEBISCITO PARA CONSTITUINTE DA REFORMA POLÍTICA

box_dilma2

 

Em encontro motivado pelas reivindicações dos movimentos populares em todo o Brasil, 27 governadores e 26 prefeitos de capitais reuniram-se na tarde desta segunda-feira (24) em Brasília com a presidente Dilma. Na pauta a adoção de cinco pactos nacionais (por responsabilidade fiscal, reforma política, saúde, transporte, e educação).

Em relação ao segundo pacto – reforma política –  a presidente apresentou a proposta de convocação de um plebiscito para que o eleitorado decida sobre a convocação de um processo constituinte específico destinado a fazer a tão adiada reforma.

“Quero neste momento propor um debate sobre a convocação de um plebiscito popular que autorize o funcionamento de um processo constituinte específico para fazer a reforma política que o país tanto necessita. O Brasil está maduro para avançar e já deixou claro que não quer ficar parado onde está”, declarou a presidente.

De acordo com a presidente, o processo constituinte seria específico para estabelecer regras da reforma política. Uma reforma política pode produzir mudanças na forma de escolha de governantes e parlamentares, financiamento de campanhas eleitorais, coligações entre partidos, propaganda na TV e no rádio e outros pontos.

A presidente Dilma Rousseff dá sinais de que está mesmo disposta a ouvir a voz das ruas. E ainda há brasileiros, bem pertinho de nós, que acham inadequada a movimentação, que gera indisciplina, vândalos e coisas do gênero. A esses, a própria Dilma está a dar respostas. O Gigante Acordou!

A ação da presidente agradou aos principais líderes dos partidos aliados, mas a oposição, taxando o evento de factoide, lembrou que Dilma já havia defendido uma mudança no sistema político do país ao tomar posse e não mobilizou sua ampla base aliada.

DILMA AGE PARA TENTAR CONTER CRISE, MUDAR OS RUMOS DO GOVERNO E SALVAR A REELEIÇÃO, DIZ ESTADÃO

BH, Rio e Salvador têm confusão; em São Paulo, 35 mil vão às ruas

BH, Rio e Salvador têm confusão; em São Paulo, 35 mil vão às ruas

Em ‘inferno astral’, Dilma testará novo estilo de governo para salvar reeleição. Protestos nas ruas, dólar em alta, popularidade em baixa e aliados em guerra levam presidente, gestora chamuscada, a mudar estratégias

Na pior semana de seu governo, com uma onda de protestos violentos sacudindo o País, inflação em alta e popularidade em queda, a presidente Dilma Rousseff criou uma espécie de gabinete de crise e rompeu o isolamento do Palácio do Planalto. Avessa a negociações e alvo de críticas no Congresso, ela foi obrigada a montar uma agenda de emergência para ouvir as vozes das ruas, conter as insatisfações e abafar o coro do “Volta Lula”, que já começa a ser entoado na seara doméstica para pedir o retorno do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na eleição de 2014. Desde o escândalo do mensalão, em 2005, o PT não enfrenta desgaste tão grande.

Com muitos nós para desatar, Dilma pretende agora testar um novo estilo de governo para tentar virar o jogo e traçar a rota do projeto de reeleição. Ajustes na política econômica para reagir à esperada redução de dólares no Brasil, com o fim do programa de estímulos nos Estados Unidos, e mudanças no núcleo político do Palácio do Planalto são aguardados para o segundo semestre.

Habituada a centralizar decisões e a formular sozinha as principais diretrizes políticas e econômicas, a presidente encerrou a semana com a imagem de gerente desgastada, em meio a uma sucessão de más notícias que deixaram o Planalto atônito. É nesse tumultuado cenário que a presidente terá que negociar com aliados as composições para 2014.

O PMDB convocou reunião de sua Executiva para terça-feira, a fim de discutir a crise e os obstáculos à formação dos palanques com o PT nos Estados, como no Rio de Janeiro. “A coordenação política do governo está sem força e ninguém mais aceita essa história de dois palanques para Dilma”, resumiu o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE).

‘Bicho esquisito’.

“Tem um bicho esquisito aí”, admitiu o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel. “Quem está na chuva é para se queimar e esses protestos também atingiram o PSDB e o governador Geraldo Alckmin”, completou o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, fazendo um trocadilho. “Com certeza, alguma lição vamos tirar dessa catarse”, previu o ministro.

Dos problemas com a demarcação de terras indígenas, passando por boatos sobre o fim do programa Bolsa Família, vaias na abertura da Copa das Confederações, escalada da inflação, “Pibinho”, atritos com o PT e o PMDB e, agora, a fúria nas ruas, tudo pareceu conspirar para o inferno astral do governo, nos últimos dias.

Para recuperar o apoio perdido, Dilma acertou com Lula que mudará a estratégia política, chamando, por exemplo, representantes de movimentos sociais para conversas periódicas. Até agora, ela manteve distância regulamentar de todos.

Concertação.

A presidente também fez um apelo pela “concertação” com o Legislativo e o Judiciário. Sob intenso fogo cruzado, anunciou que vai se reunir com governadores e prefeitos e propôs um pacto nacional, expressão abominada pela esquerda, em torno da mobilidade urbana.

No Congresso, aliados preparam outra estratégia para aprovar projeto de interesse do Planalto que inibe novos partidos, aproveitando a fragilidade de Dilma para cobrar faturas antigas de cargos e emendas.

No diagnóstico do governo, as manifestações que tiveram como origem o aumento das tarifas de transporte coletivo e desandaram para protestos contra tudo o que está aí assumiram contornos perigosos.

A preocupação é com o clima de instabilidade e confronto, num momento de dificuldades na economia, justamente quando as atenções internacionais estão voltadas para o Brasil, que sedia a Copa das Confederações e está prestes a receber a visita do papa Francisco na Jornada Mundial da Juventude, marcada para julho, no Rio.

Para Bernardo, as manifestações mostraram que o povo não se sente representado pela forma tradicional de fazer política. Atropelada por jovens sem partidos, a cúpula do PT tentou pegar carona no movimento e convocou seus militantes para uma passeata em São Paulo, na quinta-feira, com o objetivo de defender “o legado de Lula e Dilma”, após o recuo no aumento das passagens. O gesto foi visto pelo Planalto como “um tiro no pé” porque pôs o PT, Dilma e o prefeito Fernando Haddad, já derrotado politicamente, na mira de novos protestos.

“As reivindicações sobre transportes são legítimas, porque o serviço de ônibus nas grandes cidades é muito ruim”, afirmou Paulo Bernardo. “Protestar contra a corrupção também é legítimo, mas, levantar bandeira contra a PEC 37 é conversa fiada. A imensa maioria nem sabe o que é isso”, constatou o ministro, numa alusão à proposta de emenda constitucional (PEC) que limita o poder de investigação criminal do Ministério Público.

Coro do Volta Lula.

Embora petistas, aliados e até empresários descontentes com o governo ensaiem novamente o “Volta Lula”, o ex-presidente garante que não será candidato, em 2014. Lula antecipou o lançamento de Dilma, em fevereiro, para segurar especulações sobre o seu retorno, mas, nos bastidores do PT, a estratégia foi considerada desastrosa.

Reproduzido do jornal O Estado de São Paulo

ANALISANDO O DISCURSO, CONCLUO QUE ESTÃO COLOCANDO CASCAS DE BANANA NO CAMINHO DA PRESIDENTE DILMA

Dilma discursa

Por Wilson Midlej

No pronunciamento em cadeia nacional na última sexta feira (21) a presidente Dilma Rousseff seguiu à risca o roteiro delineado por sua assessoria. João Santana e equipe tentou desconstruir o discurso vigente em todo o país.

Vamos analisar alguns tópicos do teor do seu discurso editado e transitado no teleprompter:

1 – Vossa Excelência afirmou que o dinheiro dos estádios não é oriundo dos cofres públicos. Que é fruto de financiamento e que será devidamente pago pelas empresas e os governos que estão explorando os estádios. Desculpe, presidente. Isto é conversa: há, sim, dinheiro público nas obras físicas e infraestruturais das arenas. E dinheiro grosso. Os estádios, batizados de Arenas, serão verdadeiros elefantes brancos, que permanecerão ociosos depois do grande acontecimento. Tem sido assim em todos os países que se tornaram sede da copa sem a devida estrutura;

2 – A senhora presidente prometeu também trazer (importar??) médicos do exterior para ampliar o atendimento do SUS (Sistema Único de Saúde). O Brasil não precisa de médicos de fora que nem o nosso idioma dominam! Por aqui faltam profissionais porque o Estado não tem uma política de vinculação profissional decente. Os prefeitos, também responsáveis pelas contratações, dois, três meses depois, passam a atrasar o pagamento ou reduzir os valores combinados. A atitude do governo brasileiro, pelo menos com relação à Cuba, é ideológica: a afinidade do PT com a ditadura dos irmãos Castro é que estimularam a abertura de um novo mercado para os profissionais de lá e não pela qualidade de formação dos médicos cubanos.

3 – Vossa Excelência anunciou a decisão de elaborar um plano nacional de mobilidade urbana, envolvendo os governadores das principais capitais do País. Eu achava que já existia esse plano, não somente em âmbito de governo federal como também em nível dos governos dos estados. Mas, de qualquer maneira, são apenas promessas… como foi o PAC e o Pibão. A Ferrovia Oeste-Leste está aí, enrolada, até hoje. Read the rest of this entry »

EM PRONUNCIAMENTO À NAÇÃO DILMA ANUNCIA PACTO COM GOVERNADORES PARA MELHORAR SERVIÇOS PÚBLICOS

Veja alguns depoimentos logo após o pronunciamento:

“Gostei da serenidade aliada à firmeza, bastante comum às mulheres que sabem honrar os seus propósitos. Torço pra que esta mulher, encarregada da espinhosa missão de governar, entre, e para, as diferenças tenha sucesso. Porque de seu sucesso dependemos nós.”

Mariza Lourenço. Publicado no Facebook

“Se dependesse das autoridades, protesto seria sempre ordeiro. Uma turminha bem comportada, carregando cartazes bem-feitinhos, dando voltas sem fim em algum lugar que não atrapalhe o trânsito ― num Sambódromo, ou quem sabe em um autódromo. Para participar, seria preciso se inscrever, apresentar RG, CPF, serviço militar quitado, Imposto de Renda, atestado de bom comportamento, e não ter antecedentes criminais.
(…) Olha, eu sou o cara mais pacífico do mundo. Mas vamos botar a mão na consciência. O País atravessa uma turbulência que não tem precedentes na campanha pelo impeachment de Collor, ou pelas Diretas. É outro Brasil, outro mundo, são outros descontentamentos e anseios, são outros governantes e manifestantes. Quem protesta não enxerga hoje na tal sociedade civil quem o represente. Nem partidos, nem instituições. Os políticos que marcharam pelas diretas, e contra Collor, hoje estão no poder, e são amiguinhos dos herdeiros da ditadura, e do próprio Collor. É de se estranhar que tenha gente que quer quebrar tudo?”

André Forastieri. Publicado em http://almocodashoras.blogspot.com.br

“Como era de se esperar: a presidente começou dizendo que “as manifestações são coisas da juventude” no intuito de minimizar e desqualificar os movimentos de protesto e indignação que grassam as ruas do pais inteiro, a puxar múltiplas pautas. Ao contrário, sabemos que estavam nas ruas – como diz um conhecido, “de mamando a caducando” – e não apenas os jovens! No mais, segue falando genericamente – com um “melzinho de coruja” na voz e passando a largo de palavras como corrupção e impunidade, expressões repetidas à exaustão em todos os cantos…

Como previ, refere-se à legitimidade das manifestações (dizer ao contrário, quem há de?!) e “joga para a plateia” ao repetir os discursos captados da rua pela sua competente equipe marqueteira. E legitima as reivindicações, no intuito de agradar… Mais uma vez a genialidade baiana se revelou: João Santana se superou!

E aí, digo, (não apenas pra ela, mas pra quem quer enganar) de um jeito bem próprio de minha terra natal: “Quem não te conhece é quem te compra, criatura!”

Jussara Midlej. Publicado em www.fractaisdemim.blogspot.com.br

“Pelo amor de Deus, Presidente. Reforma Política, não. O PT a manipularia, mesmo à sua revelia e oficializaria todas as suas práticas. Vade Retro!”

WIlson Midlej