Arquivo para ‘Arte e Cultura’ Categoria

PROSSEGUE NO AUDITÓRIO DO CEEP REGIS PACHECO, ANTIGO IERP, A 13ª SEMANA ESPÍRITA DE JEQUIÉ

Adenauer Marcos Ferraz Novaes

Sob o tema Espiritismo e Educação: uma nova percepção de mundo, a 13ª Semana Espírita prossegue no CEEP Regis Pacheco, sempre ás 20 horas, com a conferência, na noite desta sexta feira (18), refletindo sobre o tema “A vivência do cristianismo na contemporaneidade” a ser abordado pelo psicólogo e filósofo Adenauer Novaes.

Adenauer é um estudioso da doutrina espírita, diretor-fundador da Fundação Lar Harmonia, em Salvador, instituição filantrópica que acolhe, também o Centro Espírita Harmonia e a Casa de Redenção Joanna de Ângelis. Graduado em Engenharia Civil, Filosofia, Psicologia e pós-graduado em Psicologia Junguiana, trabalha como psicólogo clínico e é autor de vários livros sobre Psicologia e sobre Espiritismo.

Um dos mais esperados conferencistas da 13ª Semana Espírita de Jequié, Adenauer Novaes cultiva fortes laços afetivos com a Cidade Sol.

MORRE UBALDO MARQUES PORTO FILHO, O ESCRITOR DO RIO VERMELHO

Ubaldo Marques Porto Filho deixa como principal legado o seu amor pelo Rio Vermelho

Foi sepultado na tarde desta quarta feira (16) o corpo do administrador e escritor Ubaldo Marques Porto Filho, historiador com vários livros pulicados e uma vida voltada para o bairro do Rio Vermelho. De acordo com informações passadas para o Blog ele sofreu um infarto e estava internado há alguns dias no Hospital Português.

Formado em administração pela Universidade Federal da Bahia, com 27 obras publicadas (14 relacionadas ao Rio Vermelho), Ubaldo foi um dos fundadores da Amarv – Associação dos Moradores e Amigos do Rio Vermelho, e da Academia dos Imortais do Rio Vermelho. A notícia da sua morte deixou o bairro entristecido.

Incentivador e ex-presidente da AMARV, Ubaldo Marques Porto Filho era apaixonado pelo bairro e num trabalho constante agregava sócios para a entidade, que se reunia mensalmente.

Ainda me lembro da última reunião em que estive presente, levado por Lauro Loly. Aconteceu no Bahia Park Hotel, no largo da Mariquita. Ubaldo sempre gentil e receptivo funcionava como um mestre de cerimônias. Da Vila Matos à Fonte do Boi, da Chapada à Paciência, os moradores mais antigos rendiam homenagens ao mineiro que aportou no Red River.

Nota da AMARV

É com tristeza que a Associação dos Moradores e amigos do Rio Vermelho, informa aos seus sócios, amigos e moradores do bairro, o falecimento do Sr. Ubaldo Marques Porto Filho. Fundador e ex- presidente dessa entidade; escritor e historiador do bairro, que descansou ontem no Hospital Português.

Mensagem do professor doutor Héllio Campos – Mestre Xaréu

O Rio Vermelho perde uma expressão singular do Bairro. Ubaldo desde criança se ocupava pelas coisas do Rio Vermelho, mas foi durante a juventude que convivi diuturnamente com Ubaldo, e pude perceber a sua dedicação ao futebol, especialmente ao Clube do Parque como jogador e dirigente. Em seguida se dedicou ao Grêmio da Juventude do RV., festejos do Rio Vermelho, criou a AMARV, a Academia dos Imortais do Rio Vermelho e tantas outras instituições com a finalidade de preservar a memória do bairro, melhorar a infraestrutura e dá visibilidade turística. Inquieto Ubaldo começa a escrever, neste momento tenho em mãos o meu livro favorito de Ubaldo o Rio Vermelho. Ubaldo amplia, sobremodo seus horizontes literários escrevendo vários livros sobre personalidades marcantes do RV. Por mais que escreva e fale, sempre será pouco, muito pouco mesmo traçar a trajetória sobre a fantástica contribuição. Ubaldo um amante inveterado das coisas do Rio Vermelho. Ubaldo Fica com Deus.

Mensagem do jornalista e pesquisador Jorge Ramos

O corpo de Ubaldo Marques Porto Filho será sepultado nesta quarta-feira (16) às 16 h no Cemitério Jardim da Saudade, em Salvador. Ubaldo era filho de Ubá (MG), a terra de Ari Barroso, mas se criou em Cachoeira Bahia, onde seu pai foi durante muito tempo gerente do Banco do Brasil (agência de São Félix) e uma destacada liderança pessoal junto à comunidade, com muitos serviços prestados ao comércio e à sociedade local. Mais tarde, Ubaldo Marques Porto transferiu-se para o Rio Vermelho, bairro que amava e do qual se tornou uma das figuras mais emblemáticas, tendo escrito vários livros sobre Yemanjá, Caramuru, a história dos nomes das ruas do bairro e sobre a presença da Família Taboada na comunidade. Grande pesquisador, era presença cativa no Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, do qual era sócio. Deixa um livro inédito “De UBá a Cachoeira e ao Rio Vermelho”, onde conta a sua trajetória de vida, contextualizando a vida em cada um desses locais onde viveu e amou. Escreveu no ano passado, juntamente com Álvaro Dantas de Carvalho Júnior, o livro “2 de Julho, a Independência da Bahia e do Brasil”. Há poucos dias, no Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, dividíamos informações sobre a figura histórica de Geraldo Rocha ( tio e padrinho político do ex-governador Antonio Balbino), um engenheiro baiano, notável empreendedor, que entre 1907 e 1912 esteve à frente da construção da estrada de ferro Madeira-Mamoré, na região amazônica, e que foi jornalista e dono de jornais e revistas no Rio de Janeiro (A Noite, A Noite Ilustrada, O Mundo Ilustrado). Sobre ele, Ubaldo pretendia escrever a biografia dele e estava na fase de coleta de dados. Que Deus acolha a sua alma!

RÁDIOS BAIANAS ASSINAM ACORDO DE MIGRAÇÃO DA AM PARA FM.

RADIO POVO AGORA TEM A FREQUÊNCIA FM 91.5

Com a recepção em frequência modulada o som da Povo chegará mais limpo aos receptores, ressaltando, ainda mais, a competência da sua equipe, comandada por Fábio Silva.

Depois de longo tempo de espera, as emissoras AM de todo o país conquistam a autorização do Ministério das Comunicações para recepção da Frequência Modulada, as chamadas FM.

A mudança vem corrigir uma distorção prejudicial às emissoras AM, que sofrem com a perda de qualidade do sinal, de audiência e de faturamento e foi agilizada e anunciada pelo ministro Gilberto Kassab, que foi recebido em Salvador por seus correligionários do PSD, o senador Otto Alencar e o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Ângelo Coronel. 

As faixas AM (Amplitude Modulada) e FM (Frequência modulada) são as responsáveis por modular os sinais de radiofreqüência.  A diferença entre elas se caracteriza basicamente pela técnica de produção e estética de programação. … Ela tem uma resposta de freqüência inferior a FM, porém, um alcance maior.

Nove emissoras de rádio da Bahia que funcionam na frequência AM assinaram um termo de migração para FM em evento realizado pelo Ministério da Ciência Tecnologia, Inovações e Comunicações na última sexta feira (11), no Auditório da Federação de Indústrias do Estado da Bahia (Fieb), em Salvador.

Em Jequié, a Rádio Povo, antiga Radio Bahiana de Jequié, foi contemplada com essa transferência, significando uma melhor qualidade na produção e estética da programação que já conta com técnicos, operadores e comunicadores de excelente nível profissional.

Deste espaço, enviamos os cumprimentos aos profissionais da Povo, ao seu diretor Roberto Pazzi e, em especial, aos competentes integrantes da equipe de jornalismo Fabio Silva, Jussiara Oliveira e  Sergio Monteiro.

TENDO A EDUCAÇÃO COMO TEMA CENTRAL, JEQUIÉ PROMOVE A SUA 13ª SEMANA ESPÍRITA

Com o tema “Espiritismo e Educação: Uma nova percepção de mundo” começou na noite desta segunda feira (14), a 13ª Semana Espírita de Jequié, uma iniciativa da Coordenação Regional da 8ª Região, órgão representativo da Federação Espírita da Bahia, em conjunto com os trabalhadores das três casas espíritas, Centro Espírita Alan Kardec, Centro Espírita Bezerra de Menezes e Confraternização Espírita Jequieense.

A solenidade de abertura, que aconteceu no auditório do CEEP Regis Pacheco, antigo IERP, culminou com a conferência do professor Emilson Piau (Salvador-BA) abordando o tema “Existirmos, a que será que se destina” que propõe uma reflexão filosófica do poema que o baiano Caetano Veloso compôs em homenagem ao seu amigo, também compositor, desaparecido aos 28 anos, ao cometer suicídio.

Na mesa diretora dos trabalhos, a presença do prefeito Sergio da Gameleira, do ex-prefeito Reinaldo Pinheiro, das presidentes dos três Centros Espíritas de Jequié, da Coordenadora do CR-8 e do palestrante, professor Emilson Piau.

Flash de um momento de descontração, com convidados e dirigentes espíritas

Nos momentos antecedentes à palestra, ao ser anunciado o orador da noite e o respectivo tema, o professor Reinaldo Pinheiro, convidado especial, surgiu do fundo da plateia cantando a música de Caetano, “Cajuína”, composição que inspirou os programadores do evento, trazendo surpresa, emoção e beleza ao início da solenidade.

Habilmente e demonstrando domínio sobre o assunto, o palestrante abordou os vários aspectos da obra de Torquato Neto, sempre revelando o caráter depressivo das principais composições. Demonstrou que a vida é feita de escolhas, que determinam, inexoravelmente, o grau de felicidade e de sucesso que obteremos ao longo da nossa trajetória. Revelou ainda, numa inferência sobre as mais recentes notícias internacionais, avaliações de especialistas sobre as possibilidades de reviver Hiroshima, caso não haja investimentos nos sentimentos amoráveis e de solidariedade entre os homens e as consequentes mudanças no campo vibratório do planeta.

No final, o professor Reinaldo Pinheiro, ex-prefeito de Jequié, acompanhou ao violão, a professora Jussara Midlej, interpretando a música de Vinicius de Morais, “A Rosa de Hiroshima”.

PARA REFLEXÃO

Roberto Ampuero* 

(Compartilhado de Antonio Magalhães Ribeiro)

 

 

“A experiência do Chile de Pinochet, da Cuba dos Castro e da escrita deste romance me ensinaram algo mais: não há nada que se pareça mais com uma ditadura de direita do que uma ditadura de esquerda… nada mais parecido com o hitlerismo do que o stalinismo…

Para aquele que aguarda o interrogatório em uma célula de segurança do Estado, dá na mesma se seu torturador é de esquerda ou de direita, se é religioso ou ateu, se acredita no comunismo ou na segurança nacional…

O terror e a dor, a angústia e o sofrimento, a impotência e a arbitrariedade que experimentará nesses calabouços serão simplesmente uma afronta à espécie humana. Nesse instante, todas as ditaduras são uma e a mesma, e toda dor que o ser humano sente diz respeito à humanidade em seu conjunto, não importa quais sejam suas convicções políticas.

Enquanto releio este manuscrito, pergunto-me o que leva o ser humano, ou melhor dizendo, o que leva tantos seres humanos a condenar uma ditadura de direita e a celebrar ao mesmo tempo uma ditadura de esquerda. Que retorcido mecanismo mental os conduz a denunciar o abuso, a tortura, a marginalização, o escárnio, o exílio, a repressão e o assassinato daqueles que pensam de modo diferente sob uma ditadura de direita, mas os faz justificar essas mesmas medidas contra aqueles que se opõem a uma ditadura de esquerda?

 O que leva uma pessoa a condenar um general que dirige durante dezessete anos um país andino com mão de ferro e a elogiar em contrapartida um comandante que há 50 anos comanda de igual modo uma ilha? Será que isso se deve à ignorância, à hipocrisia ou ao oportunismo, ou a uma lealdade mal entendida em relação a bandeiras ideológicas, à postergação da realidade diante da utopia e do indivíduo em relação à massa, ou simplesmente à exacerbação extrema da falta de humanidade de nossos dias”?

*Roberto Ampuero foi membro da juventude comunista do Chile e, após o golpe de Pinochet, se exilou na RDA e, posteriormente, em Cuba, por alguns anos. No livro:  “Nossos anos verde-oliva”, Editora Saraiva/Benvirá, São Paulo, 2012, pp 481-482.

ABERTURA DA SEMANA ESPÍRITA DE JEQUIÉ SERÁ NO DIA 14 DE AGOSTO NO CEEP REGIS PACHECO

NASCIDO NA BAHIA, POETRIX MOVIMENTA LITERATURA MUNDIAL COM FORMAS, CORES E DEBATES

Os poetrixtas baianos Goulart Gomes, Jussara Midlej, Gersinio Neto, Djalma Filho, Cristina Amorim, Marco Bastos, Oswaldo Martins, Ronaldo Jacobina, Vera Trindade, assim como a carioca Lilian Maial, entre tantos outros, do Brasil e exterior, integram o grupo de 43 poetas participantes da Antologia Poetrix 5, seleção de sensibilidade e poesia num texto conciso e inteligente. O lançamento será no dia 11 de agosto na Livraria Cultura – Rua Senador Dantas, 45, mezanino, Centro, Rio de Janeiro das 18 às 21 horas e no dia seguinte, 12/8, em São Paulo no Espaço Scortecci – Rua Deputado Lacerda Franco, 96, Pinheiros, das 17:30 às 20:30 horas.

Poesia contra corrupção, fome, injustiças  ou guerras. Poesia que se veste que carrega as compras e até protege o celular. Não é de hoje que o senso comum parou de associar a linguagem poética a uma visão desconectada da vida prática. É com essa proposta que o Movimento Internacional Poetrix (MIP) chega aos 17 anos com histórias pra contar e mais uma antologia. As comemorações já têm data marcada com lançamento da Antologia Poetrix 5 no Rio de Janeiro e em São Paulo, dias 11 e 12 de agosto, respectivamente.

Quinta edição de uma série, o título reúne 43 autores do Brasil, Portugal, Estados Unidos e Colômbia, com textos em português  e inglês. No conteúdo, os integrantes do MIP mostram engajamento e sintonia com seu próprio tempo e colocam em discussão guerras, intolerância, fome, política, corrupção, além dos já tradicionais temas existenciais e afetivos. Esse volume conta com mais de 300 poetrix.

A linguagem poética Poetrix surgiu em 1999, com uma proposta minimalista, conquistando praticantes, no Brasil e no exterior. Em 2002, portanto há exatos 15 anos, seria publicada a primeira antologia, com apresentação dos escritores Alice Ruiz e Aníbal Beça.

De lá pra cá, a irreverência tomou conta do MIP, especialmente na forma, a exemplo do Tautotrix, em que todas as palavras começam com a mesma letra; Acrostrix, no qual as primeiras sílabas de cada verso formam o título; ou Mesostrix, em que as sílabas centrais formam o título. E ainda Videotrix e Grafitrix, com nomes que falam por si. Este último, inclusive, saltou das páginas para a vida do leitor, em formato de canecas, sacolas, capas de celulares, almofadas. Em maio deste ano, alguns autores realizaram uma exposição de Grafitrix em Buenos Aires.

Poetrix

O Poetrix é um terceto contemporâneo de temática livre, com título e um máximo de trinta sílabas. Proposto, inicialmente, como uma evidente alternativa ao hai-kai, mantendo a sua forma em tercetos, mas subvertendo o seu conteúdo, ao admitir título, rimas, figuras de linguagem e um maior número de sílabas. Mais informações: Bula Poetrix no site www.movimentopoetrix.com.br

O MIP já realizou sete concursos literários e publicou seis coletâneas com a participação de poetrixtas do Brasil, Argentina, Uruguai, Colômbia, Venezuela, Estados Unidos, México, Espanha, Portugal, Angola e Suíça. Estimulou a publicação de diversos livros e a divulgação de poetrix na Internet, que já ultrapassa a marca dos 150.000 poetrix publicados por centenas de autores (ver www.recantodasletras.com.br).

Goulart Gomes, o criador da linguagem poética Poetrix, é baiano, administrador de empresas, tem pós-graduação em Literatura Brasileira (UCSAL) e em Gestão de Comunicação Integrada (ESPM-RJ). Trabalhou por quase 20 anos na área de Comunicação Empresarial. Obteve 70 prêmios em concursos de poesia, prosa e festivais de música e participou de 48 coletâneas publicadas no Brasil, Cuba, Espanha, USA, Itália, França e Coréia do Sul e tem trabalhos divulgados em vários outros países. Atualmente é o coordenador geral do Movimento Internacional Poetrix. Como editor alternativo propiciou a publicação de 53 livros e coletâneas de novos autores.

A LUTA POR UM PARLAMENTO INDEPENDENTE!

por Ângelo Coronel*

 

 

 

A sociedade está chegando no limite da paciência para com os poderes constituídos. Os poderes a cada dia vêm perdendo a credibilidade. Estamos no olho do furacão. Todos devem fazer exame de consciência e começar a mudar as atitudes, focando sempre no bem estar da sociedade.

Como parlamentar, defendo que o Poder Legislativo não deva se curvar e tornar-se capacho do Executivo. Tudo o que o Executivo planeja e realiza (empréstimos/convênio para construção de estradas/hospitais/escolas, equipamentos para seguranca, etc), depende da aprovação/autorização do Poder Legislativo, pois sem ela o Poder Executivo deixa de executar.

Qual o chefe de Poder Executivo no Brasil que, quando em público, fala: “Essa obra só está sendo possível realizar pois o Parlamento aprovou?”. Na Bahia, todos os governantes que por aqui passaram, com raríssimas exceções, fizeram alguma menção em público sobre a parceria com o Poder Legislativo.

A sociedade deve ser informada de que o Legislativo é sócio “Fifty-Fifty” quando houver o sucesso nas ações executadas pelo Poder Executivo, proveniente das nossas prévias aprovações/autorizações. Basta de sucesso unilateral.

Não executamos, mas damos o direito e autorização para executar. O Parlamento independente deve ser convidado, previamente, para participar dos debates visando sempre buscar ações que objetivem o bem-estar da sociedade. Na essência, esse deve ser o papel do Parlamento, além do de fiscalizar.

Os governos (Federal, Estaduais e Municipais) preferem o Parlamento fraco e subserviente e acham que, com algumas migalhas, se apropriam do Legislativo. E a pior constatação: na maioria dos Estados…é a verdade.

A independência de um Parlamento não significa briga e sim buscar o respeito mútuo, pois quando há esse respeito a harmonia será sempre imperiosa. Mas quando esse respeito é relegado a cizânia entre os Poderes começa a andar em passos largos.

Os 180 dias que completei estando de plantão à frente da Assembleia Legislativa do nosso Estado tenho tentado mudar esse conceito, apesar de ter encontrado algumas resistências. Mas sinto nos olhos, nos gestos e nas palavras da maioria dos colegas a vontade e a determinação de buscarmos a nossa alforria parlamentar.

Tenho a convicção de que já avançamos muito e já começamos a ganhar o respeito da sociedade, não só com as atividades parlamentares, mas com nossas ações sociais, já com repercussão em outras Assembléias do Brasil. A ALBA, nesse novo tempo e com novas atitudes, está fazendo a sua parte no sentido de dar início ao resgate da classe política.

Ainda se tem tempo. É só querer!

* Angelo Coronel é deputado estadual pelo PSD e presidente da Assembleia Legislativa da Bahia.

CANTOR E COMPOSITOR LUIZ MELODIA MORRE AOS 66 ANOS NO RIO DE JANEIRO

O cantor e compositor carioca Luiz Melodia morreu na manhã desta sexta-feira (4), no Rio de Janeiro, por complicações decorrentes de um câncer na medula. A informação é do colunista musical do G1, Renato Piau, guitarrista que já tocou com o músico. Há pouco mais de um mês, Melodia havia celebrado uma melhora e sua alta médica, após três meses internado no Hospital Quinta D’Or, no Rio de Janeiro, onde se tratava e chegou a fazer um transplante de medula óssea. Segundo o G1, o artista não respondeu bem à quimioterapia e seu estado de saúde agravou na última quinta-feira (3). Durante o tratamento contra o câncer, a casa de Luiz Melodia foi invadida por assaltantes encapuzados, que levaram parte de acervo do músico e amarraram seu filho. Nomeado cidadão soteropolitano, em 2011, o artista chegou a dizer ao Bahia Notícias que o título veio tarde. “Meu primeiro acesso a Salvador foi quando eu conheci o Wally Salomão, uma pessoa muito bacana, um baiano, e depois quando conheci a minha esposa, Jane [Reis]. Eu sou um cara baiano, um ‘baioca’, por isso a brincadeira [risos]”, disse Melodia, cuja esposa tem raízes em Jequié, onde dividindo com Salvador, chegou a viver por um tempo nos anos 1980.

13ª SEMANA ESPÍRITA DE JEQUIE

“Espiritismo e Educação:uma nova percepção de mundo”

O Movimento Espírita de Jequié, convida a comunidade regional para participar da 13ª Semana Espírita de Jequié, que acontecerá de 14 a 20 de agosto de 2017, sempre às 20 horas, com abordagens sobre o tema “Espiritismo e Educação: uma nova percepção de mundo”, com conferências, debates com a participação de estudiosos espíritas da Bahia e de outros estados, culminando com o Seminário no sábado, a partir das 14:30h, em torno do tema “Trajetória Evolutiva: estar humano e ser espiritual, com Lisiane Bahia, de Salvador.

Na quarta feira 16/8, Ana Luiza Gusmão, Sheila Daniela Nascimento, sob a mediação de Jussara Midlej, estarão na “Mesa Temática” discutindo  o lar, como primeira escola do ser.

A abertura, no auditório do CEEP, antigo IERP será às 20 horas do dia 14 de agosto, quando o professor e palestrante espírita, Emilson Piau abordará o tema “Existirmos, a que será que se destina”?

Adenauer Marcos é um dos nossos convidados para falar sobre “A vivência do cristianismo na contemporaneidade”. Será no C.E. Bezerra de Menezes na sexta feira (18).

Imperdível.

Venha viver conosco momentos de aculturamento e emoção.

Veja o vídeo