Arquivo para ‘Reportagem’ Categoria

PROSSEGUE NO AUDITÓRIO DO CEEP REGIS PACHECO, ANTIGO IERP, A 13ª SEMANA ESPÍRITA DE JEQUIÉ

Adenauer Marcos Ferraz Novaes

Sob o tema Espiritismo e Educação: uma nova percepção de mundo, a 13ª Semana Espírita prossegue no CEEP Regis Pacheco, sempre ás 20 horas, com a conferência, na noite desta sexta feira (18), refletindo sobre o tema “A vivência do cristianismo na contemporaneidade” a ser abordado pelo psicólogo e filósofo Adenauer Novaes.

Adenauer é um estudioso da doutrina espírita, diretor-fundador da Fundação Lar Harmonia, em Salvador, instituição filantrópica que acolhe, também o Centro Espírita Harmonia e a Casa de Redenção Joanna de Ângelis. Graduado em Engenharia Civil, Filosofia, Psicologia e pós-graduado em Psicologia Junguiana, trabalha como psicólogo clínico e é autor de vários livros sobre Psicologia e sobre Espiritismo.

Um dos mais esperados conferencistas da 13ª Semana Espírita de Jequié, Adenauer Novaes cultiva fortes laços afetivos com a Cidade Sol.

AMERICA LATINA SUSPENDE DIREITOS POLÍTICOS DA VENEZUELA NO MERCOSUL POR ROMPER A DEMOCRACIA

“Não importa o que se perca de comércio. O que estamos a dizer aqui é: você não pode matar seu povo, não pode cassar direito”, afirmou o chanceler argentino Jorge Faurie.

Suspensa do exercício de membro do Mercosul desde dezembro por descumprir obrigações com as quais se comprometeu em 2012, a Venezuela agora recebeu uma nova sanção por “ruptura da ordem democrática”.

A decisão foi aprovada por unanimidade de dirigentes da America Latina e anunciada neste sábado (5), após uma reunião em São Paulo, da qual participaram representantes do Brasil, da Argentina, do Uruguai e do Paraguai, os quatro países fundadores do bloco.

Com a medida, a reintegração da Venezuela fica mais complicada. Mesmo que passe a cumprir todos os acordos de 2012, o Mercosul só voltará a incorporar o país depois de “restaurada a ordem democrática”, afirmou o documento da reunião.

“Desde que o governo venezuelano enveredou por um caminho que o levou a se afastar cada vez mais da democracia, nossos países, em diversas instâncias, manifestaram preocupação”, afirmou o chanceler brasileiro Aloysio Nunes.

A decisão foi baseada na cláusula do Protocolo de Ushuaia, assinado em 1996, que afirma que os países do bloco devem respeitar a democracia para fazer parte.

A medida coloca o governo de Nicolás Maduro em uma situação ainda mais isolada em relação aos seus pares latino-americanos.

O comunicado não prevê sanções comerciais, mas cada país pode decidir por retaliações próprias conforme seus acordos bilaterais.

Segundo Nunes, o Brasil não suspenderá a exportação de alimentos para a Venezuela, porque agravaria a crise humanitária. O protocolo de Ushuaia não prevê a expulsão de um membro do Mercosul.

“Queremos que a Venezuela volte. Esse é o objetivo. Queremos que ela se reencontre com a democracia”, afirmou o chanceler brasileiro.


 

Declaração de Maduro

Em pronunciamento à Rádio Rebelde da Argentina, Maduro afirmou que “nunca vão tirar a Venezuela do Mercosul”. “Somos Mercosul de alma, coração e vida. Algumas oligarquias golpistas, como a do Brasil, ou miseráveis, como a que governa a Argentina, poderão tentar mil vezes, mas sempre estaremos aí”, disse.

Ele também acusou o presidente argentino Mauricio Macri de estimular um bloqueio comercial e político contra seu país.

“O Macri não só destrói o povo e agride a classe trabalhadora argentina (…), mas também é a ponta de lança da agressão e agora o porta-bandeira da busca por um bloqueio econômico, financeiro, comercial e político como o que fizeram a Cuba nos anos 60”, afirmou.

DEPOIS DA REJEIÇÃO, DEPUTADOS LIVRAM TEMER DE DENÚNCIA POR CORRUPÇÃO E BARRAM INVESTIGAÇÃO NO STF

A Câmara Federal aprovou na noite desta quarta-feira (2) o relatório da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), de autoria do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), que recomendava a rejeição da denúncia da Procuradoria Geral da República por crime de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer.

Esse resultado livra Temer de responder a processo no Supremo Tribunal Federal por corrupção. Agora, Temer responderá no STF somente após a conclusão do mandato, em 31 de dezembro de 2018. O procurador-geral Rodrigo Janot, porém, deverá apresentar outra denúncia contra Temer, por organização criminosa e obstrução de justiça.

Segundo a secretaria da Câmara, votaram 492 deputados dos 513 deputados: 263 a favor do relatório, 227 contra e duas abstenções. Houve 19 ausências. Ainda de acordo com o órgão, um deputado – Adail Carneiro (PP-CE) – está licenciado para tratamento de saúde e não houve convocação de suplente. Com base no regimento da Câmara, o presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) não votou. Leia mais em http://g1.globo.com/politica/noticia/votacao-denuncia-temer-camara.ghtml

Com o grifo para os que são votados na região, veja como votaram os deputados baianos:

Afonso Florence (PT) – NÃO

Alice Portugal (PCdoB) – NÃO

Antonio Brito    (PSD) – NÃO

Antonio Imbassahy (PSDB) – SIM

Arthur Oliveira Maia (PPS) – SIM

Bacelar (PTN) – NÃO

Bebeto (PSB) – NÃO

Benito Gama (PTB) – SIM

Cacá Leão (PP) – SIM

Caetano     (PT) – NÃO

Claudio Cajado (DEM) – SIM

Daniel Almeida (PCdoB) – NÃO

Elmar Nascimento (DEM) – SIM

Erivelton Santana (PEN) – SIM

Félix Mendonça Júnior (PDT) – NÃO

Fernando Torres (PSD) – NÃO

Irmão Lazaro (PSC) – NÃO

João Carlos Bacelar (PR) – SIM

João Gualberto (PSDB) – NÃO

Jorge Solla (PT) – NÃO

José Carlos Aleluia (DEM) – SIM

José Carlos Araújo (PR) – SIM

José Nunes (PSD) – NÃO

José Rocha (PR) – SIM

Josias Gomes (PT) – NÃO

Jutahy Junior (PSDB) – NÃO

Lucio Vieira Lima      (PMDB) – SIM

Márcio Marinho (PRB) – SIM

Mário Negromonte Jr.  (PP) – SIM

Nelson Pellegrino (PT) – NÃO

Pastor Luciano Braga   (PRB) – SIM

Paulo Azi (DEM) – SIM

Paulo Magalhães (PSD) – NÃO

Roberto Britto (PP) – SIM

Ronaldo Carletto (PP) – AUSENTE

Sérgio Brito (PSD) – NÃO

Uldurico Junior (PV) – NÃO

Valmir Assunção       (PT) – NÃO

Waldenor Pereira (PT) – NÃO

ALGUÉM PRECISA CHAMAR A EMPRESA NOVO HORIZONTE À RESPONSABILIDADE

A empresa de ônibus Novo Horizonte volta a ser alvo de críticas pelo péssimo serviço prestado à população. É recorrente a falta de cumprimento dos horários, os ônibus com manutenção precária, atendimento de má qualidade e constantes interrupções das viagens, compõem o cenário que acaba por explicar os frequentes acidentes desta empresa, que tem sede em Conquista. Não por acaso, a reincidência dos acidentes envolvendo transportes de passageiros, aparentemente por falta de manutenção adequada, recai, justamente, sobre a Novo Horizonte.                   

Há muito que a imprensa vem registrando as imperfeições na qualidade do serviço prestado pela referida empresa. Tais comportamentos já culminaram numa grita geral por parte dos passageiros, tendo como consequência a suspensão da concessão da venda de passagens, talvez pela supressão da linha Jequié-Salvador, o mesmo estando para acontecer entre os usuários de Brumado, que, recentemente precisaram dormir na estrada, nas imediações de Simões Filho, porque o ônibus em que viajavam, da Novo Horizonte, quebrou e o socorro só viria no dia seguinte. Segmentos da população do Sudoeste da Bahia, usuários dos ônibus da empresa, já a adotaram um codinome: Horrorizonte! 

É incompreensível os sinais aparentes de complacência ou, ainda, de conivência por parte dos fiscais da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia – AGERBA, permitindo, por exemplo, que em trecho longo, como o de Vitória da Conquista a Barreiras, não conte com ônibus leito, ou sequer, semileito, para viagens noturnas. Isso sem falar que alguns carros, como o que saiu de Conquista para Barreiras, neste sábado, não possui o equipamento “Cinto de Segurança” nas poltronas, obrigando a todos ao risco de, em caso de acidente, ser arremessado para fora do assento. A Agência do Governo da Bahia, ao que parece não conhece os níveis de reclamação que tem como alvo a famigerada Novo Horizonte. No caso de dificuldade de identificar tais erros, a imprensa volta a colaborar:

Neste sábado, dia 8/7, o ônibus convencional, já que a linha não possui carro leito ou semi-leito, que deveria sair às 21:30h de Vitória da Conquista com chegada prevista à Barreiras, pelas 8 horas da manhã, só partiu da Estação Rodoviária às 00:30h pelo fato de, segundo informações de um preposto que não quis se identificar, “por motivo de defeito mecânico no carro do horário”.

Passageiros sob intenso frio, entre estes, idosos e crianças, tiveram que esperar das 21h30m até mais de meia noite, pela necessidade de consertar o referido veículo, pasmem, a própria Estação Rodoviária, numa atitude de extremo desrespeito e humilhação aos usuários dessa empresa, cuja  administração caótica é um atentado à vida dos seus empregados e dos seus passageiros. A viagem, que teve início já na madrugada do dia 9, domingo, transcorreu em clima de expectativa, já que o ônibus, precariamente recuperado, parecia mais uma lata velha, e só chegou ao destino, às 12h15min, isso em poltronas que não reclinam, ônibus barulhento, tornando a viagem um verdadeiro inferno para os que precisam viajar no trecho e não têm alternativas.

A auto Viação Novo Horizonte, pelo menos no que se refere à linha Vitória da Conquista/Barreiras, transformou-se no fatídico expresso da meia noite, dos filmes de espionagem europeus. É incompreensível que as autoridades competentes não cobrem responsabilidade desta empresa, exigindo carros novos, cumprimento de horários, gentileza dos funcionários e, finalmente, segurança para os passageiros.

Esperamos que a AGERBA tome providências. Vamos continuar cobrando eficácia da Horrorizonte. As fontes que se manifestaram serão preservadas.

JEQUIÉ: ADJ É CAMPEÃO DA SÉRIE B E CONQUISTA O TÍTULO DO ACESSO À ELITE DO FUTEBOL BAIANO

Depois de uma campanha irretocável, a Associação Desportiva Jequié, ADJ, conquista o título do campeonato baiano da série B, vencendo a equipe do PFC-Cajazeiras, de Salvador, pelo placar de 3×1. Anteriormente, no dia 2, venceu a primeira partida, no estádio Pituassú, pelo confortável score de 4×1, o que lhe confere o acesso à série A, disputando o título de 2018 entre os clubes de elite da Bahia.

A emoção tomou conta da torcida, que lotou as arquibancadas do estádio Waldomiro Borges, na tarde deste domingo histórico de 9 de julho de 2017. Foram 21 anos de espera, de expectativa de inclusão de Jequié entre os competidores mais importantes do estado.

O resultado obtido demonstra que através da união de todos, pode-se conquistar até mesmo os objetivos considerados impossíveis. Estão, portanto, de parabéns, os atletas, a Paulo Salles e a toda a comissão técnica da ADJ, os integrantes da imprensa, em especial o radialista Waldemir Vidal, aqueles que acreditaram no projeto, estimulando o jequieense a comparecer aos jogos, não apenas as partidas no Waldomirão, mas, principalmente, nos jogos fora do município que, invariavelmente, atraía uma multidão de torcedores até mesmo em cidades distantes, como Teixeira de Freitas, por exemplo. Parabéns ao deputado Leur Lomanto Júnior, sempre presente, sempre otimista quanto ao sucesso da maratona. Parabéns ao prefeito Sergio da Gameleira, que não poupou esforços para resgatar a auto estima do povo de Jequié, depois de tantas e tão desastrosas administrações.

Segundo o jornalista Wilson Novaes, […] a empolgante comemoração na manhã deste domingo, 09, nas dependências do Waldomirão, não foram suficientes para o torcedor extrapolar a sua satisfação com o seu time de futebol. Com o trio elétrico Parajós, saindo das imediações da Praça do Viveiro, por volta das 15h30 e as participações da Banda Marajás, Rosy Banda e outros artistas da terra, a “micareta improvisada” teve continuidade na Praça da Bandeira[…].

Momentos de emoção também viveram os craques e dirigentes do passado que acompanharam todas as fases da trajetória vitoriosa da nova versão da ADJ. Besouro, Maíca, Edmilson, estiveram presentes. Dilermando, aquele que fez o gol da inauguração do estádio Waldomiro Borges, no passado, um dos componentes da célebre dupla Dilermando e Tanajura. A presença do famoso atacante da ADJ dos anos 1980, estimularam os jogadores, mexeu com os brios dos filhos da Cidade Sol. Felizes, também os ex-presidentes, dr. Gilson Manoel Fonseca e Jonas Almeida. Não foi esquecida a participação do saudoso Maneca Sampaio, baluarte da ADJ de tantas campanhas. Parabéns, a todos,

Foi realmente bonito de se ver: a Avenida Rio Branco absolutamente tomada pela onda azul e amarela. Camisas, bandeiras, bonés, era a indumentária comum aos torcedores que viraram foliões atrás do Trio Elétrico Parajós. Atrás do hit dim, dim, dom, dom, executado pelo entusiasmado Rosy e sua Banda.  Todos se sentiam um pouco responsáveis pela conquista, sob o olhar complacente e generoso dos verdadeiros autores da façanha. É assim que o líder se impõe, proporcionando, os que podem,  as ferramentas para a luta, e, uma vez ganha a batalha, dando à massa, a oportunidade de se sentir autor, e os momentos de intensa felicidade à população.

O Jequié voltou! Jequié, voltou!!

IPIAÚ: DECORAÇÃO DO SÃO PEDRO DEMONSTROU QUE HERBERT CAMPOS CONTINUA TALENTOSO

A prefeita Maria das Graças confiou a ornamentação da Festa de São Pedro ao artista plástico Herbeth Campos. E ele mostrou que entende muito do assunto, deu uma resposta aos governos anteriores que desprezaram o seu extraordinário talento.

Trabalhou dia e noite, cobriu a Praça Salvador da Matta com motivos essencialmente juninos, multicoloridos, encantadores. Instalou replicas de vilas em corredores que conduziam ao centro da folia.

Os elogios foram inevitáveis.

Filho do sapateiro Manoel Ferreira Campos e da costureira Maria Pereira Campos, o artista plástico e político Herbeth Emanoel Campos é uma grande referencia sócio-cultural do município de Ipiaú.

Seu nome já está definitivamente inserido na historia local, mas a cidade ainda lhe deve homenagens.

Casado, seis filhos, natural de Santa Inês, no Vale do Jequiriçá, residindo em Ipiaú desde o primeiro ano de vida, Herbeth é de fato um artista nato. Desde cedo mostrou sua inteligência e tendência para o campo das artes, além de um grande dom de oratória.

Encontrou na pintura comercial um meio de sobrevivência e tornou-se requisitado profissional.

Ao tempo em que pintava faixas, cartazes e letreiros, traçava desenhos, derramava sua criatividade em belas telas, aquarelas, retratos, resultados de genialidade que também se expressaram no artesanato.

A política borbulhava na sua alma e não tardou em participar de campanhas eleitorais, engajando em grupos e tornando-se grande articulador, exímio estrategista.

Lançou-se candidato a prefeito, desafiou gigantes, mostrou toda a sua criatividade num marketing político que tornou-se inesquecível.A carrocinha e o pé de chinelo tornaram-se símbolos dessa jornada. Seus discursos sempre foram empolgantes.

Elegeu-se vereador em dois mandatos consecutivos (de 1992 a 1999) e trouxe a sua capacidade inovadora até a Câmara.Criou a Comissão de Direitos Humanos, a Assessoria de Imprensa, o circuito interno de televisão (TV Câmara), combateu cartéis, lutou contra injustiças, sofreu perseguições, foi injustiçado, sobreviveu.

Continua requisitado, consultado, respeitado pelas lideranças políticas inteligentes. Suas consultorias invariavelmente chegam a bons resultados como os que se apresentam em sua arte.

Herbeth Emanoel Campos é um ser humano do bem. Desfraldou a bandeira da simplicidade e por isso adquiriu grandiosidade. Humildemente grandioso, genial em simplicidades.

IPIAÚ: EXPOSIÇÃO DE ARTE E CULTURA PROSSEGUE NO CASARÃO DE ZÉ AMÉRICO

Em mais uma promoção do Coletivo Cultural de Ipiaú, a Exposição de Arte e Cultura, teve inicio no dia 26 de junho no novo espaço cultural “CASARÃO DE ZÉ AMÉRICO”. O imóvel, cuja recuperação e adaptação teve a participação da Prefeitura de Ipiaú, contando inclusive com a prefeita Maria das Graças Mendonça na abertura do evento, pertenceu aos ancestrais do jornalista José Américo Castro e foi a primeira casa construída em Ipiaú. A programação teve sequência na noite desta terça feira (27), com intensa visitação, pela população de Ipiaú e Região, das obras de arte que ocuparam 5 salões do Casarão, com quadros a óleo sobre telas, desenhos a mão livre, máscaras artesanais de material variado, esculturas, fotografias temáticas, retratos a pincel, mandalas etc.  

Na parte externa, sob toldo de proteção, a plateia acompanhava, atenta, a apresentação da tradicional manifestação cultural de “Reisado”, “Bumba-Boi” e “Mulinha de Ouro”, colaboração do grupo São Francisco de Folia de Reis, do Projeto Raiz do Umbuzeiro, coordenado pela professora ipiauense, radicada em Manoel Vitorino, Nilceia Hohlenwerger num belo espetáculo encenado pelo grupo da cidade de Manoel Vitorino. A dança rítmica e alegre criou o clima de festa e beleza de cores na cantoria nordestina. Apesar de cada vez mais raro, o espetáculo, cuja existência, hoje, é bastante reduzida, proporcionou a empolgação dos que assistiram ao desempenho do grupo composto por mulheres e homens de todas as idades. A presença de idosos, rapazes, moças e crianças, é uma tentativa de preservação da tradição milenar do Reisado no sertão brasileiro.

O evento no Casarão proporcionou, também, o encontro entre amigos queridos.

Outra atração muito aplaudida na noite de ontem foi a encenação da peça teatral “Histórias de Cabaré”, pelo grupo de teatro da Ong Cultural Maktub de Ilhéus, cujo texto narrou trechos da obra de Jorge Amado, “Gabriela, Cravo e Canela”, bem como fez críticas sociais e políticas, além de promover a interação com a plateia em sketchs  improvisados, sátiras jocosas entre os presentes e os frequentadores da famosa boate ilheense do século passado.

O ponto negativo foi a introdução, no texto da peça, de jargões e palavras de ordem político-partidária, absolutamente fora de contexto.

O Coletivo Cultural e o Casarão de Zé Américo se consolidam como importante instrumento de promoção cultural, haja vista que no evento programado, iniciado no dia 26 de junho e a ser encerrado no dia 29, várias linguagens culturais foram utilizadas, demonstrando que a arte é um viés significativo para agregar pessoas de todos os níveis e criar massa crítica qualificada para a deflagração de movimentos sociais e políticos na comunidade. Na programação elaborada pelo Coletivo cultural consta, para hoje, 28, o festival de música instrumental, além do ensaio da Quadrilha Junina.

Apoio: Doce Mel, Farmácia Bahia, Território Médio Rio das Contas, Educar Educacional, Ortooticas, Pousada Cardoso, Reinaldo Magalhães, Padre Marcio, Prefeitura de Manoel Vitorino, Schincariol, Juarez Compra de Cacau, Padaria Rodrigues, Panorama Ipiaú (Beto Marques), Celso Rommel, RS Supermercado, Aceserv Dutinho.

LANÇAMENTO DO LIVRO “PORTAS DO ÉDEN” REVIVE OS MOMENTOS CULTURAIS DE IPIAÚ EM TEMPOS ÁUREOS

O salão do plenário da Câmara Municipal de Ipiaú esteve lotado na noite desta sexta feira (16) participando do lançamento de “Portas do Éden – a Poética de José Américo Castro e o Imaginário Coletivo de Ipiaú”. O livro, organizado e produzido pelo advogado, professor Paulo Andrade Magalhães, em parceria com a Editora Nós e Vós, reúne um significativo conteúdo com textos do jornalista e poeta José Américo da Matta Castro, e conta, também, com a prosa e poesia de vários ipiauenses e contemporâneos, em um conjunto de depoimentos sobre temas variados que envolvem Ipiaú em todos os tempos.

Foto Vicente Andrade (Blog Bote Fé)

A surpreendente programação coordenada pelos integrantes do grupo Coletivo Cultural preencheu a noite com talento e qualidade. Compositores, cantores, atores, poetas e instrumentistas se apresentaram com pronunciamentos, recitais e esquetes rápidos e inteligentes, relativos ao Cine Éden e ao autor. Foi assim com o grupo Concriz, da cidade de Maracás, os violonistas Caio Novaes na abertura e Paulo César Andrade (Caco), no encerramento.

“Portas do Éden” propõe um diálogo entre a literatura, a história sócio-cultural, as memórias e imagens de Ipiaú, através das narrativas do jornalista e poeta que assina a autoria e de grupos sociais da cidade, com seus hábitos e costumes; ideias e valores, gostos, comportamento, símbolos, sentimentos e sensações.

Na mesa diretora dos trabalhos, o organizador do livro, Paulo Magalhães, o ex-ministro da Cultura Juca Ferreira, a Secretária Municipal de Governo de Ipiaú, representando a prefeita Maria das Graças Mendonça, os vereadores Josenaldo de Jesus e Cláudio Nascimento, o primeiro representando a presidência do Legislativo, que se revezaram, em pronunciamentos curtos e objetivos, enaltecendo a iniciativa da obra.

O evento contou também com a presença do cineasta ipiauense Edson Bastos, autor do movimento “Por um novo Cine Éden”, do presidente da Academia de Letras de Jequié, Júlio Lucas, do diretor de Cultura do Município de Ipiaú, Marcelo Batista, do diretor do Território do Médio Rio de Contas, José Mendes da Silva, da totalidade dos membros do Coletivo Cultural, representado na Mesa por Ivan Santos e da ACENE – Associação Cultural Euclides Neto, do ex-deputado e ex-presidente do Conselho Nacional dos Produtores de Cacau, Ewerton Almeida, Tom Legal, que em seu pronunciamento teve oportunidade de reviver episódios do passado, inclusive envolvendo o ex-ministro Juca Ferreira, levando aos presentes um pouco da história de Ipiaú.

Foto Vicente Andrade (Blog Bote Fé)

Dois momentos de destaque: a participação do grupo cultural de Maracás, “Comcris” que declamou poesias de autoria de José Américo e outros autores bem assim o emocionante texto do jornalista, poeta e escritor Sergio Mattos, de quem José Américo foi aluno no curso de graduação de jornalismo na UFBA.

Emocionado, o jornalista, poeta e agora escritor, José Américo Castro, agradeceu a presença de todos, transferiu as homenagens  recebidas ao verdadeiro promotor do evento, o advogado Paulo Magalhães, seu amigo de infância, companheiro de agitações culturais ressaltou, ao concluir, a atual efervescência cultural de Ipiaú e a importância da luta coletiva.

CIPE CENTRAL AGORA TEM TORRE DE TREINAMENTO EM SUA SEDE

Ambientação da torre de treinamento da CIPE concluída neste sábado, 03

A sede da CIPE CENTRAL localizada no bairro Jequiezinho, passou a contar a partir deste sábado, 3, de uma torre destinado à preparação da tropa para abordagens verticais e trabalhos em altura. Em mensagem postada nas redes sociais, o Major PM Fábio Rodrigo, comandante da unidade destaca que o equipamento além de sua utilidade prática passa a representar um marco na identificação visual corporação militar.

Tráfico de drogas

Em ação no distrito de Itajuru, município de Jequié, uma guarnição da CIPE CENTRAL recebeu informe através do app Whatsapp de que um ex-presidiário conhecido pela alcunha de “Ipiaú”,  estava traficando drogas naquela localidade rural. Ao chegarem no local, os policiais identificaram e abordaram Elivelton Rodrigues Moreira, 34 anos, que indicou uma casa de sua propriedade na Rua Dois de Julho, onde foram encontradas, 37 balas de maconha, pesando cerca de 150 g, 02 tabletes prensados com 675,40g de maconha, 80g de crack , 12,40g de cocaína,  05 sacos de maconha in natura, 01 balança de precisão, R$ 114,50 em espécie, 01 corrente prateada, 01 canivete e 01 par de óculos pretos marca Chillibeans. O suspeito e o material apreendido foram apresentados na Delegacia de Policia de Jequié.

RIO NOVO TÊNIS CLUBE: IMPORTANTE SÍMBOLO DE MANIFESTAÇÕES CULTURAIS E ENTRETENIMENTO DE IPIAÚ FINALMENTE SERÁ RESGATADO

A fotografia do degradado salão do RNTC causa tristeza.

O velho salão do RNTC. Aí eu assisti, comovido, o bailado de doutor Salvador e dona Zélia, sob o ritmo de “Perfídia” e “La Barca”, entre tantas; Lourival Panelli e Magnólia, em leves passadas de encantada harmonia, dançando “Besame Mucho”. Nesse lugar mágico, vi, com os olhos embaçados, sob efeito do “Mussambê” de Jacó, vendido clandestinamente, o sempre tímido Benel Lessa com os braços abertos, no salão lotado, cantando “Quanto riso, quanta alegria”…

Benedito Lessa, Jussara e Wilson Midlej (Micareta no RNTC)

Pois é, aquele salão imenso da minha adolescência, agora transformado numa salinha em decadência, o suntuoso cenário das festas de debutantes, hoje sem o teto, sem lustres e luzes em profusão, como uma princesa sem dentes e sem coroa…

Pode-se ver, na foto, o palco onde “Os Ímpares” cantavam igualzinho aos cabeludos ingleses de Liverpool, a “grande” orquestra “Los Mariachos”, ou a voz potente e inconfundível de Agnaldo Timóteo. O ponto de atração de todos os olhares é, hoje, apenas um contorno verde emoldurando um buraco escuro.

Eis que, o grupo denominado Coletivo Cultural, inspira e motiva o vereador Claudio Nascimento. Essa união faz eclodir o movimento vitorioso pelo resgate do Rio Novo Tênis Clube, assim como outros símbolos culturais de Ipiaú. A própria existência de quase cinquenta pessoas debruçadas diuturnamente, em reuniões semanais, debatendo o tema, já representa a pulsação da vida cultural antes tão intensa no município.

Essa luta, que foi a luta do professor Altino Cerqueira, Mappin, do Mestre Lôla, de Euclides, Hidelbrando, doutor Salvador e Tatai, a luta de Fauzi Maron, Lula Martins, Zebrinha, Regina Matta, Lúcio Vieira é a luta do restabelecimento dos valores ipiauenses.

Sob o olhar aprovador de uma prefeita que nem nasceu em Ipiaú, o movimento cresce e floresce. Apesar da inexplicável ausência física de Maria das Graças Mendonça, talvez aconselhada a ter cautela com o frisson dos artistas… Se assim foi, seus conselheiros esqueceram que esta é a luta da cidadania que ela tanto se apegou para a acachapante vitória conquistada.

Venha, prefeita. Se junte aos que buscam consolidar a arte e a cultura do povo: convém evitar que esse movimento se ressinta da sua importante presença, justamente quando a vitória parece estar bem perto. Você merece, por sua conduta, ter sua imagem emoldurada pelo viés cultural, motivo da luta de tanta gente. Apesar de tudo, parabéns por sua sensibilidade, prefeita.

De parabéns a Câmara de Vereadores, a vice prefeita Margarete Chaves, o Coletivo Cultural, os artistas, poetas e menestréis de Ipiaú e de toda a região.

 

Veja o vídeo