Arquivo para ‘Reportagem’ Categoria

LANÇAMENTO DO LIVRO “PORTAS DO ÉDEN” REVIVE OS MOMENTOS CULTURAIS DE IPIAÚ EM TEMPOS ÁUREOS

O salão do plenário da Câmara Municipal de Ipiaú esteve lotado na noite desta sexta feira (16) participando do lançamento de “Portas do Éden – a Poética de José Américo Castro e o Imaginário Coletivo de Ipiaú”. O livro, organizado e produzido pelo advogado, professor Paulo Andrade Magalhães, em parceria com a Editora Nós e Vós, reúne um significativo conteúdo com textos do jornalista e poeta José Américo da Matta Castro, e conta, também, com a prosa e poesia de vários ipiauenses e contemporâneos, em um conjunto de depoimentos sobre temas variados que envolvem Ipiaú em todos os tempos.

Foto Vicente Andrade (Blog Bote Fé)

A surpreendente programação coordenada pelos integrantes do grupo Coletivo Cultural preencheu a noite com talento e qualidade. Compositores, cantores, atores, poetas e instrumentistas se apresentaram com pronunciamentos, recitais e esquetes rápidos e inteligentes, relativos ao Cine Éden e ao autor. Foi assim com o grupo Concriz, da cidade de Maracás, os violonistas Caio Novaes na abertura e Paulo César Andrade (Caco), no encerramento.

“Portas do Éden” propõe um diálogo entre a literatura, a história sócio-cultural, as memórias e imagens de Ipiaú, através das narrativas do jornalista e poeta que assina a autoria e de grupos sociais da cidade, com seus hábitos e costumes; ideias e valores, gostos, comportamento, símbolos, sentimentos e sensações.

Na mesa diretora dos trabalhos, o organizador do livro, Paulo Magalhães, o ex-ministro da Cultura Juca Ferreira, a Secretária Municipal de Governo de Ipiaú, representando a prefeita Maria das Graças Mendonça, os vereadores Josenaldo de Jesus e Cláudio Nascimento, o primeiro representando a presidência do Legislativo, que se revezaram, em pronunciamentos curtos e objetivos, enaltecendo a iniciativa da obra.

O evento contou também com a presença do cineasta ipiauense Edson Bastos, autor do movimento “Por um novo Cine Éden”, do presidente da Academia de Letras de Jequié, Júlio Lucas, do diretor de Cultura do Município de Ipiaú, Marcelo Batista, do diretor do Território do Médio Rio de Contas, José Mendes da Silva, da totalidade dos membros do Coletivo Cultural, representado na Mesa por Ivan Santos e da ACENE – Associação Cultural Euclides Neto, do ex-deputado e ex-presidente do Conselho Nacional dos Produtores de Cacau, Ewerton Almeida, Tom Legal, que em seu pronunciamento teve oportunidade de reviver episódios do passado, inclusive envolvendo o ex-ministro Juca Ferreira, levando aos presentes um pouco da história de Ipiaú.

Foto Vicente Andrade (Blog Bote Fé)

Dois momentos de destaque: a participação do grupo cultural de Maracás, “Comcris” que declamou poesias de autoria de José Américo e outros autores bem assim o emocionante texto do jornalista, poeta e escritor Sergio Mattos, de quem José Américo foi aluno no curso de graduação de jornalismo na UFBA.

Emocionado, o jornalista, poeta e agora escritor, José Américo Castro, agradeceu a presença de todos, transferiu as homenagens  recebidas ao verdadeiro promotor do evento, o advogado Paulo Magalhães, seu amigo de infância, companheiro de agitações culturais ressaltou, ao concluir, a atual efervescência cultural de Ipiaú e a importância da luta coletiva.

CIPE CENTRAL AGORA TEM TORRE DE TREINAMENTO EM SUA SEDE

Ambientação da torre de treinamento da CIPE concluída neste sábado, 03

A sede da CIPE CENTRAL localizada no bairro Jequiezinho, passou a contar a partir deste sábado, 3, de uma torre destinado à preparação da tropa para abordagens verticais e trabalhos em altura. Em mensagem postada nas redes sociais, o Major PM Fábio Rodrigo, comandante da unidade destaca que o equipamento além de sua utilidade prática passa a representar um marco na identificação visual corporação militar.

Tráfico de drogas

Em ação no distrito de Itajuru, município de Jequié, uma guarnição da CIPE CENTRAL recebeu informe através do app Whatsapp de que um ex-presidiário conhecido pela alcunha de “Ipiaú”,  estava traficando drogas naquela localidade rural. Ao chegarem no local, os policiais identificaram e abordaram Elivelton Rodrigues Moreira, 34 anos, que indicou uma casa de sua propriedade na Rua Dois de Julho, onde foram encontradas, 37 balas de maconha, pesando cerca de 150 g, 02 tabletes prensados com 675,40g de maconha, 80g de crack , 12,40g de cocaína,  05 sacos de maconha in natura, 01 balança de precisão, R$ 114,50 em espécie, 01 corrente prateada, 01 canivete e 01 par de óculos pretos marca Chillibeans. O suspeito e o material apreendido foram apresentados na Delegacia de Policia de Jequié.

RIO NOVO TÊNIS CLUBE: IMPORTANTE SÍMBOLO DE MANIFESTAÇÕES CULTURAIS E ENTRETENIMENTO DE IPIAÚ FINALMENTE SERÁ RESGATADO

A fotografia do degradado salão do RNTC causa tristeza.

O velho salão do RNTC. Aí eu assisti, comovido, o bailado de doutor Salvador e dona Zélia, sob o ritmo de “Perfídia” e “La Barca”, entre tantas; Lourival Panelli e Magnólia, em leves passadas de encantada harmonia, dançando “Besame Mucho”. Nesse lugar mágico, vi, com os olhos embaçados, sob efeito do “Mussambê” de Jacó, vendido clandestinamente, o sempre tímido Benel Lessa com os braços abertos, no salão lotado, cantando “Quanto riso, quanta alegria”…

Benedito Lessa, Jussara e Wilson Midlej (Micareta no RNTC)

Pois é, aquele salão imenso da minha adolescência, agora transformado numa salinha em decadência, o suntuoso cenário das festas de debutantes, hoje sem o teto, sem lustres e luzes em profusão, como uma princesa sem dentes e sem coroa…

Pode-se ver, na foto, o palco onde “Os Ímpares” cantavam igualzinho aos cabeludos ingleses de Liverpool, a “grande” orquestra “Los Mariachos”, ou a voz potente e inconfundível de Agnaldo Timóteo. O ponto de atração de todos os olhares é, hoje, apenas um contorno verde emoldurando um buraco escuro.

Eis que, o grupo denominado Coletivo Cultural, inspira e motiva o vereador Claudio Nascimento. Essa união faz eclodir o movimento vitorioso pelo resgate do Rio Novo Tênis Clube, assim como outros símbolos culturais de Ipiaú. A própria existência de quase cinquenta pessoas debruçadas diuturnamente, em reuniões semanais, debatendo o tema, já representa a pulsação da vida cultural antes tão intensa no município.

Essa luta, que foi a luta do professor Altino Cerqueira, Mappin, do Mestre Lôla, de Euclides, Hidelbrando, doutor Salvador e Tatai, a luta de Fauzi Maron, Lula Martins, Zebrinha, Regina Matta, Lúcio Vieira é a luta do restabelecimento dos valores ipiauenses.

Sob o olhar aprovador de uma prefeita que nem nasceu em Ipiaú, o movimento cresce e floresce. Apesar da inexplicável ausência física de Maria das Graças Mendonça, talvez aconselhada a ter cautela com o frisson dos artistas… Se assim foi, seus conselheiros esqueceram que esta é a luta da cidadania que ela tanto se apegou para a acachapante vitória conquistada.

Venha, prefeita. Se junte aos que buscam consolidar a arte e a cultura do povo: convém evitar que esse movimento se ressinta da sua importante presença, justamente quando a vitória parece estar bem perto. Você merece, por sua conduta, ter sua imagem emoldurada pelo viés cultural, motivo da luta de tanta gente. Apesar de tudo, parabéns por sua sensibilidade, prefeita.

De parabéns a Câmara de Vereadores, a vice prefeita Margarete Chaves, o Coletivo Cultural, os artistas, poetas e menestréis de Ipiaú e de toda a região.

 

DONO DA JBS GRAVA TEMER DANDO AVAL PARA COMPRA DE SILÊNCIO DE CUNHA

Michel Temer – Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom Agência Brasil

Segundo informações do jornalista Lauro Jardim, do jornal O Globo e divulgada pela Globonews, a gravação tem “poder de destruição igual ou maior que a da Odebrecht”

Joesley Batista e o seu irmão Wesley, donos da JBS, a maior produtora de proteína animal do planeta, gravaram o presidente Michel Temer (PSDB) dando aval para compra de silêncio de Eduardo Cunha (PMDB).

Segundo O Globo, repercutido na Globonews noite desta quarta-feira (17), a gravação, que já foi apresentada ao ministro Edson Fachin, relator da Lava-Jato, e é um dos conteúdos da delação premiada da dupla e que tem “poder de destruição igual ou maior que a da Odebrecht”.

No depoimento, os irmãos contam que Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley.

Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. Diante da informação, Temer incentivou: “Tem que manter isso, viu?”.

NOVOS DEPOIMENTOS DO CASAL JOÃO SANTANA E MONICA MOURA AGRAVAM SITUAÇÃO DE DILMA E LULA NA LAVA JATO

Os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff cairam em desgraça na Lava Jato. Os petistas foram mortalmente delatados pelo casal de marqueteiros João Santana e Mônica Moura. Instados pelas circunstâncias o casal de marqueteiros João Santana e Mônica Moura fazem acordo de delação premiada afirmam que o ex-presidente Lula e a ex-presidente Dilma não apenas sabiam dos pagamentos através do caixa 2 das empreiteiras para a campanhas de 2010 e 2014, mas, monitoravam todas as fases do processo de captação e distribuição dos recursos de origem ilícita.

Em delação premiada Mônica moura compromete Dilma e entrega imagem de e-mail criado para conversas secretas com a ex-presidente

Em conversa animada e descontraída, a empresária Monica Moura, delatora na Operação Lava Jato, contou detalhes dos momentos em que esteve intermediando os pagamentos e entregou ao Ministério Público Federal um registro com as imagens do e-mail que diz ter usado para trocar mensagens com a ex-presidente Dilma Rousseff. As fotografias estão em uma Ata Notarial lavrada em 13 de julho de 2016 no 1º Tabelionato Giovannetti em Curitiba.

Monica afirmou em delação premiada que criou “no computador da presidente” uma conta de e-mail com nome e dados fictícios, com senha compartilhada entre as duas e o ex-assessor de Dilma Giles Azevedo.

Monica é casada com o publicitário João Santana. O casal de marqueteiros fez as campanhas presidenciais de Lula (2006) e Dilma (2010 e 2014). Eles foram presos na Operação Lava Jato e fecharam acordo de delação premiada para se livrar da cadeia.

Segundo a delatora, ela e a então presidente combinaram que, se houvesse notícia sobre avanço da Lava Jato em relação ao casal, o aviso seria feito através desse e-mail. As mensagens escritas pela presidente ficariam na caixa de rascunhos do e-mail, para não circularem, e Mônica acessaria a conta de onde estivesse.

A solicitação do registro das imagens foi feita, segundo o documento, por Felipe Pedrotti Cadori. Na Ata Notarial, o funcionário do Tabelionato afirma que às 15 horas e 14 minutos, acessei o sítio “http://www.gmail.com”, e, após o solicitante efetuar login com usuário e senha, acessei referido e-mail, registrando a rotina sugerida na forma a seguir, do que dou fé.

Do documento constam três imagens. Em uma delas, há um rascunho de e-mail “2606iolanda@gmail.com” com uma mensagem de 22 de fev: “Vamos visitar nosso amigo querido amanha. Espero não ter nenhum espetáculo nos esperando. Acho que pode nos ajudar nisso, né?”.

Monica Moura declarou em papel assinado de próprio punho e entregue à Procuradoria-Geral da República que a senha de acesso ao e-mail 2606iolanda era iolanda47′.

Segundo ela, foi Dilma quem sugeriu o nome Iolanda em alusão à mulher do ex-presidente Costa e Silva – um dos generais da ditadura. Ainda segundo a delatora, 47 é o ano de nascimento da petista.

“Para preservar a existência da conta de e-mail, enquanto a colaboradora se encontrava presa, a senha de acesso foi trocada para “lice1984″, que permanece até hoje”, afirmou.

Segundo João Santana em sua delação premiada, Lula quis afastar Graça Foster porque ela “fechou a torneira”

João Santana é conduzido para depor

Enquanto Monica Moura detonava a ex-presidente Dilma Rousseff em seu depoimento na delação premiada, João Santana, por sua vez, fornecia importantes informações  para a formação das provas em processo.

Segundo Santana, o ex-presidente Lula agiu para Dilma Rousseff tirasse Graça Foster da presidência da Petrobras, porque ela estava “fechando a torneira” para as construtoras que faziam obras da estatal, disse o marqueteiro João Santana em delação premiada.

Na avaliação do publicitário, em 2004, ele não via relação entre as críticas de Lula e os pagamentos da construtora para o PT. “Ele nunca deixava a entender que fechando essa torneira, estava fechando a forma de pagamento – mas de trás para diante, entendo dessa maneira”, afirmou o marqueteiro. “Visto de trás para adiante, pode parecer que tem algo a mais. Eu não posso dizer isso com convicção, mas cria uma nuvem de significados que podem ser um pouco diferentes.

João Santana ainda conta em sua deleção premiada que, por vezes, levava mensagem de Lula para Dilma, como nesse caso. “Diga a presidente que a Graça está atrasando sistematicamente o pagamento e muitas empresas vão parar obras importantes, porque não estão recebendo, disse Lula a Santana, conforme o relator. Ele disse ter repassado as críticas a Foster à então presidente que “não fez nenhum comentário”. Ainda de acordo com Santana, Lula se queixou de que as prestadoras de serviço estavam sem recursos e que isso poderia trazer danos à campanha de Dilma.

Colaboraram Bernardo Gonzaga e Liana Costa, especiais para AE

Fonte: Estadão e Isto É

POLICIAIS FEDERAIS DIZEM QUE VÃO PROCESSAR LULA POR INSINUAR “PROVA PLANTADA”

Segundo a revista Isto É, A Federação Nacional dos Policiais Federais teria afirmado, por meio de nota, nesta quinta-feira, 11, que vai processar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por “denunciação caluniosa”.

A entidade afirmou que, ao ser apresentado a um documento pelo juiz Sérgio Moro, durante interrogatório, o ex-presidente Lula “insinuou” que agentes federais teriam “plantado provas em seu apartamento”.

As declarações, segundo a entidade, foram feitas no âmbito de processo em que Lula é réu pelo suposto recebimento de R$ 3,7 milhões de propinas da OAS. O presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais, Luís Boudens, afirmou que “atribuir a inserção de provas dentro do local de busca é uma afronta à Polícia Federal”.

Lula teria feito a insinuação de prova plantada quando o juiz Sérgio Moro, que o interrogou nesta quarta-feira, 10, o questionou sobre documento sem assinatura que agentes da Polícia Federal apreenderam no apartamento em São Bernardo do Campo onde o ex-presidente mora.

O endereço foi alvo de buscas na Operação Aletheia, desdobramento da Lava Jato, no dia 4 de março de 2016. Naquele mesmo dia, os federais conduziram coercitivamente o petista para depor em uma sala no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Congonhas.

“Lula foi pego de surpresa pelo documento exibido por Moro. Ele reagiu de pronto, não pode ter uma reação calculada ou ensaiada. Não vamos permitir que essa alegação de Lula gere como efeitos processos administrativos contra os colegas federais ofendidos”, declarou Luís Boudens.

A entidade ainda afirma que “a fala de Lula vai gerar consequências” e que o ex-presidente fez uma “denunciação caluniosa contra a Policia Federal”.

“Vamos esperar os efeitos do judiciário em resposta ao que Lula alegou. A fala dele exige uma reação, foi uma afronta à PF jamais ocorrida durante toda a Lava Jato”, afirmou o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais.

Ainda segundo a revista, a reportagem entrou em contato com a defesa do ex-presidente Lula, mas não obteve resposta.

Fonte: Blog Baião de Dois.

DIVALDO FRANCO É HOMENAGEADO PELO ANIVERSÁRIO DE 90 ANOS

Arte: Ricardo Carvalho

Apreço e gratidão foram a tônica das inúmeras manifestações do mundo espírita e da sociedade como um todo, pela passagem dos 90 anos de idade do professor, humanista, pacifista e médium baiano, Divaldo Pereira Franco.

A Federação Espírita do Estado da Bahia – FEEB, que promoveu um Seminário, com a presença do tribuno dias antes da festa de  seu aniversário divulgou nas redes sociais que “A Federação Espírita do Estado da Bahia (FEEB) parabeniza Divaldo Franco pelos 90 anos dessa atual jornada na Terra e agradece pela longa parceria nas lides Espiritistas. Deus contigo sempre, Divaldo Pereira Franco.”

Já na Mansão do Caminho, obra que fundou em agosto de 1952, a homenagem foi prestada pelos alunos assistidos pela instituição, na sexta feira (5), no Ginásio de Esportes da entidade, com capacidade média para 1.400 pessoas, onde as crianças assistidas desfilaram com placas individuais formando a frase  “Parabéns tio Divaldo”. O evento foi aberto ao público e contou com a participação de uma camerata de cordas e da cantora lírica Vanda Otero. Também foram realizadas encenações de momentos marcantes da vida de Divaldo.

As crianças cantaram e coreografaram a música ‘casinha branca’, que faz parte do repertório de músicas queridas pelo médium. Uma placa simbolizando a gratidão pelo trabalho realizado por Divaldo foi entregue pela diretora das instituições de ensino. Mais de 900 pessoas estiveram presentes, entre eles diretores, visitantes e alunos.

Divaldo Franco é considerado o maior médium espírita vivo brasileiro e tem rotina intensa entre atividades que desempenha na Mansão do Caminho e palestras pelo mundo. Seu currículo revela um exímio e devotado educador com mais de 600 filhos adotivos e mais de 200 netos e bisnetos, atendendo atualmente a cerca de três mil crianças, adolescentes e jovens de famílias de baixa renda, por dia, em regime de semi-internato e externato.

Registro na imprensa

Além de expressiva matéria sob a supervisão do editor-coordenador Luiz Lasserre e publicada no jornal A TARDE, reportagens no Correio da Bahia, O Globo e inúmeros blogs e sites brasileiros, destacamos o texto objetivo e claro do jornalista Luis Guilherme Pontes Tavares que publicou em sua página:

“É certo que minha vida seria, mais adiante, distinta do que será se não permanecesse até 23h, do dia 05 de maio último, no ginásio de esportes da Mansão do Caminho. O objetivo que me levara ao local desde às 19h era ouvir o médium baiano Divaldo Franco no exato dia em que completava 90 anos. Isso, ninguém dúvida, não acontecerá jamais. Em 2018, novo ano, ele não completará novamente 90 anos; a festa será do 91º aniversário.

Mais uma vez o grande orador, que nasceu em Feira de Santana – por isso o prefeito José Ronaldo também estava na cerimônia – em 1927, comprovou, na sua nona década de vida, o talento que lhe permite falar de modo coerente e artístico e, do improviso, construir peça literária de valor inquestionável.

No ginásio lotado, enquanto o temporal caía forte no telhado arcado, o orador elaborou página de comovente elogio à humildade e à gratidão.

Valeu também pela companhia de dois irmãos muito queridos. Que venha o amanhã”.

(Luis Guilherme Pontes Tavares)

O andarilho Divaldo Franco

Independentemente de suas andanças pelo mundo divulgando o espiritismo e levando mensagens de amor e tolerância, Divaldo sempre está presente nos Centros Espíritas da Bahia e do Brasil, cumprindo agenda de levar o seu estímulo e o seu enorme talento aos corações mais carentes de afago e conforto. Mas, isso não é tudo. Ao longo da sua movimentada vida, Divaldo publicou 255 livros, com versões em em 17 idiomas, totalizando cerca de 8 milhões de exemplares comercializados, com renda absorvida instituições filantrópicas e por suas obras sociais comandada pelo Centro Espírita Caminho da Redenção e que tem o seu principal foco na Mansão do Caminho, um complexo educacional com 83.000 m² e 52 edificações que atende a três mil crianças e jovens de famílias de baixa renda, em Pau da Lima, um dos bairros periféricos mais carentes de Salvador.

Vários autores espirituais, entre estes, alguns que ocupam lugar de destaque na literatura, no pensamento e na religiosidade universais, fazem parte desse acervo.

Mais de 35 mil crianças passaram, até hoje, pelos vários cursos e oficinas da Mansão do Caminho. A obra é basicamente mantida com a venda dos livros mediúnicos e das fitas gravadas nas palestras, seminários, entrevistas e mensagens por Divaldo.

A Maternidade de parto natural já realizou mais de 3.500 nascimentos sem nenhum óbito. Os recém-nascidos são assistidos pela Mansão e, a partir dos quatro meses, ficam na creche. Com três anos, as crianças vão para a Educação Infantil; depois, de quatro a cinco anos, para a  Escola Alvorada Nova. Quando completam seis anos, passam para o ensino fundamental, nas escolas Alan Kardec ou Jesus Cristo, que foram premiadas como umas das melhores escolas do estado.

O centro sócio assistencial Ana Franco, atende 800 crianças em período integral, oferecendo cursos de violão, guitarra, percussão, artes plásticas, cerâmica, dança, cabeleireiro, arte culinária, entre outros. “A ideia é que eles fiquem o máximo de tempo ocupados aqui, para que não se envolvam com o que o mundo oferece lá fora”, revelou ao jornal A Tarde, Rose Mussi, primeira secretária da Mansão.

Além de educação, as crianças têm acesso ao departamento de saúde que atende, também, a população em geral. São 14 especialidades, incluindo atendimento odontológico. E, o departamento de assistência social, que atende a comunidade. “Qualquer pessoa que venha em busca de auxílio é cadastrado e acompanhado. Esse ano o atendimento passou de 300 para 500 assistidos, entre idosos e portadores de doenças incapacitantes”, acrescentou Rose.

Referência

Detentor de vasta cultura e comportamento ético exemplar, Divaldo Franco é referência do homem integral. Sempre bem humorado, elegante e discreto, Divaldo Franco continua em plena atividade, viajando para os quatro cantos do mundo, superando a barreira do idioma graças a permanente assistência dos amigos espirituais, sempre presente a todos os seus compromissos.

Daqui deste espaço, enviamos os nossos cumprimentos por tão brilhante trajetória, dedicando a sua vida à felicidade do seu semelhante e à prática dos exemplos do Cristo. Feliz aniversário, Divaldo. Vamos para o centenário.

JEQUIÉ: INTERDITADO FRIGORÍFICO VALE DO SOL

O Ministério da Agricultura interditou o Frigorífico Vale do Sol, em Jequié, por constatação de irregularidades.

Técnicos do órgão federal estiveram inspecionando o frigorífico e para que ele volte a operar faz-se necessário o cumprimento das exigências legais, como ajustes dos equipamentos, adaptações, limpeza geral da estrutura, câmeras, caldeiras, entre outras solicitações. Só após o cumprimento de todas as exigências do órgão de fiscalização, o frigorífico estará apto para funcionar. Enquanto isso, o abate de bovinos fica suspenso no local e poderá ocorrer em outras cidades, a exemplo de Itapetinga. Em nota, o Frigorífico Vale do Sol informou que estará com suas atividades suspensas temporariamente a partir de 02 de Maio. Ainda segundo a nota, o matadouro irá se readequar às novas legislações e aprimorar os serviços. “Com o aumento do abate e da demanda necessitamos de uma melhoria na estrutura física. Nosso esforço será ilimitado para que no menor prazo possível retornemos as nossas atividades”. Com a decisão, o município de Ipiaú também ficou prejudicado, pois desde que o matadouro do municipal foi interditado, em setembro do ano passado, os açougueiros e demais empresas que comercializam carne bovina no município, utilizavam Frigorífico em Jequié para o abate dos animais consumidos. Após a suspensão das atividades no Frigorífico Vale do Sol, não se sabe onde serão abatidos os animais comercializados na região.

FERNANDO GABEIRA EM PROMESSAS DE MAIO

Por Fernando Gabeira* via Aninha Franco**

 

Publicado em 30 de abril de 2017

 

Em maio, as manhãs no Rio costumam ser lindas e, ao entardecer, em Minas, começam a aparecer crianças vestidas de anjo. Mas é em Curitiba que grande parte da atenção se concentra. O depoimento de Lula diante de Sérgio Moro é tido como um grande momento. Talvez contra a corrente, acredito que nada de essencial será mudado.

Em confronto com as evidências que o ligam ao triplex de Guarujá e o sítio de Atibaia, Lula vai negar e, possivelmente, reafirmar que não há documento oficial que o ligue a essas propriedades. Imagino também que, se houver provocações, Sérgio Moro terá a habilidade e vai contorná-las, seguindo com as perguntas que realmente possam esclarecer.

A ideia de que um processo dessa natureza se resolve com manifestações políticas é mais um equívoco da esquerda. Aliás, apoiado em outro equívoco: o de que uma performance num interrogatório pode ser transformado numa alavanca para a campanha presidencial. Se, por acaso, têm como modelo o famoso “A História me absolverá” de Fidel Castro, independentemente de comparar oratórias, é gritante a disparidade de situações. Uma coisa é ser acusado de tramar contra a ditadura de Fulgencio Batista, outra é ser acusado de receber propinas por negócios na Petrobras. Lula está numa situação incômoda, tentando revertê-la em seu favor, e apreensivo com a possibilidade de prisão. Algo que, creio, não vai acontecer. As forças de esquerda no Brasil jogam toda a sua sorte num líder carismático e resolvem acompanhá-lo na aventura, pois temem desaparecer sem ele.

Não sou muito de discutir processos, notas frias, assinaturas falsas. Talvez por isso me interesse mais pela experiência vivida, aquilo que meus olhos e ouvidos revelaram. Por exemplo, estou voltando de Porto Velho, onde aprendi um pouco sobre a história da Usina de Santo Antônio, aquela em que a Odebrecht comprou todo mundo: governador, senadores, deputados, centrais sindicais, polícia e índios.

A delação da Odebrecht fala que as centrais sindicais foram lá, a pedido da empresa e pagos por ela, para controlar os motins dos trabalhadores. O que o delator não contou é que a Odebrecht precisava terminar a obra com muita rapidez, pois assim teria um tempo para vender a energia no mercado livre, por um preço três vezes maior. Os trabalhadores foram submetidos a um intenso ritmo de trabalho, e por isso se rebelaram. Não é a maneira mais racional de reagir. Mas era um trabalho intenso no calor insuportável de Rondônia. Eu mesmo, depois de um dia de trabalho levíssimo se comparado com os deles, não me sentia muito capaz de reagir racionalmente. Não antes, pelo menos, de um banho frio.

As duas obras de Rondônia foram a famosa estrada Madeira-Mamoré, com o sacrifício de muitos na selva, e a Usina de Santo Antônio, imposta em ritmo extremamente duro para os trabalhadores.

A História vai registrar que a CUT e a Força Sindical se colocaram a serviço de uma empresa que, ansiosa por sobrelucros, oprimiu milhares de peões. Lula surgiu com aquela frase dos bagres impedindo a construção da usina. Como bom funcionário da Odebrecht, omitiu que não eram os bagres, mas todas as espécies de peixe que se movimentam no Rio Madeira para a reprodução.

O julgamento dos 20 mil trabalhadores, dos atingidos pela barragem, dos moradores da Jaci Paraná quando tomarem conhecimento de tudo isso, certamente vai dispensar a ida ao tabelião para buscar provas. É uma verdade histórica.

Com a insistência na negação suicida e jogando todas as suas fichas no destino de seu líder, se a esquerda sonha de verdade em chegar ao governo e não está apenas fugindo da polícia, é um sonho cinzento. Nas circunstâncias, dificilmente venceria e, se o fizesse, a resistência colocaria a todo instante a tentação totalitária.

Isso não é futuro, é punk. O que pode acontecer com essa insistência no erro é um cenário parecido com o da França, onde, por outros motivos, a esquerda nem chegou ao segundo turno.

Não tenho a pretensão de acertar num futuro tão nebuloso como o nosso. Mas algumas coisas, aprendi. O que fizeram na Usina de Santo Antônio, por dinheiro, foi uma vergonha. Todos os que se intitulam progressistas e embarcam nessa canoa furada do lulapetismo, diante do episódio não têm outra saída: ou engolem ou cospem.

Num artigo escrito há quase dez anos, previ que a experiência petista ia acabar numa delegacia da esquina. O artigo era “Flores para os mortos”.

Talvez por isso, maio em Curitiba me pareça tão familiar como as lindas manhãs do Rio e os anjos subindo ladeira ao entardecer numa cidade histórica de Minas. A maioria da esquerda ainda acredita que nada aconteceu e que vai chegar ao poder. O interessante é que muitos que sabem o que aconteceu consideram possível essa hipótese.

Em maio, costumo delirar.

*Feernando Gabeira é jornalista;

** Aninha Franco é escritora, pensadora, poeta, dramaturga, crítica, advogada e ativista cultural.

PT ENCOLHE 27% E PERDE 1.120 DIRETÓRIOS MUNICIPAIS

 

NA FOTO LULA VOTA NO PED 2017 FOTO FILIPE ARAUJO/INSTITUTO LULA

Números do Processo de Eleição Direta (PED) do PT realizado no dia 9 em todo o Brasil mostram que, das 4,1 mil cidades onde o partido está organizado, cerca de 1.120, 27% do total, não conseguiram organizar nem sequer uma chapa de 20 filiados para compor o diretório municipal. Nesses municípios, os diretórios serão substituídos por comissões provisórias. Entre eles estão cidades importantes como Uberlândia, a segunda maior de Minas.

Na votação realizada, 290.124 mil filiados foram às urnas em 3.315 municípios de todo o país. Foram eleitos os Presidentes e Diretórios do PT em 2.740 municípios e também as delegações aos 27 Congressos Estaduais.

É por meio do PED que os petistas escolhem as direções locais do partido e os delegados para os Congressos Estaduais, que, por sua vez, vão definir os representantes para o 6.º Congresso Nacional, onde será eleita a nova direção partidária, em junho deste ano.

Alguns dirigentes do PT apontam a dificuldade para preencher as cotas obrigatórias destinadas a negros, índios, mulheres e jovens como motivo para o desaparecimento dos diretórios nessas cidades. Há ainda suspeitas de fraudes que podem contribuir para o resultado.

Com informações do Estadão

Veja o vídeo