Arquivo para ‘Reportagem’ Categoria

JEQUIÉ DEFLAGRA CAMPANHA PARA DUPLICAR PISTAS NA EXTENSÃO DA SERRA DO MUTUM

Cartazes estão sendo distribuídos pelas redes sociais e locais fixos grande visibilidade

O trecho localizado entre os municípios de Jaguaquara e Jequié, na BR-116 tem revelado, ao longo do tempo, como uma das maiores concentrações de acidentes graves da região, inclusive com incidência de mortes trágicas. 

Muitas vidas foram ceifadas no percurso da fatídica serra, nos dois sentidos. A longa extensão da ladeira, cerca de 8 km, bem como o traçado do trecho, com cortes em volumosas pedras e o número de precipícios em ambos os lados, têm contribuído para o aumento significativo do índice de acidentes no trecho.

Cada vez que acontece um acidente grave, em grandes proporções, que geram vítimas originárias de vários estados, ou mesmo de habitantes da região, tem causado dor e comoção aos moradores de Jequié e de outras cidades da região.

Quando do processo licitatório para privatização do trecho da BR-116 compreendido entre a divisa de Minas Gerais com o estado da Bahia até a cidade de Feira de Santana, na Bahia, o vencedor, a empresa Via Bahia, concessionária que administra a rodovia, se comprometeu em breve espaço de tempo, a duplicar o trecho concedido, em toda sua extensão. Para tanto, instalou imediatamente grande quantidade de postos de pedágio para arrecadação, representando significativo volume de receita para começar a cobrir os investimentos acordados.

Pois bem. Até agora, somente o trecho de 70 km entre Feira e a ponte sobre o Rio Paraguassu sofreu alguma intervenção, ainda assim, de forma lenta e precária.

Apesar da lentidão, a arrecadação prosseguiu no mesmo ritmo em que o fluxo de automóveis e caminhões vem sendo incrementado no trecho. Pelo cronograma, a duplicação de importante quantidade de quilômetros da rodovia sob a responsabilidade da Via Bahia já deveria ter sido resolvida e muitas vidas poupadas, se a administradora deste trecho da BR já tivesse concluído a obra de duplicação combinada.

 Audiências públicas promovidas por políticos de Jequié chagaram a acontecer na Câmara de vereadores, mas a duplicação não saiu do papel, enquanto isso, são recorrentes os acidentes fatais, em sua maioria.

Circularam notícias, infelizmente não confirmadas, que teria havido uma reunião entre o Superintendente da Policia Rodoviária Federal, Virgílio de Paula Tourinho Neto, representantes do Ministério público, representantes da concessionária Via Bahia e de segmentos da sociedade regional. Não se sabe se houve realmente o encontro ou o que ficou resolvido acerca do problema que já tem contornos de tragédia em Jequié e em toda a região.

Cansados de esperar, o vereador Gutinha e mais um grande número de jequieenses,  lançaram uma campanha nas redes sociais a fim de chamar a atenção das autoridades para a necessidade da obra de duplicação da BR-116 no trecho Jaguaquara/Jequié em caráter de urgência.

Nesse sentido, também os poetas se manifestaram em suas várias linguagens culturais. Destacamos um trecho do poema/protesto do poeta e artista plástico Dimas Lélis, para ilustrar o tema.

Serra do Mutum

Por Dimas Lélis (08.02.2018)

Serra de dentes afiados

Que cortam vidas e sonhos

Serra do Mutum

Serrote velho de fio novo

Que ceifa árvores de frutos bons

Serra do Mutum:

Lá corta

Lá Serra

Lá Mata

Serra do Mutum: Cerca de oito quilômetros de grande incidência de acidentes com vítimas fatais

A BAHIA, OS BAIANOS E O CARNAVAL

Carnaval baiano chegando bonito com o povo misturado e feliz até a quarta feira

A uma semana do início oficial da folia, o clima de celebração já toma conta de Salvador, palco do famoso carnaval da Bahia. O desencontro partidário ou ideológico a partir do fim dos anos oitenta, com prefeito de um lado e governador do outro, fez com que fosse massificada a marca “Carnaval de Salvador” e extinta a consolidada expressão “Carnaval da Bahia”.

Desde muito tempo, independentemente do governante, o carnaval dos baianos vinha se descaracterizando. O circuito Osmar, que compreende o trecho do Campo Grande à Praça da Sé deixou de ser o foco da folia, misturando desfile de blocos, afoxés, trios elétricos, desfile independente “Mudança do Garcia” e, em tempos mais remotos, a existência do Corso (automóveis ao longo da avenida). O carnaval se estendeu para o circuito Dodô que vai do Farol da Barra a Ondina e para alguns bairros.

O Brasil inteiro sabe que a denominação Dodô e Osmar, é uma homenagem aos criadores da fobica com som eletrificado para, gratuitamente, animar a festa.  Com o passar do tempo, a fobica virou sofisticadas carretas conduzindo toneladas de som e renomadas bandas, o carnaval virou indústria e atividade de amplo e variado comércio; extinguiu-se a mortalha e as tradicionais caretas que levava, no anonimato, pessoas de ambos os sexos vestidas de pierrot e colombinas a grande aventuras. Rasgou-se as fantasias e foi inaugurada a era dos “Abadás”. Toda essa mudança contribuiu para o aumento significativo do fosso no convívio entre as classes sociais. O carnaval deixou de ser improviso e o folião passou a ser cliente e público alvo. A implantação das famigeradas cordas de isolamento, os blocos e camarotes, verdadeiras fontes de milionários recursos, estabeleceram os limites entre elite e o que foi denominado povão, para ira do genial Walter Pinheiro Queiroz Júnior.

Festa da Pipoca no carnaval da Bahia

A música de péssima qualidade executada por bandas pagas pelo poder público, segundo comentaristas, já fazem do frevo pernambucano o ritmo mais executado nos pré-carnavais do Brasil.  além de, para alguns, contribuírem para uma certa revolta implícita, empurra-empurra e solavancos, transformaram as descomprometidas “Pipocas” em verdadeiras “praças de guerra”, troca de socos generalizadas e ao ritmo da música, tornando a participação arriscada e o cenário feio de se ver. 

O compositor Waltinho Queiroz, uma das mais expressivas e bravas resistências ao novo modelo de carnaval, com espaço privatizado entre cordas, tem um acervo significativo de poemas, letras e discursos rebeldes sobre o tema. Transcrevo aqui um trecho de sua música “No meio da rua, no meio do povo” que diz muito sobre a desfiguração do que foi a festa mais democrática do Brasil:  Tomara que esse ano/Eu lhe encontre de novo/No meio da rua/No meio do povo/Mortalha encharcada/De cerveja até o pé/E a boca lambuzada/De acarajé.

As crianças compunham o cenário do carnaval da Bahia.

Mas, apesar das desfiguração, a luta de Waltinho em seu Bloco do Jacu não foi em vão e agora no “Chegando Bonito”, a Bahia se reconhece nos velhos carnavais. Algumas práticas se mantiveram e o carnaval da Bahia ganhou o mundo e virou a maior festa popular do planeta. Os três dias de folia passaram a cinco. Em determinado período chegou a seis e até mais, tudo indica que retornaremos aos cinco dias de folia, senão, vejamos: a brincadeira, na prática, começou na sexta-feira, dia 2 de fevereiro, com a Festa de Iemanjá, no Rio Vermelho, e o desfile do bloco Habeas Copos o já famoso circuito Sérgio Bezerra, na Barra. Felizmente ainda podemos ver o grande tapete branco formado pelos turbantes dos Filhos de Ghandi, o ritmo contagiante do Olodum, a beleza pura do Badauê, a negritude linda do Ilê Ayê… Ah! e o Araketu é bom demais!…

A abertura oficial do Carnaval será na próxima quinta-feira (7), com a cerimônia de entrega da chave da cidade pelo prefeito ACM Neto e festa comandada pela cantora Claudia Leitte e seu convidado, o rapper norte-americano Pitbull, em parceria com a Zumba. Eles vão dar o grito inicial da folia na Barra-Ondina, a partir das 17h.

Confira a programação dos três maiores circuitos, com horários, blocos e atrações, no site oficial da festa. www.salvadormeucarnaval.com.br‎      

ARTE E CULTURA EM IPIAÚ: CASARÃO DE ZÉ AMÉRICO EM AGITAÇÃO NESTE SÁBADO

Dança teatro, poesia, cantoria e outras manifestações das artes cênicas, incluindo capoeira e maculelê  marcarão “A Noite Cultural” do Fórum de Cultura da Bahia”, que acontece  neste sábado, 20, no Casarão de Zé Américo, em Ipiaú. A cantoria, com variados gêneros musicais, ficará a cargo de Clara Sena, Larissa Souza (foto), Brendo Lee, Marcio Barreto, Vicente Andrade, Samuel, Alisson, Mateus Felix e Ricardo Santana. O espetáculo segue com quatro cenas teatrais de Andressa Menezes, Dinho Coelho, Carlos Henrique, Caio Braga e Tainan Galdino, enquanto  a dança  se mostrará através das  coreografias: “Sorria você está na Bahia”, de Elcinho e Kalissa, e do Grupo Enigma,dirigido por Edmilson.

As atrizes  Caroline e Mariana Nogueira,  são interpretes da cena da peça  “Saudade –  A  beleza que faz sofrer”, de Andressa Menezes.  A poetisa Lurdinha Bezerra estará no palco declamando versos de alta qualidade, enquanto a capoeira e maculelê serão apresentados pelo pessoal do Arte Modelo. O evento objetiva a articulação e mobilização territorial da sociedade civil e do poder municipal para fortalecimento da cultura do território de identidade.

No dia 21, domingo, acontece no centro Paroquial Padre Xavier, Bairro da Conceição, um debate sobre a alteração da Lei do Fundo de Cultura da Bahia e as eleições de novos membros para o Conselho Estadual de Cultura, além  de oficinas de dança, teatro, poesia coletiva e elaboração de projetos. Tudo isso faz parte do projeto “Diálogos do Fórum de Cultura da Bahia”. (Giro/José Américo Castro).

MATÉRIA DE GABEIRA MOSTRA CRISE NA REGIÃO CACAUEIRA DA BAHIA

Por José Américo*

 

Durante dois dias seguidos o jornalista Fernando Gabeira esteve na região sul da Bahia colhendo informações e imagens para uma reportagem que será veiculada no próximo dia 21(domingo), às 18:30 horas, em seu programa no canal por assinatura GloboNews.

Tive a oportunidade de entrevistá-lo na Fazenda Santa Maria do Jenipapo, de Edvaldo Bruni, no município de Ibirapitanga.

Falamos de jornalismo, política, literatura, ecologia e outros assuntos, mas, neste texto, priorizei o motivo da sua visita à região e os assuntos que estarão na pauta do programa.

Aspectos ambientais, econômicos e sociais serão abordados na matéria de Gabeira cujo principal foco é a prolongada crise da cacauicultura regional , suas causas, consequências e possibilidades de soerguimento.

Muitas fontes foram consultadas por ele. Uma das principais foi o documentário cinematográfico “O Nó”, dirigido pelo ipiaúense Dilson Araújo que defende a tese de que a doença conhecida como “vassoura-de-bruxa”( Moniliophtera perniciosa) foi criminosamente disseminada na região. Um ato deliberado de terrorismo biológico.

Cenas de “O Nó” e provavelmente uma entrevista com Dilson serão mostradas no programa.

A questão do desmatamento das “cabrucas”, substituindo-as por pastagens de gado bovino, o desaparecimento de nascentes, indícios de desertificação em algumas áreas da zona cacaueira, o desemprego, o êxodo rural, a crescente criminalidade nos centros urbanos, foram outros aspectos que chamaram a atenção do celebre jornalista.

A introdução da doença vassoura-de-bruxa na zona cacaueira da Bahia aconteceu no final da década de 1980, desencadeando uma ação devastadora que foi acentuada por quedas do preço do cacau no mercado internacional e estiagens prolongadas como a verificada no ano de 2016.

Ao entrevistar o engenheiro agrônomo José Roberto Benjamim, Fernando Gabeira tomou conhecimento do malogro da orientação governamental no combate à doença, fato que potencializou a crise.

O olhar de Gabeira não viu só desastres. Também se voltou para a exuberância da Mata Atlântica e do cacau-cabruca, sua biodiversidade, os projetos preservacionistas e ações regeneradoras.

Ele constatou que homens de boa vontade como Edmond Ganem, Edvaldo Bruni, Victor Becker, dentre outros, que se dedicam à preservação da biodiversidade e ao reflorestamento, reacendem a esperança de melhores dias na região.

Em Ilhéus, Gabeira conheceu uma plantação de cacau consorciada com pau-brasil e no município de Camacan ficou encantado com a reserva Serra Bonita, “uma pioneira e inovadora iniciativa privada de conservação de florestas no sul da Bahia”.

Trata-se de um condomínio que se estende por 2.500 hectares contendo varias RPPNs (Reservas Particular do Patrimônio Natural). A experiência tem recebido prêmios internacionais.

Outros detalhes observados por Fernando Gabeira e registrados pelo cinegrafista Mauricio de Souza serão mostrados no primeiro programa que a dupla gravou neste ano de 2018.

Com essa reportagem o Brasil conhecerá os impactos do terrorismo biológico do cacau e a tentativa de soerguimento de uma das regiões de maior riqueza, biodiversidade e beleza do planeta.

“A região sofreu. Tenho a impressão de que ainda não se recuperou dos impactos que lhe trouxeram dificuldades, mas ela tem potencial de superar tudo isso”, concluiu Gabeira.

*José Américo Castro é jornalista, poeta e escritor

Nota do Editor: Parabéns, Zé. Primeiro pelo profissionalismo. Alguém que, como repórter independente, investe recursos pessoais para ir em busca da informação, da melhor entrevista, do melhor ângulo, extraindo a melhor cepa para lavrar a notícia, unicamente pelo dever da difusão. Segundo, pelo texto conciso e claro, cuja leveza faz sempre a diferença, mesmo em se tratando de tema tão grave para a nossa região e tão cruel para o nosso povo. Que ao levantar o assunto, o respeitado jornalista Fernando Gabeira, de tantos exemplos edificantes e corajosos em sua vida pessoal, possa contribuir para o esclarecimento do episódio e a punição dos culpados. Grande abraço.

MORRE AOS 72 ANOS ANTÔNIO MOREIRA, DONO DO RESTAURANTE PORTO DO MOREIRA

Foto Andréa Farias Arquivo Correio da Bahia

Um dos proprietários do restaurante Porto do Moreira, dos mais tradicionais do centro de Salvador, o empresário Antônio Moreira da Silva, de 72 anos, morreu durante a madrugada desta terça-feira (2). A informação foi confirmada à imprensa pela sobrinha de Antônio, Cristina Moreira.

De acordo com Cristina, o tio estava em casa, no Largo Dois de Julho, também no centro da capital baiana, quando faleceu. A suspeita da família é de que ele tenha sido vítima de um infarto.

Segundo o site Bahia Notícias, “… familiares informaram que a namorada de Moreira saiu de casa pela manhã, quando o empresário ainda dormia. Integrantes da família, que trabalham com ele no estabelecimento, estranharam que, com o avançar da hora, Moreira ainda não havia chegado ao espaço, Eles ligaram para a namorada do empresário, e ela pediu ao filho dele que fosse até à casa onde o proprietário do restaurante vivia. Ao chegar ao local, junto a outro familiar, ele encontrou o dono do Porto do Moreira desacordado. Os dois chamaram a equipe de socorro, que constatou a morte do empresário. A suspeita inicial é de que ele tenha sofrido um ataque cardíaco.

“Antônio tem duas filhas, que já foram avisadas da morte dele. Elas moram em outras cidades da Bahia e estão vindo para Salvador. Para a gente, foi um baque”, destacou sua sobrinha.

O restaurante Porto do Moreira, localizado na Rua Carlos Gomes, à entrada do Largo dois de Julho (Mercado das Flores), foi fundado há 79 anos, no dia 7 de setembro de 1938 pelo pai de Antônio, José Francisco Moreira, que era português. O local recebia, habitualmente, os visitantes mais ilustres de Salvador.

Após a morte do José Francisco Moreira, seus filhos, Antônio e Francisco Moreira, passaram a gerir o estabelecimento, famoso não apenas pela excelência do cardápio, mas, também, por ter se tornado ponto gastronômico dos militantes da cultura baiana, preferido por poetas, artistas e jornalistas soteropolitanos. O casal fundador do concorrido local foram personagens dos romances de Jorge Amado, ele próprio, frequentador assíduo da casa, conforme afirma, emocionada, Cristina Moreira, ao tempo em que informa que não há, ainda, informações sobre a data e o local do velório e sepultamento do corpo de Antônio Moreira.

Desde que a morte foi confirmada, por volta de 13h, o atendimento no restaurante foi suspenso. Alguns clientes terminaram de ser atendidos e outros, em consideração, suspenderam os pedidos. O empresário era bastante conhecido e querido pelo público do espaço pela boa relação mantida com a clientela, destacada, principalmente, por boêmios, turistas, artistas e jornalistas

 Informações do Bocão News, A Tarde e Bahia Notícias (editadas).

IPIAÚ: PASSAGEIRO ‘SURTA’ E PULA DE ÔNIBUS EM MOVIMENTO NA BA-650

Um homem ficou ferido após pular de um ônibus em movimento em um trecho da BA-650 entre Ipiaú e Ibirataia, no Médio Rio de Contas,  Sudeste do estado. O fato ocorreu na manhã desta quinta-feira (28), perto da localidade de Fazenda Canadá. Segundo o Blog Giro em Ipiaú, a suspeita é que o passageiro tenha sofrido um surto psicótico.

A vítima tinha embarcado em Jequié, a cerca de 50 km do local. Passageiros que estavam no veículo contaram que o homem estava sentado em uma poltrona na parte dianteira do ônibus. Ele dizia que era procurado pela polícia e pedia que o motorista não parasse em alguma blitz. A certa altura da viagem, ele, aparentemente em surto, tentou pular da janela e foi contido por outros passageiros. Momentos depois, ele conseguiu saltar do veículo, sofrendo várias escoriações no corpo. Uma ambulância do SAMU foi acionada e a vítima foi encaminhada para o Hospital Geral de Ipiaú. Não há mais informações sobre o estado de saúde do passageiro.

NA INAUGURAÇÃO DA POLICLÍNICA DE JEQUIÉ, RUI ANUNCIA AMPLIAÇÃO DO HOSPITAL GERAL PRADO VALADARES

Foto Renata Farias (Bahia Notícias)

O governador Rui Costa anunciou nesta sexta-feira (22), durante a inauguração da Policlínica Regional de Jequié, a ampliação do Hospital Prado Valadares, também situado no município, de forma que a unidade componha um “tripé” com os hospitais de Jaguaquara e Ipiaú. “Mais do que a duplicação do tamanho do hospital, vai ser um dos maiores hospitais da Bahia, nós estamos qualificando o Prado Valadares para fazer serviços de alta complexidade, que não fazia até aqui”, afirmou Rui, citando como exemplo equipamentos de tomografia computadorizada e ressonância magnética, que não existia no hospital. “Hoje o Prado já tem tomografia, já tem ressonância, e eu volto aqui no primeiro semestre para inaugurar esse grande hospital que será uma referência, de procedimentos de alta complexidade. Assim como nós fizemos no hospital Costa do Cacau, com procedimentos de hemodinâmica, cirurgia cardíaca”. O governador acrescentou que os hospitais de Jaguaquara e Ipiaú também passarão por adequações, por meio de convênios com a administração dos dois municípios. “O nosso planejamento esse tripé de hospitais deve responder pelo volume de serviços na região. O Prado sendo o hospital de maior complexidade, e o hospital de Jaguaquara e Ipiaú, com as intervenções que nós vamos fazer, ganhando uma produtividade maior, uma eficiência maior, e um número maior de procedimentos”.

DEPUTADOS E JORNALISTAS QUE ATUAM NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA BAHIA ENTREGA PREMIOS DESTAQUE 2017

Oito deputados receberam hoje o Troféu Imprensa “melhores de 2017”, solenidade que ocorreu no Saguão Nestor Duarte da Assembleia Legislativa da Bahia. Tradicionalmente são eleitos apenas quatro parlamentares, mas é também da tradição do Comitê que congrega a imprensa especializada, nos casos de empate, conferir o Troféu Imprensa às partes envolvidas. Este ano o presidente Ângelo Coronel obteve 26 dos 34 votos possíveis, sendo seguido por Hildécio Meireles, que preside a comissão de Infraestrutura da ALBA com 12 votos. Na terceira posição ficaram os deputados Marcelo Nilo (PSL) e Fabíola Mansur (PSB) com oito votos cada, presidente da comissão de Finanças e Orçamento, Educação e Cultura respectivamente, enquanto o quarto lugar reuniu os deputados Adolfo Viana (PSDB), líder do bloco parlamentar PSDB, PRB PPS; Alex da Piatã (PSD) presidente da comissão de Saúde e Saneamento; José de Arimateia (PRB) presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Saúde; e o 4º secretário da Casa, o peemedebista Luciano Simões Filho, cada um com sete votos. 

Levi Vasconcelos (A Tarde), Itamar Ribeiro (Sociedade de Feira e Luis Fernando Lima (Bocão News)

Já os repórteres setoristas responsáveis pela divulgação e repercussão das atividades no Legislativo em 2017, que foram votados pelos deputados da Casa, receberam também suas premiações de acordo com a categoria. O jornalista Levi Vasconcelos, de A Tarde, ganhador do troféu Quintino de Carvalho, destinado à mídia impressa, o jornalista Luiz Fernando Lima, do Bocão News, ficou com o troféu Armando Lobracci Netto, destinado aos profissionais de internet, e o troféu Wilson Menezes, que é destinado aos profissionais de rádio e televisão, será recebido pelo jornalista e radialista Itamar Ribeiro, da Rádio Sociedade de Feira de Santana. Além disso na oportunidade também foi empossada a nova diretoria do Comitê de Imprensa da Assembleia Legislativa, com a recondução do jornalista Osvaldo Lyra.

BAHIA É ATINGIDA POR TEMPESTADE SUBTROPICAL “GUARÁ”

Por: Viviane Nonato BNews

O tempo fechou na orla de Salvador

Ventos fortes e uma intensa chuva atingiu a capital baiana por volta das 17h, neste sábado (9). Trovões e raios também foram registrados.

Segundo a Marinha do Brasil, por meio do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), formou-se na manhã deste sábado, “um ciclone subtropical sobre o mar próximo ao litoral do Estado do Espírito Santo e Sul do Estado da Bahia. A intensidade dos ventos associados a esse ciclone o caracteriza como Tempestade Subtropical, tendo sido nomeada Guará”.

A Marinha detalha que a tempestade subtropical Guará “está ocasionando ventos muito fortes e ondas entre 3,0 e 5,0 metros de altura sobre o mar adjacente aos estados mencionados”. Trovões e raios também foram registrados. A previsão do setor de meteorologia do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) é que nos próximos dias, Salvador e Região Metropolitana enfrentem chuvas fortes e de curta duração. As temperaturas devem se manter estáveis, com mínimas de 23°C e máximas de 32°C.

Ainda em nota, a Marinha explica que a tempestade se afasta da região costeira, deslocando-se inicialmente para Leste e a partir do final da noite deste sábado desviará para Sudeste. O efeito desse fenômeno deve perdurar até a segunda-feira (11), conforme consta nos avisos de mau tempo emitidos pelo CHM.

Por fim, os navegantes são orientados a evitar a região, e solicita-se ampla divulgação às comunidades de pesca e esporte e recreio.

Por meio de nota, a Defesa Civil (CODESAL) informou sobre o risco de alagamentos na cidade, mas não divulgou registros de emergência. Algumas localidades de Salvador já sentem as consequências da chuva, como na Cidade Baixa, onde foram registrados diversos pontos de alagamentos.

Por causa do mau tempo e fortes ventos na capital baiana, que chegaram a 38 km/h, a travessia Salvador – Mar Grande foi suspensa às 17h deste sábado. A expectativa é de que o sistema volte a operar no domingo.

APAGÃO DEIXA CIDADES DO SUL E SUDOESTE SEM ENERGIA POR CERCA DE 1 HORA

Ipiaú, Ibirataia, Gandu, Jitaúna, Jequié, Jaguaquara, Itiruçu, Itaquara, são algumas das cidades que ficaram sem energia na noite dessa terça-feira (04). O apagão teve início às 19h23 e durou pouco mais de uma hora.  Especula-se que um problema na Usina do Funil teria sido a causa da interrupção de energia elétrica nessas localidades. O número de cidade atingidas ainda não foi contabilizado, mas acredita-se que passa de 20. Até por volta das 21h35, a Coelba não havia emitido um comunicado sobre o que causou o blecaute nessas cidades.