Arquivo para ‘Poder’ Categoria

MDB: CANDIDATURA DE MEIRELLES INJETA ÂNIMO NA PRÉ-CAMPANHA DE JOÃO SANTANA NA BAHIA

Pré-candidato a governador da Bahia pelo MDB, João Santana.

Os emedebistas baianos se animaram ante a decisão do presidente Michel Temer de, ao invés de concorrer à reeleição, apoiar o seu ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Acreditam que, sem o desgaste de Temer, Meirelles pode pelo menos começar a fazer algum barulho bom na política, ajudando, inclusive, os candidatos a governador do partido, a exemplo de João Santana, na Bahia.

Era tarefa impensável para o presidente da República, cuja impopularidade está nas alturas, o que levaria qualquer candidato que se aproximasse dele para a ribanceira, mas pode ser diferente com Meirelles, apesar da tentativa da oposição de colocar em seu colo todos os problemas econômicos gestados no governo Dilma Rousseff (PT). O pré-candidato emedebista na Bahia – não precisa dizer – está uma felicidade só com a troca da candidatura do partido, torcendo para que Meirelles se mantenha na disputa até o final.

O Engenheiro Elétrico e professor João Santana é um dos bons quadros do MDB da Bahia, partido em que milita desde a sua fundação. Natural de Irará, atuou profissionalmente em Jequié por um bom tempo, tendo construído nesta cidade, vasto universo de amigos. Foi chefe de Manutenção Geral do Complexo Hidroelétrico da Central do Funil; secretário municipal de Serviços Públicos de Salvador; superintendente do INSS na Bahia; presidente da Companhia de Habitação do Estado da Bahia (URBIS); e presidente da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa). Ele presidiu também a seção baiana da Fundação Ulysses Guimarães, do PMDB, além de ter sido delegado nacional e presidente do diretório estadual baiano do partido.

CRÔNICA SOBRE JOSÉ DIRCEU:

Por Luiz Carlos Nemetz*

 

 

 

A cabeça da serpente. Inteligente, frio, calculista, meticuloso, disciplinado, culto, treinado, discreto, articulado, organizado, vaidoso, ambicioso. O mais importante, lúcido e preparado líder do PT vai preso definitivamente. 30 anos.

Ele, mais do que qualquer outro, é o mentor intelectual e executor do plano detalhadamente planejado de aparelhar o Estado brasileiro e usurpá-lo para construir uma fina e capilarizada estrutura de poder para implantar uma doutrina radical de esquerda na América Latina a partir do Brasil. Foi pego e derrubado no último degrau da escada que construiu milímetro a milímetro.

Nunca omitiu seus ideais ideológicos. É um guerreiro que não transige nas suas ideias e não tem limites para alcançar seus objetivos. Não teve escrúpulos para tentar implantar a revolução na qual acredita, pelo meio mais torpe e vil que lhe sobrou: o aparelhamento do Estado para roubar. Muitos dos seus seguidores, e outros ingênuos e bobos alegres, seguiram-lhe os passos para encher as burras. Dirceu não roubou só para si. Roubou para corromper outros. É o eixo de todo o mal que está aí e que movimenta muitas engrenagens marginais que ainda vão aparecer. Coisas muito sérias ainda precisam vir e virão à tona. Armas…Drogas…

Sua prisão definitiva é muito mais significativa e importante que a prisão de Lula. José Dirceu é o “capo”. Ele é o verdadeiro líder. O comandante em chefe. Sua saída de cena desestrutura a pior esquerda que existe: aquela que não mede esforços, nem consequências para tentar dominar. Não há – e nunca houve – outra inteligência sequer comparável à de Dirceu na esquerda brasileira. Zé Dirceu representa o que há de mais sofisticado na esquerda e o que há de pior para o país. Por mais duro que – humanamente isso possa parecer – foi mandado para o lugar certo. Não por ser comunista radical. Eu tenho respeito pela sua clareza ideológica! Mas por ser um ladrão perigoso, atrevido e reincidente. E isso eu não posso respeitar! E, por mais doloroso que seja admitir, o Roberto Jeferson tinha razão…

* Sócio fundador da Banca Nemetz & Kuhnen Advocacia – Bacharel em Direito pela Universidade Regional de Blumenau, turma 1983. Especialista em Economia e da Empresa (pós graduação) pela Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 1997. Habilitação para Docência. Professor concursado de Direito Processual Civil e Direito Econômico da Universidade Regional de Blumenau, FURB, onde atuou por 17 anos. Professor das cadeiras de Direito das Coisas e Direito Processual Civil, Execuções, pela Faculdade Bom Jesus de Blumenau, FAE, ano 2009.

 

REPAGINADO, AMPLIADO E MODERNIZADO, O HOSPITAL PRADO VALADARES SERÁ A MAIOR UNIDADE DE SAÚDE PÚBLICA DO INTERIOR DO ESTADO

O governador Rui Costa estará inaugurando as 9h desta segunda-feira (21), a ampliação do Hospital Geral Prado Valadares que irá transformar a unidade pública de saúde na maior do interior do estado, com a oferta de 276 leitos para pacientes de Jequié e municípios da região. Com essa ampliação, também aumentou a quantidade de salas cirúrgicas, de quatro para seis. Todas as mudanças devem resultar em número de atendimentos duas vezes maior, chegando a uma média de 180 mil pacientes por ano. A nova estrutura e o crescimento da demanda pelos serviços vão exigir a contratação de mais funcionários. O quadro atual será ampliado de 780 (entre efetivos, terceirizados e cargos comissionados), para 1.230.

Além da inauguração da ampliação do Prado Valadares, o governador Rui Costa realiza em Jequié uma série de benefícios para outros 27 municípios. Entre elas 16 ambulâncias para atender as populações de Almadina, Arataca, Barra do Rocha, Brejões, Caetanos, Canavieiras, Coaraci, Gandu, Itaju do Colônia, Itapitanga, Itaquara, Jequié, Manoel Vitorino, Nova Canaã, Planaltino e Ubaitaba.

O novo Hospital Prado Valadares receberá uma ambulância e uma van para transporte de pacientes. Ainda em Jequié, o governador entrega 11 veículos para a Polícia Militar e 19 equipamentos de saúde para 13 municípios, sendo 12 kits odontológicos, 4 aparelhos de raio X, carro de emergência, eletrocardiógrafo e kit sala de estabilização.

Na tarde deste domingo (20), Rui Costa surpreendeu a equipe responsável pelos ajustes finais para a inauguração do  HGPV e, acompanhado do secretário de Saúde, Fábio Vilas Boas e da primeira dama do estado Aline Peixoto, visitou o local transmitindo ao vivo por ele próprio em sua página pessoal no Facebook mostrando durante 33 minutos em uma visita guiada,  detalhes de cada setor, explicando a importância de cada equipamento.

Fonte: Secom

JEQUIÉ: VOLUNTÁRIAS SOCIAIS ARRECADAM R$180 MIL EM SHOW BENEFICENTE

Jequié Fest arrecadou mais de R$ 180 mil com a venda dos ingressos do evento que reuniu Léo Santana, Felipe Araújo e Ranniery Gomes

Um público regional, porque oriundo, não apenas de Jequié, mas, de várias cidades do entorno do município, lotou o Parque de Exposições na noite deste domingo (20), com renda revertida para a finalização das obras do moderno Centro de Equoterapia da região, além de uma nova creche que funcionará em tempo integra.

A primeira edição da Jequié Fest, evento beneficente de iniciativa das Voluntárias Sociais da Bahia, arrecadou mais de R$ 180 mil com a venda dos ingressos do evento que reuniu os cantores Léo Santana, Felipe Araújo e Ranniery Gomes.

O governador Rui Costa parabenizou a iniciativa e mobilização das Voluntárias Sociais. “Elas têm feito um trabalho extraordinário em todo o Estado, mobilizando pessoas, artistas, para causas sociais. Houve o show para o Martagão Gesteira, depois outro para o Hospital Aristides Maltez, e hoje estamos aqui em Jequié para uma festa muito especial, para uma causa nobre, que é a conclusão do Centro de Equoterapia”, afirmou à imprensa, o governador do estado.

A Equoterapia é um método terapêutico que utiliza cavalos para auxiliar na educação e na saúde dos pacientes, buscando melhorias no aspecto físico, psicológico, emocional, cognitivo e biopsicossocial. O novo centro de Jequié será o mais completo de todo o Brasil, com salas de fisioterapia, fonoaudiologia e nutrição, refeitório e centro de banho para os cavalos. Serão atendidas crianças deficientes a partir de dois anos com casos de paralisia cerebral, autismo ou deficiência motora. Ao todo, 27 municípios serão beneficiados com o novo espaço.

O cantor Ranniery Gomes agradeceu por fazer parte de Jequié Fest. ”É um prazer imenso participar dessa festa promovida pelas Voluntárias Sociais. Espero voltar mais vezes, tive uma receptividade incrível do povo de Jequié”, comemorou o cantor.

O governador Rui Costa e a primeira dama Aline Peixoto, muito festejados ao entrar no parque Luiz Braga.

Para o cantor Léo Santana, ”é uma grande satisfação poder fazer parte de um evento que vem ajudar outras pessoas. Agradeço à presidente das Voluntárias, Aline Peixoto, pelo convite, pela parceria. Tô feliz que o público abraçou a ideia e compareceu”.

A nova creche terá funcionamento de tempo integral, das 7h às 18h, e capacidade para atender 100 crianças. A dona de casa Marta Viana acredita que eventos beneficentes como o Jequié Fest ajudam a criar uma sociedade mais solidária. “É uma oportunidade que a gente tem de ajudar a quem mais precisa. As pessoas se divertem vendo esses grandes artistas, mas também entram num clima muito bonito de solidariedade. Está uma festa linda.”

O governador Rui Costa assistiu ao show ao lado da Primeira-dama do Estado e presidente das Voluntárias Sociais, Aline Peixoto.

CÂMARA APROVA PROJETO QUE CONCEDE TITULO DE CIDADANIA À VICE-PREFEITA DE IPIAÚ

A vice-prefeita de Ipiaú, Margarete Chaves  dos Santos Oliveira-PP- entrou na lista das personalidades que serão agraciadas com as honrarias oficiais da Câmara Municipal de Vereadores. O Projeto de Resolução nº 002/2018 da autoria do vereador Jean Kleber da Silva Cunha (PTdoB) garante a ela  o titulo de Cidadã Ipiauense.

Margarete Chaves dos Santos Oliveira, atual vice-prefeita de Ipiaú e a mais nova cidadã do município.

A matéria foi aprovada pela unanimidade do plenário em todas as votações a que foi submetida. Natural do município de Milagres, filha de Raimundo Borges dos Santos e Francisca Batista Chaves de Andrade, a  homenageada  reside em Ipiaú desde o ano de  1978, é casada com  Erivaldo Carlos Oliveira Santos (Pery) e tem uma filha: Erica Chaves Oliveira.  Margarete é uma das lideranças políticas mais atuantes de Ipiaú. Esteve como vereadora na legislatura passada, compondo a bancada de oposição ao então prefeito Deraldino Araujo. Em seu mandato parlamentar mostrou-se combativa e atuante, sempre norteada pelos princípios elementares da democracia.

Paralelo às atividades políticas, Margarete Chaves  realiza um importante trabalho social. Sob a sua direção encontra-se a Fundação Casa de Deraldina de Amparo à Velhice, também conhecida como “Abrigo dos Velhos”, que acolhe dezenas de idosos e teve como fundadora dona Zizinha Nogueira, esposa do ex-prefeito Antonio Lisboa Nogueira.

Este casal  lhe  adotou afetivamente como filha,  dando-lhe  boa educação e todas as condições de desenvolvimento. Margarete Chaves tem uma bela historia de vida e superação. Foi trabalhadora rural, começou a frequentar a escola, e ser alfabetizada, aos 11 anos de idade.

Cursou o ensino médio no Colégio Estadual de Ipiaú onde concluiu o magistério. Do seu currículo também constam as condições de Presidente do Conselho Municipal de Ação Social (por três mandatos consecutivos), Presidente do Diretório Municipal do  Partido  Progressista e coordenadora de bem sucedidas campanhas eleitorais. Em 2016 foi eleita vice-prefeita de Ipiaú.

Na conclusão da justificativa do Projeto de Resolução nº 002/2018 o vereador Jean Kleber da Silva Cunha destaca: “Margarete Chaves dos Santos Oliveira , chegou a Ipiaú com sua simplicidade e generosidade, cativando a admiração e carisma da comunidade ipiaúense , prestando relevantes  serviços na área social  e atendendo as famílias carentes deste município. Este projeto da minha iniciativa visa outorgar o título de cidadania ipiauense  a uma ilustre munícipe que reconhecidamente  prestou sua contribuição  colaborando para o pleno desenvolvimento de nosso município”. (Informações: José Américo Castro).

PRESIDENTES DO MDB E DO PHS NEGAM ESTAR NEGOCIANDO ALIANÇA

João Santana, presidente do MDB e pré-candidato ao governo da Bahia

Presidentes do MDB e PHS, respectivamente, João Santana e Júnior Muniz descartam, ontem, uma aliança entre os partidos para eleição deste ano, apesar de haver rumores de que as siglas coligariam. Nos bastidores, comentou-se que os emedebistas ofereceram uma fortuna do fundo partidário para fechar um acordo com os humanistas. Ontem, o pré-candidato ao governo da Bahia pelo MDB, João Santana, negou e sugeriu que os humanistas plantaram a informação na imprensa para “valorizar” o passe junto ao prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM). “Jamais procurei o PHS para qualquer tipo de conversa. O MDB pode fazer candidatura solo. Algum canalha colocou isso [a aliança] na mídia. Não estamos dispostos a dar mundo e fundos. Quando soube, liguei para o presidente do PHS para desautorizar. Nossas alianças, se forem feitas, serão com base em princípios e não em dinheiro. Só fazemos política com critérios e não com dinheiro”, afirmou. “Se alguém quer valorizar Júnior para ganhar ponto com o prefeito, não é problema meu”, acrescentou. Após a dura declaração do pré-candidato emedebista, Muniz também descartou acordo com MDB. “Eu nem olhei [a declaração de João de Santana]. Estou no interior e voltando para Salvador. Mas João Santana está bravo demais. Foi [uma fala] desnecessária. E a gente não precisa se valorizar com ACM Neto. Já temos quadros políticos [no PHS] que valorizam qualquer agremiação”, rebateu. Questionado se houve proposta de emedebistas para firmar parceria com PHS, Muniz disse que “há conversas de toda ordem”. No entanto, não houve, segundo ele, com João Santana. Por não ter deputados entre seus filiados e ter uma certa força eleitoral em Salvador, com quatro vereadores, o PHS virou “a bola da vez” na eleição proporcional. Isto porque o partido tem sido assediado por agremiações da base do prefeito ACM Neto para a montagem de “chapinha” no pleito deste ano. Na semana passada, líderes do PPS e PSDC tentaram costurar um acordo com os humanistas. Segundo eles, se aliança for firmada, os partidos podem eleger, juntos, três deputados federais e seis estaduais. No entanto, Júnior Muniz, adotou um cauteloso quando perguntado se pacto será fechado. “Tem um sinal positivo meu para que isso aconteça, mas vou falar com os pré-candidatos do partido ainda”, afirmou.  Fonte: Tribuna da Bahia.

EX-MINISTRO JOAQUIM BARBOSA VOLTA A “JOGAR A TOALHA”

Fotos originais: Agência Brasil

Depois daquela inexplicável antecipação de aposentadoria como ministro do Supremo Tribunal Federal, em 2014, aos 59 anos, Joaquim Barbosa anunciou sua desistência em disputar a presidência da República pelo Partido Socialista Brasileiro.

O anúncio foi feito através das redes sociais, o jornal O Globo, o mesmo que publicou naquela oportunidade, no episódio da renúncia ao STF, em manchete, que “Ameaças levaram Barbosa a antecipar aposentadoria”, traz hoje a notícia de que o ex-ministro Joaquim Barbosa comunicou ao presidente do PSB, Carlos Siqueira, a sua desistência em concorrer como candidato à presidência da República.

Apesar de ter desapontado significativa parte da sociedade, que viu nele durante o julgamento da AP 470, também conhecida como Mensalão, o anjo negro da nação, o herói e paladino da justiça, como candidato Joaquim Barbosa chegou a empolgar bom número de eleitores brasileiros, saturados com políticos profissionais que visam prioritariamente os seus interesses pessoais e dos partidos a que pertencem.

Como se espera de um anuncio como este, foi grande a repercussão na imprensa. A revista Veja disse que o governador de São Paulo, Márcio França, considerou uma “decisão de um homem sábio” a desistência de Joaquim Barbosa de concorrer à Presidência da República:

 “ Ele já vinha dando sinais, não sentia nele a disposição de viver a atividade política nas vezes em que estivemos juntos. É preciso respeitar a vocação das pessoas e o tempo de cada um. Ele foi um homem sábio de entender que não era o momento, é necessária uma vivência eleitoral e política antes de almejar um cargo como a Presidência da República. ”

Já na opinião da emissora de TV por assinatura Globo News, “Não surpreendeu, as coisas sempre foram muito claras e chegou a um ponto que depois seria mais difícil desistir. ”

Mais uma vez o ex-ministro, que já foi taxado por alguns dos seus ex-colegas de “inseguro”, desiste de prosseguir projetos anunciados com entusiasmo.

As desistências do ex-ministro, nos remete à imagem do treinador de  lutas de boxe que ao ver a fragilidade do seu pupilo diante do adversário, simplesmente joga a toalha, gesto universal de desistência da competição.

 

 

JÔ SOARES ALERTA SOBRE DITADURA E SUPOSTA INTERVENÇÃO MILITAR

Diante de tantas manifestações, alguma espontâneas e outras nem tanto, começamos a desconfiar que foi deflagrada uma sistemática campanha nascida nas esquerdas brasileiras, a fim de demonizar os militares, o juiz Moro além dos cidadãos que sonham em viver e trabalhar sossegado neste país, que um dia não pertencia ao crime organizado e tampouco desorganizado, porque o Brasil era nosso. Das famílias, dos amantes da noite e dos boêmios que transitavam na madrugada.

As coisas pioraram de tal modo, que não mais se cultiva a esperança de uma mudança política para se vislumbrar dias melhores. Hoje, não temos notícias de alguma candidatura que empolgue a população esclarecida, ou sequer a população sem esclarecimentos, mas, desconfiada. Na Bahia, se Rui Costa não pertencesse ao PT, seria o candidato de todos. Agora nasce uma possibilidade em Feira de Santana. Quem sabe, Zé Ronaldo?

No Brasil, há uma carência efetiva de candidatos confiáveis. Falam-se nos poucos conhecidos Amoêdo e Flavio Rocha. Outros cultivam o nome de Álvaro Dias. De certo modo, também uma incógnita. Tá difícil. Mas, vamos ao Jô e sua manifestação que revela o medo de uma ditadura.

Como eu já me decepcionei com certos amigos, parentes e figuras de relevância intelectual do meu tempo; como eu já me surpreendi e me indignei com a posição de Chico Buarque de Holanda, Caetano Veloso, Gilberto Gil, entre muitos outros, a ressurreição de Jô Soares produzindo fatos em programa de TV é um fato sem relevância. Ele é apena mais um. Pode ver que por trás desta verborreia toda, essa defesa do PT deve ter uma estratégia de marketing orquestrada pelos esquerdopatas. De vez em quando eles soltam uma palavra de ordem, um mote, um tema central, para ser repetido entre eles mesmos. E olhe que hoje os militantes já são muito poucos.

O governo militar cometeu erros, houve truculência, abuso de poder, mas… eles conseguiram barrar a ditadura do operariado. Conseguiram interromper o avanço de uma enorme onda de barbaridades, à luz dos golpes de Mao Tse Tung, Stalin, Hitler, sucedidos pelo modelo da Albânia, tal como ocorreu com Cuba de Fidel Castro e o seu ex-amigo, o sanguinário assassino, médico argentino, Ernesto Guevara de la Serna, conhecido como “Che” Guevara. Quando me lembro que vestir uma camisa com a cara do “Che”, pintada, era sinal de engajamento, de elevado nível intelectual, etc. Argh!

Ainda bem que o que eles chamam de golpe militar, barrou a marcha contra o Brasil, para implantar o regime comunista, agora desmascarado em todo o mundo. O regime, agora cognominado bolivariano, tem infernizado a vida da população da Venezuela e demais países da America Latina, pelo menos aqueles inspirados em Simon Bolívar. Ficou claro, nestes quase 14 anos de poder, dado sequência por um aliado de todas as horas, na condição de vice, – hoje o nome que mais temem – que o que importa para os ladrões condenados é o acúmulo da fortuna do capitalismo que eles tanto combatem, as chamadas elites. Nada melhorou, até piorou: vejamos o Movimento dos Trabalhadores sem Terra (MST). O exército do Stédile não conquistou um hectare de terra sequer, quanto mais a implantação da decantada reforma agrária. Os sem tetos são alvos de extorsão pelo seus líderes, como foi confirmado no episódio recente, do incêndio do Largo do Paissandu, em São Paulo… Esse tempo todo, o que houve foi a derrocada do Estado, a extinção de empregos, o empobrecimento do país, o script Fora Temer! Lula Livre” e, mentiras. Muitas mentiras.

Determinado a argumentar, como os demais “intelectuais” que adotaram, como se fora um deus, o brilhante pensador “Lula da Silva”, Jô Soares volta às câmeras, através do programa de TV apresentado por Sergio Grossman na Globo, para ressaltar o velho mantra de que o que estar por vir é uma nova e sangrenta ditadura, com direito a participação do CCC, que, segundo o gordo, pintou de vermelho sua sala, indicando sangue e morte.

Ditaduras, não servem. Nenhuma delas. Entretanto, os acontecimentos demonstraram que, entre 1964 e 1984 éramos felizes e não sabíamos. Naquele tempo, quando o sistema de transporte da capital baiana deixava de funcionar à meia noite, ía a pé, do Campo da Pólvora ao Matatu de Brotas, em Salvador, às 3 horas da manhã, sem ser importunado por ninguém e ainda cumprimentado, solenemente, pelo guarda noturno do trecho.

Durante aquele período, nas cidades do interior, antes do jornal televisivo, as famílias sentavam-se à porta de casa para conversar e usufruir das agradáveis noites estreladas da Bahia…

Parafraseando os textos do marketing da campanha eleitoral em que Lula saiu vitorioso em 2002, eu digo, se você acha que no tempo dos militares tinha violência desenfreada, se você acha que naqueles vinte anos, você não podia sair à rua à noite… Se você acha que Lula, Zé Dirceu, Palocci, Dilma, viriam acabar com a corrupção, mesmo a ainda incipiente corrupção no Detran… Se emocionou com a imagem da bandeira brasileira arrastada pelas ratazanas pra sua toca, no filmete veiculado no horário eleitoral… então… “Se histórias como essa sensibilizam você… é porque no fundo, no fundo… você também é PT”…

Mas, tudo indica que hoje, a grande maioria dos brasileiros abomina o PT. Pelo menos, o lado apodrecido do PT. O povo brasileiro já reage contra a corrupção desde a era Sarney, Maluf e assemelhados. Infelizmente, também estas figuras, investigadas e complicadas com a justiça, estão alinhadas ao PT hoje.

De lá pra cá, alguma coisa mudou para melhor? Só convidando o Jô Soares para enumerar tais mudanças. Claro que ele vai omitir os volumosos desvios de dinheiro, a corrupção epidêmica que dizem assolar a maioria dos órgãos públicos e afins de todo o Brasil.

Por favor, Jô. Mande um beijo do gordo e vá pra casa fazer pilates. Ainda que seja um homem inteligente, os brasileiros pedem que fique de fora. Deixe o Brasil seguir com a sua luta contra os ladrões, já presos, ou na iminência de serem.

AQUELE MOMENTO FATAL

Por Nelson Motta* – via Aninha Franco**

 

 

A meia hora fatal em que Lula e Dilma se trancaram em uma sala, e ela saiu candidata à reeleição, mudou o rumo do Brasil

Com a participação de todas as suas correntes internas na discussão dos programas do partido e na ocupação de cargos de governo, com suas assembleias intermináveis, o PT sempre se orgulhou de sua democracia interna, de ser um partido sem caciques — embora comandado por Lula e José Dirceu. Lula sempre mandou no partido, nas executivas, nos diretórios, nas assembleias, em Dirceu, mas reinava principalmente nos comícios, insuperável com sua inteligência, seu histrionismo, sua malandragem política e suas bravatas que incendiavam a militância. Que partido não gostaria de ter um líder com o carisma e a personalidade de Lula?

O lado ruim de ter um líder carismático absoluto, cultuado e incontestável é depender de suas decisões pessoais, de acordo com as suas conveniências de momento.

Ao indicar no “dedaço” Dilma Rousseff para presidenta, enfrentando profundas e fundadas resistências no partido, afinal o DNA dela era brizolista, assumiu o seu maior risco — e conquistou a sua maior vitória. Depois, para eleger Fernando Haddad prefeito de São Paulo, chegou a fazer uma aliança e posar ao lado de Maluf, para estupor dos petistas de todas as correntes. E, cheio de orgulho e certeza, cunhou uma de suas grandes frases: “De poste em poste vamos iluminando o Brasil”.

Se houvesse democracia interna no PT, com convenções para escolher candidaturas, em 2014 Lula teria sido aclamado pelo partido para a sucessão de Dilma e massacraria Aécio Neves. Mas, assim como a havia escolhido imperialmente, Lula teria que discutir com a rainha, só com ela, a sua sucessão.

Aquela meia hora decisiva em que os dois se trancaram em uma sala, e Lula saiu abatido e Dilma candidata à reeleição, mudou o rumo do PT e a História do Brasil. No momento em que sua força, sua experiencia e sua inteligência foram mais necessários, Lula piscou. E Dilma ganhou no grito, rompendo o acordo de o poste devolver-lhe o trono depois de quatro anos.

O resto é história, com as consequências funestas que teve para o Brasil, para o PT e para Lula, porque um grande líder popular quase religioso e infalível falhou num momento fatal.

Aquele momento fatal!

* Nelson Motta é jornalista, compositor, escritor, roteirista, produtor musical, teatrólogo e letrista brasileiro – Publicado no site O Globo

**Aninha Franco é pensadora, escritora, poeta, advogada, dramaturga, crítica, cronista e ativista cultural.

EUCLIDES FERNANDES PROPÕE TÍTULO DE DESTAQUE AO DESEMBARGADOR SÉRGIO CAFEZEIRO

Desembargador Sergio Cafezeiro

Tramita na Assembleia Legislativa da Bahia o Projeto de Resolução apresentado pelo deputado Euclides Fernandes concedendo o título de Cidadão Benemérito da Liberdade e da Justiça Social João Mangabeira, ao Desembargador Sérgio Cafezeiro, em reconhecimento à sua dedicação às causas humanas e sociais, sempre preocupado com o bem-estar do seu semelhante ao longo de sua carreira profissional e na sua vida pessoal.

Na sua justificativa o deputado lembrou que no exercício da Advocacia Sérgio Cafezeiro sempre se pautou pela lisura e mantendo sua ilibada reputação. Procurando defender o que considera justo, líquido e certo. Mesmo em temas polêmicos, nunca deixou que as questões extrapolassem as raias dos tribunais, mantendo e ampliando seu círculo de relações e inúmeros admiradores.

A carreira profissional do Desembargador. Sérgio Cafezeiro foi enriquecida com vários cursos de pós-graduação tanto em universidades de Minas Gerais, quanto a de Santa Fé, na Argentina, Unibahia e na Universidade Federal da Bahia. Ainda recém-formado, inaugurou sua banca de advocacia em Jequié e durante certo tempo exerceu a função de Secretário Parlamentar do deputado Raymundo Cafezeiro, seu pai (1979/1982) e do deputado Gutemberg Amazonas (1983/1986). Foi também o representante Jurídico da Câmara de Dirigentes Lojistas de Jequié, da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado da Bahia e do Sindicato do Comércio Varejista de Jequié. Ao longo de sua carreira exerceu ainda a função de procurador dos municípios de São Miguel das Matas, de Jitaúna, de Itagi, de Aiquara e de Apuarema. Além de procurador das Câmaras de Vereadores de Aiquara, Itagi e Apuarema.

Fonte: Jornalista Renato Ferreira, assessoria do deputado Euclides Fernandes