Arquivo para ‘Nacional’ Categoria

PROSSEGUE NO AUDITÓRIO DO CEEP REGIS PACHECO, ANTIGO IERP, A 13ª SEMANA ESPÍRITA DE JEQUIÉ

Adenauer Marcos Ferraz Novaes

Sob o tema Espiritismo e Educação: uma nova percepção de mundo, a 13ª Semana Espírita prossegue no CEEP Regis Pacheco, sempre ás 20 horas, com a conferência, na noite desta sexta feira (18), refletindo sobre o tema “A vivência do cristianismo na contemporaneidade” a ser abordado pelo psicólogo e filósofo Adenauer Novaes.

Adenauer é um estudioso da doutrina espírita, diretor-fundador da Fundação Lar Harmonia, em Salvador, instituição filantrópica que acolhe, também o Centro Espírita Harmonia e a Casa de Redenção Joanna de Ângelis. Graduado em Engenharia Civil, Filosofia, Psicologia e pós-graduado em Psicologia Junguiana, trabalha como psicólogo clínico e é autor de vários livros sobre Psicologia e sobre Espiritismo.

Um dos mais esperados conferencistas da 13ª Semana Espírita de Jequié, Adenauer Novaes cultiva fortes laços afetivos com a Cidade Sol.

JEQUIÉ: EM DEBATE O FUNDO DE CAMPANHA FOI ITEM MAIS CONTESTADO NA REFORMA POLÍTICA

Deputado Euclides Fernandes, debate reforma política com o jornalista Wilson Midlej e o advogado Henrique Malta

A criação do Fundo Especial de Financiamento da Democracia, para substituir as doações empresariais, no financiamento de campanhas eleitorais, foi o ponto mais criticado, no debate realizado na manhã deste sábado, 12, no programa A Semana em Revista (93 FM), apresentado pelo deputado estadual e jornalista Euclides Fernandes, tendo como convidados o jornalista e escritor Wilson Midlej e o advogado Henrique Malta. As críticas direcionadas à criação desse fundo de campanha, — que será composto por recursos da União e corresponderá a 0,5% da receita corrente líquida dos últimos 12 meses, em valores atuais, no montante de R$ 3,2 bilhões de reais—são de que não tem justificativa retirar valores que poderiam ser investidos em outras áreas, como saúde e educação, para pagamento de campanhas eleitorais, “cerca de R$ 800 milhões anuais aos cofres públicos. Chega a ser indecente”, esbravejou o apresentador do programa. O texto da reforma foi aprovado na sessão da última quinta-feira, 10 da Câmara dos Deputados, mas a votação será retomada na próxima terça, 15. As medidas que foram aprovadas do texto-base, para vigorarem nas eleições de 2018, terão de passar até outubro, por votações em dois turnos nos plenários da Câmara e do Senado. No programa A Semana em Revista, também foram debatidos as demais alterações previstas nas regras eleitorais do país, a exemplo do chamado “Distritão”, no qual serão eleitos os deputados federais e estaduais mais votados, o mesmo que ocorrerá em relação aos vereadores.

Transcrito do Jequié Repórter  www.jequiereporter.com.br  

LEUR LOMANTO JR: HOMENAGEM DE SALVADOR A DÓRIA REVELA O TEMOR DO GOVERNO À SUA CANDIDATURA

O líder da Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa da Bahia, Dep. Leur Lomanto Jr. (PMDB), criticou a tentativa do governador Rui Costa (PT) e seus aliados de tentarem desqualificar a homenagem ao prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), que deve acontecer hoje (07/08), na Câmara de Vereadores de Salvador. Nos bastidores há informações de que o governo usou a estrutura de comunicação do estado para enviar notas que depreciam a entrega do título de cidadão soteropolitano ao paulistano. “Além de temerem a candidatura do prefeito ACM Neto (DEM) ao governo da Bahia mostram também agora que estão com medo de o prefeito João Dória, que vem realizando uma grande gestão na capital paulista seja candidato a presidência da República. O governo cai no ridículo ao difamar a promoção do título de cidadão ao homem público João Dória. Deveriam estar mais preocupados com as promessas não cumpridas de melhorias para a população de todo o estado”, disparou.

O deputado defende a relação histórica de João Dória com a Bahia ao lembrar que o homenageado é filho do publicitário e ex-deputado federal baiano João Dória, que teve mandato cassado em 1964 pelo Regime Militar. “João Dória sempre valorizou a nossa terra, promoveu a nossa cultura, inclusive com propaganda do carnaval baiano no exterior, à época em que foi presidente da Embratur. É filho de baiano e lembremos também que ele administra uma das capitais que mais abrigou os baianos, povo que muito ajudou na construção de São Paulo, junto aos demais nordestinos”, frisou.

NASCIDO NA BAHIA, POETRIX MOVIMENTA LITERATURA MUNDIAL COM FORMAS, CORES E DEBATES

Os poetrixtas baianos Goulart Gomes, Jussara Midlej, Gersinio Neto, Djalma Filho, Cristina Amorim, Marco Bastos, Oswaldo Martins, Ronaldo Jacobina, Vera Trindade, assim como a carioca Lilian Maial, entre tantos outros, do Brasil e exterior, integram o grupo de 43 poetas participantes da Antologia Poetrix 5, seleção de sensibilidade e poesia num texto conciso e inteligente. O lançamento será no dia 11 de agosto na Livraria Cultura – Rua Senador Dantas, 45, mezanino, Centro, Rio de Janeiro das 18 às 21 horas e no dia seguinte, 12/8, em São Paulo no Espaço Scortecci – Rua Deputado Lacerda Franco, 96, Pinheiros, das 17:30 às 20:30 horas.

Poesia contra corrupção, fome, injustiças  ou guerras. Poesia que se veste que carrega as compras e até protege o celular. Não é de hoje que o senso comum parou de associar a linguagem poética a uma visão desconectada da vida prática. É com essa proposta que o Movimento Internacional Poetrix (MIP) chega aos 17 anos com histórias pra contar e mais uma antologia. As comemorações já têm data marcada com lançamento da Antologia Poetrix 5 no Rio de Janeiro e em São Paulo, dias 11 e 12 de agosto, respectivamente.

Quinta edição de uma série, o título reúne 43 autores do Brasil, Portugal, Estados Unidos e Colômbia, com textos em português  e inglês. No conteúdo, os integrantes do MIP mostram engajamento e sintonia com seu próprio tempo e colocam em discussão guerras, intolerância, fome, política, corrupção, além dos já tradicionais temas existenciais e afetivos. Esse volume conta com mais de 300 poetrix.

A linguagem poética Poetrix surgiu em 1999, com uma proposta minimalista, conquistando praticantes, no Brasil e no exterior. Em 2002, portanto há exatos 15 anos, seria publicada a primeira antologia, com apresentação dos escritores Alice Ruiz e Aníbal Beça.

De lá pra cá, a irreverência tomou conta do MIP, especialmente na forma, a exemplo do Tautotrix, em que todas as palavras começam com a mesma letra; Acrostrix, no qual as primeiras sílabas de cada verso formam o título; ou Mesostrix, em que as sílabas centrais formam o título. E ainda Videotrix e Grafitrix, com nomes que falam por si. Este último, inclusive, saltou das páginas para a vida do leitor, em formato de canecas, sacolas, capas de celulares, almofadas. Em maio deste ano, alguns autores realizaram uma exposição de Grafitrix em Buenos Aires.

Poetrix

O Poetrix é um terceto contemporâneo de temática livre, com título e um máximo de trinta sílabas. Proposto, inicialmente, como uma evidente alternativa ao hai-kai, mantendo a sua forma em tercetos, mas subvertendo o seu conteúdo, ao admitir título, rimas, figuras de linguagem e um maior número de sílabas. Mais informações: Bula Poetrix no site www.movimentopoetrix.com.br

O MIP já realizou sete concursos literários e publicou seis coletâneas com a participação de poetrixtas do Brasil, Argentina, Uruguai, Colômbia, Venezuela, Estados Unidos, México, Espanha, Portugal, Angola e Suíça. Estimulou a publicação de diversos livros e a divulgação de poetrix na Internet, que já ultrapassa a marca dos 150.000 poetrix publicados por centenas de autores (ver www.recantodasletras.com.br).

Goulart Gomes, o criador da linguagem poética Poetrix, é baiano, administrador de empresas, tem pós-graduação em Literatura Brasileira (UCSAL) e em Gestão de Comunicação Integrada (ESPM-RJ). Trabalhou por quase 20 anos na área de Comunicação Empresarial. Obteve 70 prêmios em concursos de poesia, prosa e festivais de música e participou de 48 coletâneas publicadas no Brasil, Cuba, Espanha, USA, Itália, França e Coréia do Sul e tem trabalhos divulgados em vários outros países. Atualmente é o coordenador geral do Movimento Internacional Poetrix. Como editor alternativo propiciou a publicação de 53 livros e coletâneas de novos autores.

CANTOR E COMPOSITOR LUIZ MELODIA MORRE AOS 66 ANOS NO RIO DE JANEIRO

O cantor e compositor carioca Luiz Melodia morreu na manhã desta sexta-feira (4), no Rio de Janeiro, por complicações decorrentes de um câncer na medula. A informação é do colunista musical do G1, Renato Piau, guitarrista que já tocou com o músico. Há pouco mais de um mês, Melodia havia celebrado uma melhora e sua alta médica, após três meses internado no Hospital Quinta D’Or, no Rio de Janeiro, onde se tratava e chegou a fazer um transplante de medula óssea. Segundo o G1, o artista não respondeu bem à quimioterapia e seu estado de saúde agravou na última quinta-feira (3). Durante o tratamento contra o câncer, a casa de Luiz Melodia foi invadida por assaltantes encapuzados, que levaram parte de acervo do músico e amarraram seu filho. Nomeado cidadão soteropolitano, em 2011, o artista chegou a dizer ao Bahia Notícias que o título veio tarde. “Meu primeiro acesso a Salvador foi quando eu conheci o Wally Salomão, uma pessoa muito bacana, um baiano, e depois quando conheci a minha esposa, Jane [Reis]. Eu sou um cara baiano, um ‘baioca’, por isso a brincadeira [risos]”, disse Melodia, cuja esposa tem raízes em Jequié, onde dividindo com Salvador, chegou a viver por um tempo nos anos 1980.

DEPOIS DA REJEIÇÃO, DEPUTADOS LIVRAM TEMER DE DENÚNCIA POR CORRUPÇÃO E BARRAM INVESTIGAÇÃO NO STF

A Câmara Federal aprovou na noite desta quarta-feira (2) o relatório da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), de autoria do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), que recomendava a rejeição da denúncia da Procuradoria Geral da República por crime de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer.

Esse resultado livra Temer de responder a processo no Supremo Tribunal Federal por corrupção. Agora, Temer responderá no STF somente após a conclusão do mandato, em 31 de dezembro de 2018. O procurador-geral Rodrigo Janot, porém, deverá apresentar outra denúncia contra Temer, por organização criminosa e obstrução de justiça.

Segundo a secretaria da Câmara, votaram 492 deputados dos 513 deputados: 263 a favor do relatório, 227 contra e duas abstenções. Houve 19 ausências. Ainda de acordo com o órgão, um deputado – Adail Carneiro (PP-CE) – está licenciado para tratamento de saúde e não houve convocação de suplente. Com base no regimento da Câmara, o presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) não votou. Leia mais em http://g1.globo.com/politica/noticia/votacao-denuncia-temer-camara.ghtml

Com o grifo para os que são votados na região, veja como votaram os deputados baianos:

Afonso Florence (PT) – NÃO

Alice Portugal (PCdoB) – NÃO

Antonio Brito    (PSD) – NÃO

Antonio Imbassahy (PSDB) – SIM

Arthur Oliveira Maia (PPS) – SIM

Bacelar (PTN) – NÃO

Bebeto (PSB) – NÃO

Benito Gama (PTB) – SIM

Cacá Leão (PP) – SIM

Caetano     (PT) – NÃO

Claudio Cajado (DEM) – SIM

Daniel Almeida (PCdoB) – NÃO

Elmar Nascimento (DEM) – SIM

Erivelton Santana (PEN) – SIM

Félix Mendonça Júnior (PDT) – NÃO

Fernando Torres (PSD) – NÃO

Irmão Lazaro (PSC) – NÃO

João Carlos Bacelar (PR) – SIM

João Gualberto (PSDB) – NÃO

Jorge Solla (PT) – NÃO

José Carlos Aleluia (DEM) – SIM

José Carlos Araújo (PR) – SIM

José Nunes (PSD) – NÃO

José Rocha (PR) – SIM

Josias Gomes (PT) – NÃO

Jutahy Junior (PSDB) – NÃO

Lucio Vieira Lima      (PMDB) – SIM

Márcio Marinho (PRB) – SIM

Mário Negromonte Jr.  (PP) – SIM

Nelson Pellegrino (PT) – NÃO

Pastor Luciano Braga   (PRB) – SIM

Paulo Azi (DEM) – SIM

Paulo Magalhães (PSD) – NÃO

Roberto Britto (PP) – SIM

Ronaldo Carletto (PP) – AUSENTE

Sérgio Brito (PSD) – NÃO

Uldurico Junior (PV) – NÃO

Valmir Assunção       (PT) – NÃO

Waldenor Pereira (PT) – NÃO

JEQUIEENSE ASSUME VICE-PRESIDÊNCIA DE OPERAÇÕES DOS CORREIOS

Miguel Martins Jr. passa a ocupar um dos postos mais importante de direção dos Correios

O jequieense Miguel Martinho Junior assumiu na quarta-feira, 26, em Brasília, o cargo de  Vice-Presidência de Operações dos Correios-VIOPE, um dos cargos mais importantes na hierarquia de comando dos Correios. Nos últimos anos, Martinho estava exercendo a chefia de gabinete da presidência da empresa, onde obteve reconhecimento pela sua competência, dedicação e profissionalismo, destaque obtido desde o seu trabalho na gestão da ECT na Bahia.  O novo Vice-Presidente dos Correios, é filho do comerciante e ex-vereador em Jequié, Miguel Martinho e sua assunção ao cargo na direção nacional vem sendo merecedora de muitos aplausos por parte dos seus conterrâneos

Informações Wilson Novaes Jr.

CANDIDATURA DE PINHEIRO A DEPUTADO FEDERAL DEIXA ROBINSON E AFONSO EM PÂNICO

Segundo a Tribuna da Bahia, a decisão do senador licenciado Walter Pinheiro, atual secretário estadual de Educação, de concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados deixa em pânico os deputados federais Afonso Florence e Robinson Almeida. Apesar de Pinheiro ter se desfiliado do PT, os três disputam votos na mesma corrente do partido, da qual o senador não se desvinculou mesmo depois da polêmica saída do PT. Na época em que anunciou o desligamento, Pinheiro foi duramente atacado por Robinson por meio das redes sociais.

MARCOS VALÉRIO VAI PARA PRISÃO ONDE PRESOS FAZEM A PRÓPRIA SEGURANÇA

                                              Marcos Valério retorna à prisão.

O publicitário Marcos Valério, condenado no mensalão a mais de 37 anos de prisão, foi transferido nesta segunda-feira (17) da penitenciária onde estava para um centro de detenção onde os presos fazem sua própria segurança. Ele é o único condenado no mensalão que ainda cumpre pena em regime fechado. Valério deixou o complexo penitenciário de Nelson Hungria, em Contagem, na grande Belo Horizonte, e seguiu para a Apac (Associação de Proteção e Assistência ao Condenado), em Sete Lagoas (MG).

Agora, ele ficará mais perto de sua mulher, que vive na cidade. O publicitário está em tratativas com a Polícia Federal para fechar um acordo de delação premiada. O acerto já foi rejeitado pelo Ministério Público de Minas Gerais. Preso em novembro de 2013, Marcos Valério tem a previsão, nas condições atuais, de progredir ao regime semiaberto em 2019.

Nas Apacs, o detento tem que já ter cumprido pena no sistema tradicional e ser ligado à comunidade – ter família ou ter praticado o crime na cidade.

Considerada modelo, a Apac não permite superlotação e a segurança do presídio é realizada pelos próprios presos, que carregam as chaves das celas. Os funcionários andam desarmados e não há câmeras. Em compensação, o preso se compromete a estudar e trabalhar, manter a barba feita e o cabelo cortado e fazer tarefas como a limpeza do local. Tudo isso conta como mérito para receber vantagens no presídio.

O ex-goleiro do Flamengo Bruno Fernandes, condenado pela morte e ocultação de cadáver da ex-amante Eliza Samudio, ficou entre 2015 e 2017 em um desses presídios em Santa Luzia, na Grande Belo Horizonte.

Informações; Folhapress

 

TENTATIVA DE EXPLICAR O FANATISMO QUE ENVOLVE A FIGURA MÍTICA DE LULA

É recorrente, na imprensa brasileira, a tentativa de explicar a insistência de alguns em sonhar com o retorno de Lula às disputas eleitorais de 2018. O pessoal que se diz militante do petismo se esforçam em redobrar as forças no sentido de reconquistar o governo e a hegemonia política perdidas. 

Vai ser, vai ser, vai ter de ser, vai ser faca amolada / O brilho cego de paixão e fé, faca amolada / A fé, a fé, paixão e fé, a fé, faca amolada

A jornalista paulista Vera Magalhâes, do Estadão, se inspirou na música de Milton Nascimento para definir os habituias militantes e defensores do ex-presidente Lula. Oportuna a simbologia da fé e da faca amolada!

FÉ CEGA, FACA AMOLADA

Por Vera Magalhães*

 

O ex-presidente Lula cada vez mais prega apenas aos que estão cegos pela fé

16 Julho 2017 | 05h00

 

“Um brilho cego de paixão e fé, faca amolada.” Diante da cena de um líder cansado, roufenho, enumerando fantasias diante de uma plateia reduzida, anestesiada aos fatos, aplaudindo bovinamente nas pausas pré-fabricadas e entoando cantos religiosos, só me vinham à cabeça os versos de Milton Nascimento.

Lula deixou o terreno da política e está operando na seara do messianismo. Na quinta-feira passada, ao se defender da condenação a 9 anos e 6 meses de prisão, parecia mais um pastor de igreja neopentecostal do que um ex-presidente da República.

Ao desenhar um diabo, no caso Sérgio Moro, contra o qual os fiéis devem lutar; ao prometer o reino do céu a quem der seu dízimo e sua energia pela igreja-partido; e, sobretudo, ao atribuir os infortúnios a causas metafísicas, ele mostrou mais do que nunca o fenômeno que acompanha sua imagem desde o início, mas que agora se acentuou: o lulismo nada mais é do que uma expressão de messianismo.

A novidade pós-petrolão é que, diante dos fatos, ele se despiu do que já teve de significado histórico, político ou sociológico. O “messias” hoje se aproxima mais de figuras como Antonio Conselheiro ou Jim Jones, liderando poucos e fanáticos, que de outros líderes carismáticos da política a quem Lula sempre foi comparado.

E quando uma questão política se reveste de fé cega entra em campo a faca amolada, que mostra seu fio autoritário em falas como as vistas desde que Lula recebeu sua sentença.

O PT diz que não vai reconhecer (!) as eleições se Lula não puder disputar (será que o fará caso ele dispute e perca, uma hipótese bastante possível?), o partido promete “parar o País” em protesto contra a decisão de Moro, a igreja conclama seus fiéis a lincharem publicamente as instituições, um seguidor da seita apresenta uma emenda para impedir prisão oito meses antes das eleições, entre outras demonstrações de perigoso fanatismo político-religioso.

Como nos rituais que buscam o transe dos fiéis, o PT repete à exaustão que não há “uma única prova” contra Lula. Caso descessem do altar e fossem à sentença, achariam o encadeamento de todos os fatos e documentos que demonstram que Lula: 1) negociou o triplex do Guarujá; 2) fez chegar à OAS que seria bem visto que ela assumisse a obra quando a Bancoop ficou mal das pernas; 3) continuou a negociação do imóvel com seu chapa Léo Pinheiro, agraciado com lautos contratos por seu governo; 4) pediu, aprovou e vistoriou as reformas do apartamento.

Quem diz não é um delator vítima de semitortura, como Lula descreveu em um de seus recursos às “fake news” na quinta-feira passada. É um depoente que também foi condenado, cujo relato foi corroborado por vários outros.

Uma demonstração de que a fé cega prescinde de lógica ou coerência é que os documentos cuja existência os petistas negam foram periciados. A título de comparação, eles já aceitavam como verdade absoluta a gravação da conversa de Michel Temer com Joesley Batista antes mesmo da perícia.

No caso de Lula, os fiéis dizem que a prova de que o apartamento não era dele é que não está em seu nome. Mas, no de Temer, pouco importa se os R$ 500 mil de Rocha Loures chegaram ou não ao presidente. A corrupção passiva de um é diferente da do outro.

Também escapa aos fiéis o fato de que foi seu pastor quem indicou o “demônio” Temer. Não haveria o atual governo sem os de Lula e Dilma.

Assim, reduzido à figura de um missionário das próprias mentiras, Lula vai correr o Brasil repetindo sua ladainha cada vez mais delirante. A essa altura pouco importa se estará preso ou não em 2018: o mito foi exposto à luz e à própria mesquinhez. Cada vez mais prega apenas aos que estão cegos pela fé.

*Vera Magalhães é jornalista especializada na cobertura de política e economia, colunista do jornal O Estado de São Paulo

Veja o vídeo